O Cinema Passos Manuel é assombrado com “Passos no Escuro”

O Cinema Passos Manuel inicia a série de ciclos  – Passos No Escuro – dedicados ao cinema de culto com a exibição do primeiro de 4 filmes do mestre do terror, Dario Argento, em pleno Halloween, no dia 30 de Outubro.


A partir dessa data, todas as quartas-feiras vão ser dedicadas a Passos no Escuro, onde cada sessão pretende mostrar filmes cujo legado se mantém dentro da cultura pop, ao mesmo tempo que se dá uma segunda vida a títulos que merecem ser descobertos. Tudo isto, mantendo uma tónica comum – a diversão.

Esta é a garantia de José Santiago, co-autor dos podcasts Spinoff e Filmes do Ano, membro da Rádio Universidade de Coimbra e colaborador do magazine Arte-Factos, que afirma “A nostalgia é uma coisa muito bonita, dá ótimas t-shirts e canecas de trazer pelo escritório, mas quantas vezes já pegaram em filmes com 20/30 anos de fama e deram por vocês a pensar porque raio são tão acarinhados? A explicação pode não precisar de uma palestra de 2 horas, resumindo-se apenas duas palavras – experiência coletiva.”

Decidido a resgatar o potencial de convívio destas experiências, José Santiago acrescenta que “a maioria destes filmes não foram pensados para serem vistos na solidão da sala de estar, mas para serem vividos com uma plateia, onde cada riso é contagiado pelo próximo e cada susto pode intensificar a experiência do seguinte.”

Sobre o Cinema Passos Manuel como espaço ideal para Passos No Escuro, José Santiago diz ainda que “O cinema comercial, ou o dito cinema de género, não tem de ser um demónio dentro dos circuitos independentes, e nestes, deve ser encarado de forma descomprometida. Há que dar uma nova oportunidade em sala a filmes que, dentro da sua função lucrativa, foram (ou continuam a ser) veículos de autor e transgressivos na sua natureza. Se adicionarmos um sistema de som digno e um ecrã no formato pensado pelo autor, temos uma oportunidade única para a nostalgia se tornar presente.”

Passos no Escuro apresenta: CICLO DARIO ARGENTO

Todas as quartas-feiras
De 30 de Outubro a 20 de Novembro
Cinema Passos Manuel- Porto

A par com Mario Bava e Sergio Leone, Dario Argento é um dos três grandes autores italianos do cinema de género. Um mestre do sub-género Giallo, deixou marcas estilísticas bem fortes também fora desse contexto, marcas que ainda hoje perduram nas obras de Nicolas Winding Refn (Drive) e Wes Anderson (Grand Budapest Hotel). Já dentro do cinema de terror, é difícil não encontrar um autor que tenha sido influenciado, desde John Carpenter (Halloween) a Eli Roth (Hostel), passando por James Wan (Saw) e Ari Aster (Midsommar).

Sempre elevou a estética acima do conteúdo narrativo, desenhando cenas elaboradas de violência e deixando de lado as amarras da lógica, não sendo (mesmo assim) o exemplo mais extremo desta escola. Como acontece em muitos dos filmes italianos “exploitation”, o elenco é composto por atores de várias nacionalidades, sendo posteriormente dobrados em inglês. Sempre que possível, escolhemos manter a versão dobrada com legendagem em português, já que apesar de serem produções italianas, há um encanto natural na dobragem, o que ajuda também a perceber o esforço de aproximação a Hollywood, que é completamente assumido. No entanto, sempre que a versão integral do filme for comprometida por esta escolha, ele será exibido em Italiano.

Não se pode deixar também de mencionar a importância da banda sonora dentro dos filmes do autor, sendo que as imagens são tão memoráveis como a música que as acompanha. Dario Argento escolheu Claudio Simonetti e a sua banda de rock progressivo Goblin, para aquele que é considerado o seu período mais criativo, e estas colaborações ecoam na história do cinema de tão eficazes e certeiras que se provaram.

  Que se sentou no "trono" das bilheteiras?

Neste ciclo vamos deixar Suspiria de fora, uma obra que recentemente foi readaptada por Luca Guadagnino (Call Me By Your Name) e vamos focar-nos em títulos menos explorados. Assim, para marcar bem a proximidade do Halloween, apresentamos já a partir de dia 30 de Outubro um ciclo dedicado ao Cinema de Dario Argento.

30 de Outubro – O Mistério da Casa Assombrada (Deep Red / Profondo Rosso) // 1975 // 127min.

Um pianista inglês a viver em Roma testemunha o brutal homicídio da sua vizinha, uma conhecida psíquica. Com a ajuda de uma jovem e persistente repórter, e usando métodos pouco convencionais, o par segue um rasto de pistas alucinantes e vê-se envolvido numa teia de demência, selvajaria e violência interminável.

Com David Hemmings (Blow Up) e Daria Nicolodi (Phenomena, Tenebre) nos principais papéis, O Mistério da Casa Assombrada é considerado, tanto por fãs como pela crítica, a verdadeira obra-prima de Dario Argento. É também este o filme que marca a primeira colaboração entre o autor e os Goblin, que assinam aqui a banda sonora.

6 de Novembro – Ténebre (Tenebrae) // 1982 // 101 min.

O mestre do terror italiano, Dario Argento, traz-nos um thriller incrivelmente orquestrado, inventivo e arrepiante sobre Peter Neal (Anthony Franciosa), um escritor de romances policiais americano que chega a Roma para promover o seu último livro, Tenebre. Mas uma bizarra sequência de chocantes homicídios ocorre logo após a sua chegada, estranhamente semelhantes aos crimes descritos no seu livro, e ele próprio torna-se objecto das mais horríveis ameaças. Embora a polícia esteja incrédula e confusa, Neal decide envolver-se na investigação com a ajuda do seu agente.

Com uma arrepiante banda sonora de Goblin (mais tarde aproveitada pelos franceses Justice no tema Phantom II), Tenebre é um clássico de corrupção sexual, selvajaria sangrenta e genialidade cinematográfica. Talvez a obra mais pessoal do realizador, no sentido em que a personagem principal é acusada de muitas das mesmas coisas que na altura acusavam Dario Argento.

13 de Novembro – Phenomena // 1985 // 116 min.

Prepare-se para um dos mais originais filmes de Dario Argento, um épico insano de horror, sobrenatural e carnificina. A jovem Jennifer Corvino (Jennifer Connelly) é enviada para um colégio interno de raparigas na Suíça, onde faz duas surpreendentes descobertas: o seu poder telepático de comunicar com insetos e o rasto sangrento deixado por um assassino com uma lâmina.

Conseguirá um amável professor (Donald Pleasence) guiar o seu dom de forma a travar o banho de sangue do psicopata?

Com uma poderosa banda sonora de Goblin, Bill Wyman, Iron Maiden e Motorhead, Phenomena é um filme chocante, que se mantém entre os favoritos dos fãs de Argento e como um dos mais inovadores filmes de horror dos anos 80.

20 de Novembro – Terror na Ópera (Opera) // 1987 // 107 min.

Uma variação do mito criado em O Fantasma da Ópera, trazido ao grande ecrã no estilo inconfundível de Dario Argento, de estética rebuscada, cenários barrocos e orgia de cores. Cristina Marsillach é Betty, uma jovem cantora de ópera, que vê a sua grande oportunidade quando substitui a vedeta da encenação de Macbeth, e se torna no objeto de adoração e perseguição de um psicopata.

Encontramos aqui o ponto alto da reflexão de um cineasta diante do seu público. O filme pode ser encarado como um acerto de contas com o passado, uma experiência (bem sucedida) de transgressão e um tratado sobre a mente humana que, de alguma forma, carrega algo de filmes como Trágica Obsessão, de Brian de Palma, e A Tortura do Medo, de Michael Powell. As comparações não podiam ser menos elogiosas, isto porque a “ópera” maluca de Argento merece um lugar entre os melhores filmes de sua carreira.

Hugo Jesus

Co-criador e administrador do Central Comics desde 2001. É também legendador e paginador de banda desenhada, e ocasionalmente argumentista.

You may also like...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *