Central Comics

Banda Desenhada, Cinema, Animação, TV, Videojogos

Jogos: Disgaea 6: Defiance of Destiny – Análise

A série Disgaea reencarna na Nintendo Switch que, pelo menos deste lado do mundo, é exclusivo da consola hibrída. No entanto, será este o grande RPG de meio do ano?

Antes demais, gostava de fazer um micro apanhado da série Disgaea. Esta franquia de RPG tácticos pode não parecer. mas já se encontra no mercado há cerca de 18 anos. Já apareceu em variadas consolas, desde propriedades da Nintendo até à Sony, passando pelos Smartphones e pelo PC. Aliás, a própria Nintendo Switch já tem mais jogos da franquia associada a ela.

Neste sexto capítulo da saga, controlamos principalmente Zed, um zombie que é demasiado orgulhoso, por causa do seu poder denominado de “Super Reincarnation”, que consiste em trazê-lo de volta ainda mais poderoso do que já era antes de morrer. No entanto, a verdade é que ninguém o leva a sério e ele quer é derrotar o Deus da Destruição e resgatar a sua irmã Bieko. Em termos de jogabilidade, é um jogo bastante táctico em que é preciso pensar no que fazer antes de atuar. Mesmo assim, a “Super Reincarnation” é a estrela do jogo, em que utilizamos mana e karma para fazer com que a personagem volte à vida e aumente as suas estatísticas e as suas habilidades. Porém, o facto de ser possível dar a volta a esta habilidade muito facilmente, faz com que o jogo possa-se tornar um pouco aborrecido, pois colocar Zed a um nível alto não é algo muito difícil, fazendo com que depois o jogo vire um pequeno passeio no parque. Não quero com isto dizer que é algo mau, mas ao mesmo tempo, chega a um ponto em que deixamos de querer jogar porque torna-se a mesma coisa a toda hora.

Graficamente, continua a ser Disgaea. Com gráficos 2D isométricos, preparem-se para ficarem encantados tanto com os vossos amigos, como com os vossos inimigos. Além disso, como é uma narrativa que apresenta vários momentos cómicos, acabamos por nos rir um bocadinho em demasia com tudo o que acontece nos cenários à nossa volta. E voltar a ver os simpáticos Prinny é tão, mas tão, relaxante. Sonoramente, é soberbo. A música é perfeita para cada local que visitamos, para cada momento que passamos e para cada luta em que vamos em frente.

Resta concluir que, Disgaea 6: Defiance of Destiny continua a mostrar a marca Disgaea ao mundo e toda a sua qualidade. Esta entrada tem um sabor a antigo mas, ao mesmo tempo, traz algo de novo, tornando-se assim um dos exclusivos da Nintendo Switch a jogar-se durante o verão.

Nota Final: 9/10

Disgaea 6: Defiance of Destiny está disponível em exclusivo para Nintendo Switch

Editora: NIS America

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *