Central Comics

Banda Desenhada, Cinema, Animação, TV, Videojogos

Fantasporto 2021 • 26 de Abril • Dia de Abertura Oficial

Logo na sessão de abertura, dia 26 pelas 19.30h, e como raramente tem acontecido, o Festival abre com um clássico, um filme considerado pela revista inglesa “Sight and Sound” como um dos 10 melhores da história do cinema, “Morte em Veneza” do genial Luchino Visconti. Um filme que o Festival quer homenagear, tal como o seu realizador, dado que celebra-se este ano o 50º aniversário da sua produção.

Haverá nesta abertura convidados, personalidades da cultura, da politica, da economia, pelo menos aqueles que não terão medo de entrar numa sala de cinema, nestes tempos em que vivemos.

Ficam aqui algumas notas sobre MORTE EM VENEZA:

Procurando recuperar a saúde em Veneza, o compositor Gustav von Aschenbach, no auge da sua carreira, fica obcecado pela figura de um adolescente, Tadzio, que passa férias com a família.

É difícil saber qual o elemento que transforma este filme de Luchino Visconti numa obra-prima que atravessa os tempos com admiração e perfeição. Se é a adequação da música de Gustav Mahler, intensamente poética e trágica, às personagens e história tirada do romance do alemão Thomas Mann, publicado em 1913. Ou se é o trabalho magistral de realização de Luchino Visconti ao basear a sua personagem principal precisamente em Mahler – na história original trata-se de um escritor- ao contar a obsessão do aristocrata que sabe estar a caminho da morte e sente a nostalgia de perder a visão da Beleza simbolizada pelo adolescente Tadzio. Ou até se é a própria cidade como Veneza, também ela símbolo do refinamento do passado, que se vai afundando irremediavelmente.

No protagonista, está Dirk Bogarde, um actor hoje quase esquecido, na altura um dos maiores do cinema britânico, conhecido por “The Servant, “Accident” ou “Modesty Blaise”, todos de Joseph Losey, ou “A Tale of Two Cities”de Ralph Thomas. Com ele estão Marisa Berenson, actriz de “Barry Lyndon” de Kubrick ou “Elas” de Galvão Teles, Silvana Mangano, de “Riso Amaro” ou “Dune” de Lynch, e o jovem Bjorn Andresen, no papel do enigmático adolescente, completam o elenco.

SESSÕES A CONCURSO A PARTIR DAS 13:00H

O Festival inicia-se logo pelas 13:00h com a antestreia mundial de uma longa metragem realizada no Porto de seu nome “Toponimia”

Toponímia- As Memórias do Porto de António Pinto está a concurso no Prémio de cinema português.

Pelas ruas do Porto, uma viagem num lento mas panorâmico combóio para o passado. Um legado de costumes e ofícios antigos que começaram a entrar em desuso e um documento sobre a memória coleciva do Porto, representada por Alfredo, uma personagem imaginária e onírica. A nostalgia do tempo passado em confronto com evolução do tempo, a marcar vidas.

(Título Original : Toponímia- As Memórias do Porto. País: Portugal. Realização: António Pinto. Argumento: Stephane Oliveira. Actores: Carlos Gomes, António Pinto. Duração: 82’)

Pelas 15.00hs abre a Secção Oficial Competitiva de Cinema Fantástico com o muito esperado Ten Minutes to Midnight de Erik Bloomquist, um filme vindo dos Estados Unidos no qual uma radialista com um programa nocturno, Amy Marlow, fica presa na estação com os colegas e o dono da estação, durante uma violenta tempestade e depois de ter sido mordida por um morcego com raiva. Para tudo se tornar pior, está para ser substituída no programa por uma mulher mais jovem que confronta e chega a morder. O guarda da estação está constantemente à procura de sintomas nela. Amy começa a duvidar do que vê, faz ou pensa. Com Caroline Williams (“Texas Chainsaw Massacre 2”).

Às 17.00h será a altura de ser poder ver, na Abertura Oficial da Semana dos Realizadores | Prémio Manoel de Oliveira o filme Paper Spiders de Inon Shampanier, também dos Estados Unidos, um drama sobre saúde mental, um tema extremamente actual.

Mãe e filha mudam para uma casa nova. Em breve, a mãe começa a ter problemas depois de o vizinho, Brody, ter esbarrado o carro na árvore do jardim. Num crescendo, a mulher entra numa espiral, convencida de que o vizinho as espia constantemente. A filha, além dos problemas habituais de lidar com o fim da asolescência, duvida da sanidade da mãe. Com interpretações notáveis de Lili Taylor, actriz nomeada para 3 Emmy’s, e Stephania La Vie Owen, conhecida de “The Lovely Bones”

No dia 27, terça-feira, logo às 13.30 será a vez da exibição da selecção de curtas-metragens portuguesas aqui na presença de quase todos os realizadores dos filmes, bem como das suas equipas técnicas e artísticas.

É o Fantasporto já a velocidade de cruzeiro e que nos acompanhará até ao próximo dia 4 de Maio.

Uma oportunidade para ver bom cinema e não perder nenhuma sessão, até porque, este ano, repetições não vão existir, e os filmes a apresentar terão aqui (quase todos), a única oportunidade para serem vistos em Portugal.

Bilhetes: 5€

Mais sobre o festival aqui, e visite o site oficial: Fantasporto | Festival Internacional de Cinema do Porto

Veja a entrevista que o Central Comics fez aos directores:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *