Colecções de BD: Têm noção naquilo que editam em Portugal?

Aproveitando este lançamento em simultâneo de duas colecções de bancas de banda desenhada pela Salvat, a Coleção Integral Astérix e a Os Mais Poderosos Heróis Marvel, decidi sair do meu buraco e levantar aqui algumas questões que me atormentam.

Pelas informações que me chegaram aos ouvidos, estas duas colecções causaram algum alvoroço negativo entre os fãs, nas redes sociais.

Na colecção da Marvel a maior das críticas é por sair em português do Brasil. Mas esta colecção tem outros senãos. Ora vejamos. Ela saiu há alguns anos no Brasil, e por isso já cheira àquele requentado que temos dúvidas se ainda está bom ou se começa a cheirar a azedo. Depois porque esta apanha outra colecção Marvel, neste caso a Colecção Definitiva do Homem-Aranha o que, para quem quer fazer as duas, passa o “tombo” mensal para 48€. Há ainda a questão de o mais provável é serem sobras do Brasil. Os livros virão em condições? (Quem estiver a fazer a colecção do Homem-Aranha que comente em baixo se vêm ou não).

Mas o que mais me faz confusão é que o que gostaria mesmo de ver publicado em Portugal, era Marvel recente e cronológica. Não uma amálgama de títulos soltos, todos com mais de 5 ou 6 anos. Assim algo o que a Goody estava a fazer, mas desta vez bem feito, e não aquela confusa linha editorial, com várias histórias diferentes em continuação em cada revista e etc! Ah, e em português de Portugal, claro!

Assim, com duas colecções brasileiras diferentes, 4 livros por mês, tapa por completo a vontade de qualquer editora portuguesa em fazer isso. Por isso, mesmo que seja giro, termos de novo BD da Marvel nas bancas, há o reverso da medalha de não ser isto que queria e prejudicar que tão cedo não haja mais nada, pois cada colecção destas dura um ano e meio a terminar!

Além disso, há muito outras boas séries que a Salvat/Hachette tem e que seriam bem mais interessantes, neste momento, do que esta da Marvel e principalmente do que a do Astérix (falo mais sobre esta colecção mais abaixo).

Vejam só alguns exemplos de colecções que já saíram noutros países:

Começo com uma que deveria ser OBRIGATÓRIA!! A Espada Selvagem de Conan! Todos os dias pergunto aos meus botões: Porque é que ninguém publica Conan em Portugal!!

Outra, é a inevitável Colecção Tex Gold, que aqui o Central Comics já anunciou como partida de 1 de Abril:


Outra que teria sucesso de certeza, é a Os Grandes Clássicos da BD Erótica. A banda desenhada erótica é algo que vende sempre bem em Portugal, e esta colecção não ia ser excepção (aliás “BD erótica” foram as palavras mais procuradas no motor de busca do Central Comics, em 2019).

Uma das minha maiores tristezas foi o abandono da ASA, ao volume 18, da série de DragonBall. Mas hei! A Hachette já a publicou inteira noutros países em DragonBall: Integral, porque não traz para cá?

  Blue Exorcist vol. 19 - Lançamento

E que tal algo completamente diferente? Esta que segue é de 110 números. Mas em Portugal podia ser bem mais pequena, de 20 ou 40, que eu já ficava bem contente! 2000 AD: The Ultimate Collection

Ok, ok, se calhar as próximas três não deveriam vender um cu, em Portugal, mas um gajo pode sonhar, não?

Lefranc:

Transformers:

Rahan:

E mesmo dentro da Marvel havia duas colecções bem mais interessantes do que uma generalista como esta Os Mais Poderosos Heróis Marvel. Uma dedicada aos X-Men, e outra ao Deadpool.

Seja como for, a sair alguma destas no nosso país, que fosse no português de Portugal, por favor! Sempre!

Com tanta variedade (porque há ainda muitas mais do que aqueles que apresentei aqui), não percebo porquê insistir em Astérix de novo. Por causa de 18 páginas de extras inéditos? Além de já ser a segunda colecção Astérix da Salvat, os livros da ASA continuam todos disponíveis. Ainda para mais a tradução é a mesma (provavelmente apenas com uma nova revisão). As capas são horríveis com aquela moldura que come a arte original e a sua contra-capa básica. Os extras são uma mais-valia, mas para ser franco nem os li ainda, por isso não posso dar grande opinião sobre eles. Curioso também é o facto do formato ser igual aos da ASA (nem aqui inovaram), usa um papel mate em vez de couchê, mas de boa gramagem e qualidade e com óptima definição de impressão. Também já soube que houve pessoas a queixarem-se da colecção por começar num dos piores álbuns da série. Então queriam o quê? Este livro custa 2.99€ e por isso vai vender muito! E queriam que a Salvat desperdiçasse num dos melhores livros? Assim despacha um livro fraco com a garantia que vai vender muito! Por isso percebo a estratégia da Salvat que acho que neste caso foi bastante inteligente.

E para recordar os mais distraídos, ainda está a sair a Colecção Príncipe Valente, da Planeta de Agostini, também em português do Brasil. (Sai o n.º 24, de 82, no próximo dia 15 de Janeiro 2020).

Em suma, se por um lado gostaria que estas más escolhas do Astérix e da Marvel (pelos motivos que já referi) tivessem péssimas vendas, para perceberem os erros que foram, por outro lado, se correr mal, também impede a Salvat (ou outras editoras como a Planeta de Agostini), num futuro próximo, voltar em apostar na banda desenhada. Por isso, olha, que venha o diabo e escolha!

E vocês, qual a vossa opinião?

Dário Mendes

Dário é um fã de cultura pop em geral mas de banda desenhada e cinema em particular. Orgulha-se de não se ter rendido (ainda) às redes sociais.

You may also like...

12 Responses

  1. Angelo Santos diz:

    Excelente artigo! Quanto a colecção do Homem-Aranha, não tenho do que me queixar. Todos os volumes estão em perfeito estado. Como fã do aranhiço, não poderia estar mais satisfeito. Só tenho pena de não prolongarem a coleção para os 60 volumes como estava inicialmente previsto no Brasil. Se vende bem aqui (creio eu?) porque não prolongar a mesma? Se puder deixe a sugestão à Salvat, Hugo! Claro que preferia a coleção em PT-PT. Mas antes assim do que não ter nada publicado no nosso país (e muitos dos que se queixam talvez comprem muitas edições em inglês como eu tenho habito de fazer).
    Em relação à coleção Asterix, chegou na altura certa (pelo menos para mim). Não tenho um único livro da personagem. E como colecionador que sou, não tenho disponibilidade financeira para poder comprar todos os 38 volumes de seguida. Tenho a certeza que ainda existem muitos como eu por aí. Nunca fui fã de franco-belga. Acho que estou a começar a gostar.
    Acho que o trabalho das editoras nos últimos anos tem de ser mais valorizado. Um país como o nosso, com tiragens tão reduzias, receber todas estas coleções… Acho que é de louvar.
    Todas as editoras estão de parabéns. Até a própria Devir (passado que fique lá enterrado) parece comecar a renascer. E com duas boas séries como Paper Girls e Lazarus.
    Mas a minha editora de eleição continua a ser a G-Floy. Sempre a apostar em obras recentes e de forma inteligente. Não me canso de lhes dar os parabéns, principalmente pelo excelente trabalho feito pelo José de Freitas.

    E pronto! Que venham mais artigos assim. Aprovadíssimo. Aos grandes fãs de BD: sejam menos tóxicos e valorizem o bom trabalho que as editoras têm feito no nosso pequeno país.

  2. Angelo Santos diz:

    E já agora: era bom que Dragon Ball fosse editada novamente (mas completa). Aproveitar o bom momento de Manga que se tem feito sentir.

  3. Jose Freitas diz:

    Uma nota importante: a colecção do Homem-Aranha NÃO tem 60 volumes, os extra 20 foram cancelados TAMBÉM no Brasil, provavelmente devido à grande confusão que lá reina depois da falência da Dinap (a distribuidora nacional de bancas).

  4. Bruno Silveira diz:

    “Na colecção da Marvel a maior das críticas é por sair em português do Brasil.” – é um preconceito que existe e vai sempre existir. E pergunto: depois da falência da Urbanos, a Salvat estará interessada em aventurar-se numa coleção destas em PT-PT? E será que uma coleção Marvel – seja Aranha, X-Men, Deadpool, Avengers, whatever, em PT-PT, é rentável para a Salvat? Mas também lá está, se o público português, esquisito como é, alguns teimam em não comprar estas coleções: ou porque são em PT-BR, ou porque são demasiado generalistas, ou porque são grandes, ou porque só gosta em inglês, ou porque são caras, ou porque acha que já sai muita coisa da Marvel, etc…, não estão exatamente a dar ainda mais razões à Salvat para não publicar em PT-PT? Há que entender que ao sair estas coleções em PT-BR, a Salvat está a preencher um vazio e com um risco e um custo menores. E provavelmenteo balanço de mais de meia coleção do Aranha em andamento, deu-lhes indicadores positivos para avançar com esta coleção, nos mesmos moldes.

    “Ela saiu há alguns anos no Brasil, e por isso já cheira àquele requentado que temos dúvidas se ainda está bom ou se começa a cheirar a azedo.” – ? Claro que está bom. É papel plastificado. Não cheira a novo, mas não se degrada assim. É um papel que resiste anos. E os livros vêm todos com plástico envolvente, o que ajuda a proteger o papel.

    “Há ainda a questão de o mais provável é serem sobras do Brasil. Os livros virão em condições? (Quem estiver a fazer a colecção do Homem-Aranha que comente em baixo se vêm ou não).” – É uma coleção de livros. Mal era se os livros viessem em más condições, ainda mais com malta que faz assinatura dos mesmos. E mesmo que aconteça um caso raro de um livro vir em más condições, o lojista pode pedir para trocar e a troca é efetuada.

    “Mas o que mais me faz confusão é que o que gostaria mesmo de ver publicado em Portugal, era Marvel recente e cronológica. Não uma amálgama de títulos soltos, todos com mais de 5 ou 6 anos. Assim algo o que a Goody estava a fazer, mas desta vez bem feito, e não aquela confusa linha editorial, com várias histórias diferentes em continuação em cada revista e etc! Ah, e em português de Portugal, claro!” – eu apoio isso. Haja alguma editora com capacidade de investimento para isso e que assuma esse risco. BD em Portugal, no geral, não é propriamente um negócio altamente rentável.

    “Assim, com duas colecções brasileiras diferentes, 4 livros por mês, tapa por completo a vontade de qualquer editora portuguesa em fazer isso.” – Pode ser ou não. Diria que os públicos-alvos destas coleções grandes, das coleções com jornais ou de revistas/TPBs mensais são diferentes.

    Conan e Tex não sei se poderão chegar chegar cá em breve em PT-BR, mas será que vende?

    “A banda desenhada erótica é algo que vende sempre bem em Portugal” – tens evidências disto? Aliás, em Portugal temos algum histórico relevante de bd erótica em PT-PT?

    “A Hachette já a publicou inteira noutros países em DragonBall: Integral, porque não traz para cá?” Acho que a Hachette já não tem sede em Portugal, mas que fosse uma Panini – não sei se seria fácil negociar os direitos para cá, principalmente depois do cancelamento pela Asa. Mas eu apoiava isto e comprava. Dragon Ball em formato grande era top.

    “Ok, ok, se calhar as próximas três não deveriam vender um cu, em Portugal, mas um gajo pode sonhar, não?” – incluiria neste lote o 2000AD.

    “Com tanta variedade (porque há ainda muitas mais do que aqueles que apresentei aqui), não percebo porquê insistir em Astérix de novo. Por causa de 18 páginas de extras inéditos?” – concordo contigo, mas se a Salvat edita isto em PT-PT e com um preço similar ou até maior que os da Asa, depende da loja onde se compre, não é por causa dos extras, é porque, por mais incrível que pareça, vende e não esquecer que o objetivo de qualquer negócio é o lucro.

    “Além de já ser a segunda colecção Astérix da Salvat” – não é a 2ª, é a 3ª.

  5. xico manel diz:

    Parabéns ao CC e ao D. Mendes pelo artigo. Parabéns aos demais comentadores que, concordando ou não com o artigo, acrescentaram conteúdo e informação de forma inteligente.

    Meus 5 cêntimos
    Este tipo de coleções são dirigidas a:
    * pessoal com dinheiro, ou seja 30, 40 ou mais anos de idade
    * o pessoal dos 40/50 anos, cresceram a ler Disneys em PT-BR e nem sequer pensavam nisso
    * como qualquer investimento, têm de dar lucro
    * se esse lucro for um mero acrescento ao lucro da edição no Brasil, é possível que não haja mais coleções desta forma
    * se a distribuição em Portugal representar a diferença entre ter lucro na edição da coleção (Brasil = a não lucro/ou pouco) ou (Brasil + Portugal = lucro que se veja) é possível que recebamos mais coleções deste tipo e desta forma

    Opinião pessoal
    * coleções actuais
    – Principe Valente – comecei a coleção do Manuel Caldas e comprei enquanto foi o MC a editar em PT e não tive nem tenho interesse em fazer a coleção actual da P Agostini, simplesmente porque não é BD da minha preferência
    – Homem Aranha – sempre foi personagem de que gostei, mas não o suficiente para fazer uma coleção de 40 titulos
    – Mais Poderosos da Marvel – Ainda tenho livros para ler da ultima coleção Marvel da P Agostini e nunca fui à bola com “telenovelas” que é aquilo que na realidade penso da edição Marvel/DC (acrescente-se esta resposta à do Aranha acima)
    – Asterix – tenho todos os albuns da dupla Gosciny/Uderzo e nunca me interessaram os do Uderzo a solo, pelo que esta coleção também me passa ao lado.

    Pedidos/Desejos (limitados aos referidos neste post)
    * Conan
    * TEX
    * Erótica

  6. Dário Mendes diz:

    Eu não tenho redes sociais porque aborrece-me discussões e etc, mas como este artigo me é muito querido, gostaria de responder algumas coisas. Mas antes disso queria só mencionar uma coisa que me olvidei no artigo, que era referir a colecção Star Wars da Planeta de Agostini. Independentemente da qualidade da tradução e balonagem, lançar uma colecção de 70 números em português de Portugal, foi obra.

    Disto isto, quando referi que a colecção pode começar a cheirar a azedo não era pela questão dos livros estarem velhos, mas sim pelo facto que não conterem histórias dos últimos 6-7 anos, coisa que seria bem mais interessante.

    Eu sei que se pode devolver os livros para serem substituidos, mas é chato estar a mandar para trás, pelo trabalho que dá, etc. Eu não gosto.

    Tex talvez não vendesse tão bem, mas não tenho dúvidas quanto a Conan e à BD erótica. Esta última sim, tenho evidências. Tudo que é BD erótica vende bem. Manara, Serpieri, Crepax, são autores com vendas garantidas.

    E por fim, a Salvat faz parte do grupo Hachette, por isso…

  7. Bruno Silveira diz:

    “Disto isto, quando referi que a colecção pode começar a cheirar a azedo não era pela questão dos livros estarem velhos, mas sim pelo facto que não conterem histórias dos últimos 6-7 anos, coisa que seria bem mais interessante.” – as coleções deste género da Salvat, Eaglemoss, etc…, por norma não costuma incluir material muito recente, provavelmente para não interferir com o mesmo material lançado também recentemente pelas editoras nacionais.

    ” Eu sei que se pode devolver os livros para serem substituidos, mas é chato estar a mandar para trás, pelo trabalho que dá, etc. Eu não gosto.” – a ideia que eu tenho é que são raros os casos em que tem que se pedir para substituir o exemplar.

  8. Nuno Leao diz:

    Basta olhar para a ficha técnica para se ver que os livros não são restos. Foram impressos em Barcelona. Poupar, poupou-se na tradução. Pessoalmente, e depois de ter assinado a anterior colecção da Salvat, a esta vou dar um cartão amarelo. Poderei comprar alguns volumes, mas não vou assinar, até como modo de demonstrar que não está bem mandar em PT-BR, senão passariam sempre a fazer isso. Prefiro em valorizar as editores que correm maiores riscos, como a G-Floy ou a Levoir.

  9. Fábio Morais diz:

    Eu comprei o primeiro, o dos vingadores, mas não devo continuar. Estou a fazer a do homem-aranha já. Eu cheguei a devolver 3 liveos do aranha, até agora 🙁

  10. Manuel diz:

    “Até a própria Devir (passado que fique lá enterrado) parece comecar a renascer. E com duas boas séries como Paper Girls e Lazarus”

    Não é bem assim Walking Dead e os Criminosos do Sexo já é da “Nova” Fase

    Claro que são sobras no máximo fizeram novas lombada com o mesmo miolo esquema muito utilizado pela Abril/cj,
    Dizer que é imprimido em Espanha não prova nada todas, coleçoes Salvat/Hachett saem de la em diversas linguagens menos pt-pt na Marvel,mas para Astérix já sai pt.pt ate porque foi uma que falhou no Brasil senão até essa era pt-br ,
    Não assinei nem é pelo conteúdo que ate tem bom conteúdo clássico da Marvel,para isso tinham que ter conteúdo 90% novo como na gn Salvat preta e sem capas genéricas e nada a ver com o conteúdo,talvez compre uma ou outra dessas,mas pelo elevado numero de bds fracas/repetidas sem interesse.
    Das sugestões só compraria Dragon Ball e Transformers,e talvez do Juiz.

    “Diria que cresceram a ler disneys com origem no Brasil e não ficaram traumatizados com isso”

    Queres dizer Marvel/dc/image/Dark Horse ou lias assim ou nao lias,Disney saia em pt-pt desde o inicio da Década de 80.

  11. Manuel diz:

    E talvez X-men.dependia muito do conteúdo e não da lombada.

  12. Xico Manel diz:

    Estas coleções são dirigidas a pessoal com dinheiro, 30 ou mais anos para cima.
    Diria que cresceram a ler disneys com origem no Brasil e não ficaram traumatizados com isso
    Diria também que é prefirivel que haja excesso (que permite ao leitor/comprador a decisão de escolha) do que não haja nada

    Por várias razões, não aderi a estas coleções em curso.
    Mas comprava de certeza algumas das referidas pelo Dário Mendes
    – Conan
    – Tex
    – erótica

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *