Central Comics

Banda Desenhada, Cinema, Animação, TV, Videojogos

Os vencedores dos Oscars

Hollywood parece recuperar da pandemia.
Com a reabertura dos cinemas norte-americanos, começaram a surgir os primeiros êxitos de bilheteira do ano, ou melhor, desde 2019 que não assistíamos a números tão optimistas.

Em tempos de pandemia foi difícil produzir cerimónias de entrega de prémios sem falhas. Agora, a cerimónia dos Oscars teve o toque cinematográfico e grandioso, que Hollywood já nos tinha habituado. É o sinal que indica o regresso do cinema! O anúncio do Oscar para Anthony Hopkins terá sido o twist final de um argumento em que o herói esperado (Chadwick Boseman) não recebe o prémio e o final anticlimax acontece sem discurso do premiado.

Nomadland – Sobreviver na América foi o vencedor da noite, ao arrecadar as importantes categorias de Melhor Filme, Melhor Realização e Melhor Actriz. Chloé Zhao venceu o prémio de Melhor Realização, e é apenas a segunda vez que, em 93 anos de História, os Óscares entregam este prémio a uma mulher. A primeira, Kathryn Bigelow, foi só em 2010 por Estado de Guerra.

Frances McDormand foi pela terceira vez distinguida com o Oscar de Melhor Actriz, desta vez pela sua interpretação em Nomadland – Sobreviver na América, O primeiro Oscar conquistou-o em 1997, com Fargo, de Joel e Ethan Coen, e o segundo com Três Cartazes à Beira da Estrada, de Martin McDonagh​
Mank era filme mais nomeado, indicado em dez categorias, mas terminou a noite mais longa de Hollywood apenas com duas estatuetas.
Anthony Hopkins recebeu o prémio de Melhor Actor pela sua interpretação em O Pai, filme que ainda recebeu o Oscar para Melhor Argumento Adaptado.

Judas and the Black Messiah

Judas and the Balck Messiah venceu o prémio para Melhor Actor Secundário (Daniel Kaluuya) e de Melhor Canção (Fight For You).  Soul – Uma Aventura com Alma também terminou a noite com dois prémios, Melhor Filme de Animação e a Melhor Banda Sonora Original. Yuh-Jung Youn da Coreia do Sul fez história ao receber o Oscar de de Melhor Actriz Secundária pelo seu papel como a travessa mas sábia avó Soonja no drama familiar Minari, o seu filme americano de estreia.
Emerald Fennell ganhou o Oscar de Melhor Argumento Original pela sua estreia na realização em Uma Miúda com Potencial.
A Dinamarca garantiu o seu quarto Oscar, desta vez Mais Uma Rodada de Thomas Vinterberg venceu o Oscar de Melhor Filme Internacional.

Thomas Vinterberg com o Oscar

Com os prémios distribuídos pelos principais filmes nomeados, Os 7 de Chicago foi o único dos oito nomeados para Melhor Filme a não receber qualquer estatueta dourada.


Premiados na edição 93 dos Oscars:

Melhor Filme: Nomadland – Sobreviver na América

Melhor Realização: Chloé Zhao Nomadland – Sobreviver na América

Melhor Actor: Anthony Hopkins O Pai

O Pai

Melhor Actriz: Frances McDormand Nomadland – Sobreviver na América

Melhor Actor Secundário: Daniel Kaluuya Judas and the Black Messiah

Melhor Atriz Secundária: Youn Yuh-jung Minari

Melhor Argumento Adaptado: Florian Zeller e Christopher Hampton O Pai

Emerald Fennell

Melhor Argumento Original: Emerald Fennell Uma Miúda com Potencial

Melhor Direção de Fotografia: Erik Messerschmidt Mank

Melhor Filme Internacional: Druk – Mais Uma Rodada (Dinamarca)

Melhor Documentário: My Octopus Teacher (Pippa Ehrlich, James Reed e Craig Foster)

Melhor Documentário de Curta-Metragem: Colette (Anthony Giacchino e Alice Doyard)

Melhor Curta-Metragem: Two Distant Strangers (Travon Free e Martin Desmond Roe)

Melhor Curta-Metragem de Animação: If Anything Happens I Love You (Will McCormack e Michael Govier)

Melhor Filme de Animação: Soul – Uma aventura com Alma

Soul – Uma Aventura com Alma

Melhor Montagem: Som do Metal (Mikkel E. G. Nielsen)

Melhor Cenografia: Mank (Donald Graham Burt, Jan Pascale)

Melhor Maquilhagem e Cabelo: Ma Rainey: A Mãe do Blues (Sergio Lopez-Rivera, Mia Neal e Jamika Wilson)

Melhor Banda Sonora Original: Soul – Uma Aventura com Alma (Trent Reznor, Atticus Ross e Jon Batiste)

Melhor Canção: Fight For You (H.E.R., Dernst Emile II, Tiara Thomas) – Judas and the Black Messiah

Melhor Som: Som do Metal (Nicolas Becker, Jaime Baksht, Michelle Couttolenc, Carlos Cortés e Phillip Bladh)

Melhores Efeitos Visuais: Tenet (Andrew Jackson, David Lee, Andrew Lockley e Scott Fisher)

O actor, realizador, produtor e argumentista Tyler Perry recebeu o Prémio Humanitário Jean Hersholt, que distingue membros da indústria cinematográfica que contribuam de forma significativa para causas humanitárias. Perry foi homenageado pelo seu envolvimento activo com a filantropia e empreendimentos de caridade nos últimos anos, incluindo apoio aos sem abrigo e todos aqueles que enfrentam dificuldades económicas. Este apoio resulta do envolvimento com Motion Picture & Television Fund, que presta serviços de alívio e ajuda emocional e financeiro que oferece aos membros da indústria do entretenimento

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *