Jogos: Synthetik: Ultimate – Análise

Synthetik: Ultimate

Synthetik: Ultimate chega a disparar para todos os lados. Mas será um tiro certeiro?

Quando digo “chegou a disparar para todos os lados”, não estou propriamente a brincar. A realidade é que Synthetik: Ultimate tenta dar-nos um jogo de tiros frenético com uma visão vista de cima (aquela visão que podemos chamar de “visão de pássaro”). Se é possível fazer tal coisa? Sim é. Se fizeram de forma correta? Definitivamente não.

Para começar, o jogo tem várias dificuldades que podemos alternar entre elas a nosso belo prazer. Conceito interessante, mas, acaba por ser uma parvoíce autêntica já que não existe efeito de progressão. Melhor, logo a seguir ao tutorial somos atirados para a ação, o que é normal. O que não é normal é começarmos logo numa dificuldade absurda quando ainda estamos a ganhar ritmo de jogo. No fundo, acaba o tutorial e levamos logo com uma bala no meio da cabeça (sim, porque os desenvolvedores orgulham-se de terem trazido pela primeira vez o tiro na cabeça para este tipo de visão de jogo).

Synthetik: Ultimate

Por outro lado, é hilariante o facto de nos cativarem a experimentar e a darem-nos liberdade. Podemos escolher a forma como queremos jogar: se vamos ser táticos, se vamos deixar as torres fazerem o nosso trabalho ou se vamos entrar em fúria pelo local adentro. Portanto, se quisermos podemos nem jogar. Aliado ao facto de os inimigos parecerem que aprendem tudo, acabamos por ter de utilizar várias destas táticas ao longo dos níveis. O problema é que se existe alguma tática especifica que podemos e devemos usar, o jogo vai acabar por nos mostrar isso, estragando toda a experiência e liberdade.

  Caligula Effect 2 chega ao Ocidente no outono de 2021!

Em termos gráficos, não há muito para dizer. Como é um jogo que a maioria do tempo se passa num ritmo frenético, os gráficos apresentados em alta definição têm o menor impacto possível. Agora, quanto à durabilidade do jogo é alta…sim, porque vão ficar aborrecidos de jogar e acaba por até ser penoso avançar no jogo. Logo, como vão querer partir para outras aventuras e deixar este de lado, pegando nele quando sentimos algum desespero por não sabermos o que jogar, acaba por ser longo. Se quisermos ser sérios, diria que oito a dez horas será o suficiente para completar o mesmo.

Synthetik: Ultimate

Resta concluir que, Synthetik: Ultimate é um tiro falhado. Com uma ideia de jogo fantástica, acaba por se perder na pobre execução. Uma opção a evitar.

Nota Final: 2/10

Synthetik: Ultimate está disponível para PC. Chega a 16 de dezembro à Xbox One e Nintendo Switch. Versão PlayStation 4 em breve.

Distribuidor: Flow Fire Games

António Moura

Um pequeno ser com grande apetite para cinema, séries e videojogos. Fanboy compulsivo de séries clássicas da Nintendo.

You may also like...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *