Central Comics

Banda Desenhada, Cinema, Animação, TV, Videojogos

Jogos: Análise – Space Invaders Invincible Collection

1978. As arcadas recebem máquinas prontas a estrear o jogo que definiria o género shoot ‘em up. 2021. As arcadas são raras mas a invasão alienígena continua. Prontos para Space Invaders Invincible Collection?

Space Invaders Invincible Collection, uma compilação de 10 jogos da famosa saga, é lançada mundialmente após mais de um ano da sua estreia no Japão. Esta colecção oferece Space Invaders, Space Invaders (Color Version), Space Invaders II, Lunar Rescue, Space Cyclone, Majestic Twelve: The Space Invaders Part IV, Super Space Invaders ‘91, Space Invaders DX, Space Invaders Extreme e Space Invaders Gigamax 4 SE. 

Quase todas as entradas da colecção oferecem duas formas de jogar: Normal e Challenge, sendo este segundo modo baseado em propostas de pequenos desafios, como não ser atingido ou eliminar inimigos específicos. Além disso, é possível jogar grande parte dos jogos com a Switch na vertical quando em modo portátil, permitindo uma aproximação aos longos ecrãs das arcadas. 

Mas será que esta compilação basta para manter um clássico vivo ou os tempos de glória de Space Invaders ficaram nas arcadas? 

No que conta à colecção em si, a componente histórica fica um pouco aquém. A Invincible Collection limita-se a apresentar um pequeno comentário contextual para cada jogo, com informação facilmente retirada do primeiro parágrafo da página da Wikipédia correspondente. Longe vão os tempos em que colecções de jogos tinham uma componente “museu”, e podíamos ver conteúdo relacionado com os jogos nunca antes visto, ou ler factos nunca antes sabidos.  

A experiência a nível de jogo, no geral, é bastante repetitiva. Dos dez jogos disponíveis, oito são praticamente idênticos, cópias do Space Invaders original que simplesmente variam o grafismo e acrescentam pequenos pormenores como inimigos que se multiplicam ou selecção do cenário.  

Lunar Rescue é o único jogo entre os clássicos que realmente proporciona ao jogador uma experiência diferente. No meio de tanto jogo igual, Lunar Rescue brilha por apresentar uma jogabilidade simples mas que requer um pouco mais estratégia do que apenas disparar e sobreviver. O objectivo é aterrar um foguetão incólume e, após resgatar um civil, regressar à nave-mãe, disparando sobre quem se cruzar no caminho. O ciclo de jogabilidade é divertido, e apresenta um desafio interessante.  

Mas o jogo que realmente se destaca é Space Invaders Extreme. Colorido, caótico e dinâmico, este título lançado em 2008 para a Nintendo DS e PSP ganha por oferecer uma sobrecarga sensorial ao jogador. Com um modo de campanha que ramifica consoante a pontuação, o jogo é um frenesim de inimigos com diferentes ataques, power-ups que realmente fazem a diferença e níveis sempre encabeçados com bosses que requerem diferentes abordagens. Tudo isto ao som de uma banda sonora electrónica que casa na perfeição com os tiros ritmados da nave, e que é muito bem-vinda após tantas versões do jogo sem qualquer melodia para nos distrair. E se por um lado a falta de música permite um reviver fiel de cada jogo original, por outro mostra a idade dos mesmos, já um pouco desenquadrados com as explosões sensoriais a que os jogos de hoje em dia nos habituaram. 

Quanto ao modo multi-jogador, este surge na forma de leaderboards, jogabilidade à vez nalguns jogos e, na sua plenitude, no jogo Space Invaders Gigamax 4 SE, que não é mais do que o jogo original expandido em modo widescreen para 4 jogadores. E digo “para 4” e não “para até 4” porque seja qual for o número de jogadores, o jogo não muda, tornando a experiência para 1 ou 2 jogadores bastante desequilibrada e frustrante. Jogado a 3 ou 4 jogadores, até pode criar um ambiente engraçado, mas a sua curta duração de apenas três níveis facilmente deixará muito a desejar.

O valor de Space Invaders é indubitável, e Space Invaders Invincible Collection é uma colecção que certamente agradará fãs do género e da franquia, mas não deixará novos jogadores entusiasmados. As primeiras horas são divertidas, motivadas pela curiosidade, e certamente mais bem aproveitadas numa consola portátil, mas rapidamente a experiência torna-se repetitiva e damos por nós a recorrer a um ou outro jogo que se destaca. 

Nota: 6.5/10 

Space Invaders Invincible Collection está disponível para a Nintendo Switch.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *