Jogos: Análise – Override 2: Super Mech League

Override 2: Super Mech League

Em Override 2: Super Mech League controlamos vários tipos de robôs em combates de arena. Mas será este um bom jogo de luta, ou apenas um monte de ferro velho?

Explicando, primeiramente, a história do jogo que pouco ou nada influência todo o jogo, mas que, por alguma razão bastante estranha encontra-se presente e tentam tirar o maior proveito da mesma, vivemos numa Terra que foi invadida e erradicada por uma raça chamada Xenotypesthat e os robôs que eram os defensores do planeta, são agora utilizados em batalhas globais. Esta é a nossa premissa para seguirmos viagem pelos modos que nos são oferecidos para jogar ao longo desta aventura.

Override 2: Super Mech League

Digamos de passagem que, não há muito por onde fugir quando falamos nestes modos, especialmente se tivermos em conta que 99% das vezes vamos estar a jogar online. Sim, não existem modos locais para os jogadores que queiram jogar entre amigos, ou até mesmo, fazer uma partida contra o computador. Estas partidas são possíveis (as contra o computador), mas apenas se não encontrarmos nenhum adversário enquanto tentamos jogar. Quando penso num modo carreira, acabo por pensar num modo em que vamos subindo aos poucos, lutando em várias ligas, mas com uma escala de progressão. O que acontece aqui, é que realmente vamos lutando nessas ligas, mas contra jogadores reais não dando assim um sentido de progressão. Por sua vez, temos também um modo de partidas por rank. Tecnicamente, esse não seria também o modo carreira? Pois, não encontrei nenhumas diferenças entre eles.

Falando em termos de personagens e de jogabilidade, bem, estamos de prato cheio. Para começar, a jogabilidade é a de um jogo de luta normal, apenas tem o diferencial de ser jogado com os gatilhos do comando. No entanto, também convém referir que a jogabilidade é bastante repetitiva. Para ser mais fácil de entender, vou tentar explicar como funciona uma hora de jogabilidade do jogo: combate em arena, vencer ou perder, segue para o combate seguinte, e assim vai por aí fora. Porém, as arenas que encontramos ao longo do jogo são bastante atrativas, tornando-se assim um ponto forte do jogo. Falando agora das personagens, temos um pouco de tudo: temos robôs gordos, magros, altos, baixos, femininos, masculinos, rápidos e lentos. Há de tudo um pouco, mas, mesmo que tenham um estilo diferente de combate, acaba por ser a mesma coisa ao fim ao cabo. Existe apenas uma única personagem que, realmente, é muito diferente do resto. Nomeadamente, Ultraman. Ultraman é uma personagem convidada e bastante interessante de se jogar, porém, é também o grande ponto de venda do jogo. Não estivesse em todo o lado escrito na capa.

  Turrican Flashback ganha data de lançamento!

Override 2: Super Mech League

Resta concluir que, Override 2: Super Mech League é um jogo interessante a nível competitivo. No entanto, penso que deveria ser apenas um jogo grátis-para-jogar, isto porque apenas com modos online, acaba por ser difícil ser um jogo pago, onde está aplicada uma fórmula bastante replicada.

Override 2: Super Mech League está disponível para Nintendo Switch (VERSÃO TESTADA), PlayStation 4, PlayStation 5, Xbox One, Xbox Series e PC

Desenvolvedor: Modus Studios Brazil

Distribuidor: Modus Games

António Moura

Um pequeno ser com grande apetite para cinema, séries e videojogos. Fanboy compulsivo de séries clássicas da Nintendo.

You may also like...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *