Revelado mais um autor convidado do AmadoraBD 2019

Mudanças positivas estão a aparecer no Festival internacional de Banda Desenhada da Amadora, pois já se sabe, a quatro meses do evento, o nome do tereceiro convidado internacional.

Assim sendo, a direcção do AmadoraBD, convidou o Clube Português de Banda Desenhada para, em parceria, promover e apresentar uma exposição e presença de um autor internacional. A escolha recaiu em Alfonso Font (Barcelona, 1946).

Alfonso Font estudou Belas Artes (desenho e pintura), onde ele fez o seu primeiro contacto com um editor, Editorial Bruguera. Em 1962, Font começou a trabalhar como aprendiz no seu departamento de design gráfico. Em Bruguera ele trabalhou principalmente em ilustrações a preto e branco para romances de grande tiragem, que eram a especialidade desta editora. Mais tarde, foi contratado como artista para a revista Toray, onde publicou as suas primeiras bandas desenhadas nas revistas “Hazañas del Oeste” e “Sioux”. Trabalhou lá por vários anos antes de tentar conseguir um emprego, com uma das agências profissionais em Barcelona que lidava com editoras estrangeiras, principalmente em Inglaterra e nos Estados Unidos.

No final da década de 1960, Font começou a trabalhar para uma editora norte-americana através da agência, Selecciones Ilustradas. No início dos anos 1970, através de outra agência em Barcelona chamada Bardon Art, ilustrou a sua primeira série de BD, com uma personagem principal chamada Black Max, para a editora inglesa Fleetway.

Em 1972, mais uma vez através de Selecciones Ilustradas, ilustrou a série chamada “Geminis” escrita por Carlos Echevarría, e que tratava de histórias de espionagem ambientadas na Primeira Guerra Mundial. Depois de completar o número de episódios para o qual foi contratado, surgiu a oportunidade de colaborar com os franceses Editions du Vaillant. Lá, ilustrou histórias escritas pelo roteirista Patrick Cothias que foram publicadas na revista “Pif”. Acabou por se mudar para Paris e nos dois anos seguintes publicou a série “Sandberg, Pere et Fils.” A editora francesa, no entanto, abandonou a série porque o consideravam incompatível, já que “Pif” era uma revista voltada para jovens.

Carmen Bond

Carmen Bond

De volta a Barcelona, Alfonso Font continuou a colaborar com a editora francesa, desenhando uma nova série, Les Robinsons de la Terre, que foi escrita por Roger Lecureux. Esta série também não durou muito devido a sérios desentendimentos entre o argumentista e o artista.

O seu trabalho seguinte foi com a revista informativa e de notícias “La Calle”, em Espanha, onde publicou duas páginas de BD por semana, com a personagem feminina politicamente ativa “Tequila Bang”. Desta vez, o roteiro foi escrito pelo já famoso escritor espanhol Víctor Mora.

  Riad Sattouf disponibiliza pranchas de BD para colorir!

Finalmente em 1980, Alfonso Font começa a trabalhar em seus próprios roteiros que deram origem a várias séries e personagens que lhe deram reconhecimento internacional. Estes incluem “Contos de um Futuro Imperfeito”, “Dark Stories” e “Clarke & Kubrick”.

Para a Norma Editorial, ele criou a série de ficção científica “Prisioneiro das Estrelas”, bem como “Taxi”, sobre um repórter de ivestigação que trabalha para uma agência internacional de notícias, e “Privado”, uma coleção de histórias de detetives surpreendentes. Estes foram seguidos por “Jon Rohner”, uma série de histórias sobre um marinheiro no final do século XIX que faz amizade com Robert Louis Stevenson, que também aparece como personagem. Depois vem “Bri d’Aub”, o primeiro álbum sobre as cruzadas contra os heréticos Cathars of Occitania. Font também criou “En busca do Cimoc perdido” e “Federico Mendelssohn Bartholdy vs. Dr. Fut Maun Chut”.

Naquela época, ele também criou um número indeterminado de contos em preto e branco, como “El As Negro”, “Dios Lo Quiere”, ”Etc., sem mencionar o álbum“ Barcelona al Alba (Barcelona ao amanhecer)”, criado em colaboração com o roteirista Juan Antonio De Blas, baseado em eventos reais que ocorreram em Barcelona em 1925.

Barcelona at Dawn

Barcelona at Dawn

Mais uma vez assumindo o faroeste, com o qual iniciou a sua carreira profissional, colabora com Bonelli Editore na Itália, ilustrando histórias de “Tex”, cujos roteiros foram escritos por Mauro Boselli.

A publicação e outros direitos de media de todas as obras de Alfonso Font são representados exclusivamente no mundo inteiro pela SAF (Strip Art Features). Ele acaba de completar um álbum para a SAF, que é dedicado às crianças e intitulado “Shelter for Lost Dreams”. Além disso, ele recentemente começou a trabalhar em uma nova série de suspense / aventura para a SAF, que é novamente baseada na sua amada Barcelona.

Pelo seu trabalho em banda desenhada, Alfonso Font recebeu uma série de prémios internacionais, incluindo o estimado prémio “Yellow Kid” em 1996.

Alfonso é feliz e casado com Pili, o amor de sua vida, e têm uma filha, Anna.

Fonte: Site oficial do autor


A Morte Viva e Comanche (Análise BD)

Hugo Jesus

Co-criador e administrador do Central Comics desde 2001. É também legendador e paginador de banda desenhada, e ocasionalmente argumentista.

You may also like...

3 Responses

  1. MNRG diz:

    FAKE NEWS!!
    desde Abril que a MMMNNNRRRG já anunciou dois autores finlandes para a Amadora:
    https://gentebruta.blogspot.com/
    boas férias

  2. Hugo Jesus diz:

    Há outras formas de poder contestar a veracidade das notícias, mas tudo bem, vamos corrigir a informação.

  3. Cesário diz:

    Mudanças na edição deste ano? Zero!! Os autores convidados internacionais continuam a não ter obra publicada em Portugal e a ser maltinha ganzada BFF do arqui inimigo dos Patos Sem Cuecas

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *