Jogos: DanMachi: Infinite Combate – Análise

Is It Wrong To Pick Up Girls in a Dungeon Familia Myth: Infinite Combate

Este ano, como foi possível já verificar, existiram vários jogos lançados e baseados em propriedades de anime. Tivemos jogos de My Hero Academia, Naruto e até ao final do mês, devemos ver Jump Force e Captain Tsubasa. No entanto, enquanto todos os jogos que referi são considerados agradáveis para os fãs, este Is It Wrong To Pick Up Girls in a Dungeon Familia Myth: Infinite Combate, não é sequer apropriado para fãs.

Atenção, a propriedade em que se baseia é bastante boa, e apresenta uma história interessante. Porém, passar a história e características da série do papel/televisão para os videojogos pode não ter sido a ideia mais brilhante de sempre. A história consiste em Bell, um jovem aventureiro ligado à família da Deusa Hestia, que entrando nas cavernas para matar monstros e viver aventuras, de forma a ganhar dinheiro para se sustentar. Numa dessas aventuras, mete-se numa alhada e é quando conhece Aiz, aquela que passou a ser a sua paixão depois de o salvar. Além disso, nas suas aventuras vai conhecendo várias personagens, no mínimo peculiares algumas delas. E bem, acabei também por vos contar a história do jogo, já que temos apenas a história da primeira temporada da série.

Is It Wrong To Pick Up Girls in a Dungeon Familia Myth: Infinite Combate

A forma como o jogo se desenrola também não é propriamente o melhor, já que temos dois modos de jogo: o modo visual novel e o modo dungeon crawler. O modo visual novel já é terrível por si mesmo, porque contando a história por figuras que de vez enquanto se mexem, mas nada demais e depois ficam estáticas não é a melhor coisa do mundo. Porém, o modo dungeon crawler é bem mais interessante, já que temos um sentido de progressão: Bell apenas tem uma faca e um salto para trás, de forma a escapar dos inimigos, e não sabe nenhum feitiço. Entretanto podemos evoluí-lo ao longo do jogo conforme vamos adquirindo melhor equipamento. Aiz, por sua vez, começa forte logo no início do jogo e em níveis mais altos, além de ter companheiros durante o início do jogo consigo. Esta dualidade é bastante interessante, mas ao mesmo tempo acaba por trazer pouca substância ao jogo.

  PLAYISM faz vários anúncios através do PGS

Existe outro pormenor bastante irritante, nomeadamente, o facto de o jogo não ser assim tão longo quanto isso. Se estivermos apenas interessados em fazer a história, o jogo tem 16 capítulos, mas ao mesmo tempo acaba por ser curto devido a esses 16 capítulos traduzirem-se em apenas 6 horas de jogo. Sei que existem mais horas de jogo, através de demandas e para conseguirmos ter tudo o que existe para obter no jogo, mas, se formos a ver pelo “sumo” importante, apenas conseguimos retirar 6 horas de jogo, o que não é propriamente bom.

Is It Wrong To Pick Up Girls in a Dungeon Familia Myth: Infinite CombateIs It Wrong To Pick Up Girls in a Dungeon Familia Myth: Infinite Combate

Resta concluir que, Is It Wrong To Pick Up Girls in a Dungeon Familia Myth: Infinite Combate não é um jogo bom, nem mesmo para os fãs da franquia. É um jogo fraco, com apenas um modo de jogo animador, mas ao mesmo tempo com pouca duração, o que pode deixar aos jogadores com sabor a pouco.

Nota Final: 3/10

Is It Wrong To Pick Up Girls in a Dungeon Familia Myth: Infinite Combate está disponível para PlayStation 4, Nintendo Switch e PC

António Moura

Um pequeno ser com grande apetite para cinema, séries e videojogos. Fanboy compulsivo de séries clássicas da Nintendo.

You may also like...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *