Jogos: Oceanhorn 2: Knights of the Lost Realm – Análise

Oceanhorn 2: Knights of the Lost Realm

Oceanhorn 2: Knights of the Lost Realm chegou á Nintendo Switch, depois de uma breve passagem no iOS. Será que foi uma boa ideia trazer um RPG de ação e aventura para a plataforma da Nintendo?

Temos de ser realistas, o grande RPG de ação e aventura em todas as consolas Nintendo é a série The Legend of Zelda e, quando o primeiro Oceanhorn chegou no início de vida da Nintendo Switch, sabia um pouco a uma homenagem a esta série. No entanto, o que fizieram em Oceanhorn 2: Knights of the Lost Realm deixa de parecer uma homenagem, mas sim, uma cópia em menor escala de The Legend of Zelda: Breath of the Wild.

Passado um milénio depois do jogo original, neste seguimos a aventura de um jovem guerreiro que deve defender o povo de Arcadia da formidável Dark Army. Com vários aliados, este segue numa aventura com armas cibernéticas e magicas por Gaia, podendo voar, navegar e até andar debaixo de água. Onde já vimos algo semelhante? Exatamente! Não existe muito por onde fugir, incluindo o aspeto da personagem que faz lembrar muito Link na sua versão Champion.

Oceanhorn 2: Knights of the Lost Realm

A nível de jogabilidade também existe pouco que se possa dizer, utilizamos várias armas e várias habilidades para nos aventurar por Gaia enquanto completamos missões. Sim, as paisagens de Gaia são belas e, a certo ponto, acaba por fugir um pouco do que vemos na franquia da Nintendo. No entanto, também sentimos que é familiar em alguns momentos e especialmente nas missões que fazemos. Até a forma como manejamos a nossa espada é similar, mesmo que não tenhamos tantos poderes como aqueles que Link utiliza.

  Jogos: Bridge Constructor: The Walking Dead - Análise

Por outro lado, a nível gráfico é um jogo fraco, não existe forma de contornar isso. Nota-se perfeitamente que é um jogo inicialmente desenvolvido para plataformas mobile e, por muito que tenham tentado mudar isso é impossível não reparar em tal pormenor. Também devemos ter em conta que o som não é o melhor, já que chega a ser incomodativo. Gostaria também de referir que, para pena minha existe pouco para explorar mesmo com tantas e variadas missões. Ao fim de 20 horas (tirar e por, completei o jogo em cerca de 11), temos o jogo completo o que acaba por saber a pouco de certa forma.

Oceanhorn 2: Knights of the Lost Realm

Resta-me apenas concluir que, Oceanhorn 2: Knights of the Lost Realm é um jogo fraco, com uma premissa que acaba por copiar um grande jogo, mas da forma erra. Quando a fórmula é correta, mas, ao mesmo tempo tentamos utilizá-la imenso, acabamos sempre por falhar. Um jogo a evitar.

Nota Final: 4/10

Oceanhorn 2: Knights of the Lost Realm está disponível para Nintendo Switch e iOS

Publicador/Desenvolvedor: Cornfox & Bros.

António Moura

Um pequeno ser com grande apetite para cinema, séries e videojogos. Fanboy compulsivo de séries clássicas da Nintendo.

You may also like...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *