BD: Crónica – Hawkeye, um super-herói diferente

HawkeyeHawkeye é uma revista muito diferente da comum revista de super- heróis que são publicadas pela Marvel e por outras editoras. Num universo populado por génios, mutantes, imortais e seres indestrutíveis, encontramos Hawkeye, ou Clinton “Clint” Francis Barton (Gavião Arqueiro, em português), um herói com um dia a dia normal, ou mesmo banal, com uma vida recheada de pequenos acontecimentos e incidentes, mais típica de um “cidadão comum e incógnito”.[fbshare]

Em cada nova revista podemos encontramos “Clint” Barton em vez de encontrarmos Hawkeye, membro dos Vingadores.
Este é um aspecto muito relevante na avaliação do trabalho Matt Fraction e companhia, uma vez que esta série parece mais dedicada a mostrar-nos o lado mais humano de um herói sem poderes (excepto o poder de estragar todas as relações que consegue estabelecer com as varias mulheres da sua vida). Outro aspecto que diferencia esta revista é o facto de ela ter uma narrativa em forma de Puzzle, isto é: cada revista adiciona mais uma peça diferente e com novos elementos ao grande arco de historia que ainda decorre, e que na realidade ainda não sabemos muito bem aonde vai terminar.

HawkeyeMais recentemente recebemos uma revista sobre as desventuras amorosas de Clint, uma sobre as aventuras do Pizza Dog (o seu cão), outra sobre um vilão e outra sobre o irmão do Clint (estas 2 ultimas desenhadas por Francavilla). A acção não se desenvolveu muito, e todas as 4 revistas decorrem num período de 1 ou 2 dias, mas ficamos as conhecer ainda melhor as peças deste puzzle que se movimentam em torno desta personagem.

Noto ainda que Fraction não tem medo de retirar a personagem principal da revista e apresentar-nos uma historia com outras personagens relevantes para o desenvolvimento da historia, neste que é provavelmente o trabalho mais bem conseguido e mais consistente deste escritor, que actualmente também escreve Fantastic Four e FF para a Marvel.
São 2 títulos que são colocados nas lojas especializadas de forma interpolada, por isso de 15 em 15 dias temos uma nova revista do universo do Quarteto Fantástico e da sua família, mas que sofrem de um problema de inconsistência qualitativa.
Se por um lado temos algumas revistas bem pensadas e bem executadas (ao nível da escrita) temos outras que não atingem o grau da qualidade que se espera delas, de forna que cada revista é como o Bolo Rei, umas vezes sai fava e outras sai brinde…. 🙂

  O anti-herói RANDOM chega pelas mãos da Bicho Carpinteiro Edições

HawkeyeFelizmente Hawkeye não tem falhado e é uma daquelas revistas com uma qualidade inerente acima da media e que mês após mês surpreende pela sua capacidade de contar novas historias de formas diferentes, inovadoras e muito bem conseguidas.
Podemos perfeitamente pegar em qualquer revista em separado das outras e apreciar o que essa revista nos conta e a forma como a historia se desenvolve, isto apesar de não ser necessário seguir a revista desde o número 1.

Esta é uma serie insubstituível para qualquer fã de comics americanos! Alia uma escrita muito trabalhada e inteligente a desenhos (de vários artistas) de qualidade excepcional e sempre surpreendente. E tudo isto por apenas 2.99USD.
Não quero com isto dizer que tudo é perfeito. Ou melhor, a revista em sí não tem muitas falhas que se apontem, o problema principal esta na opção da editora que em alguns meses lança 2 revistas em vez uma (como é habitual), isto leva a que seja necessário mudar de artista com frequência e a que o leitor seja obrigado a um esforço maior (€€€) para seguir este título e quem segue a serie em TPB acaba por receber um livro com varias historias, mas visualmente incongruentes.

HawkeyeDe vez em quanto parece que a Marvel esta a tentar espremer bem a sua “vaca leiteira”, tal como já fez na serie Daredevil (o que felizmente não tem feito nos últimos meses).
Mas, perdoa-se o mal que faz (€€) pelo bem que sabe. 🙂
E tu já leste alguma revista desta serie? Partilha connosco a tua opinião!

Escrito por: Matt Fraction
Desenhos de: David Aja (com cores de Matt Hollingsworth) e Francesco Francavilla

Nelson Vidal

previews O Lobo Mau

 

 

Dário Mendes

Dário é um fã de cultura pop em geral mas de banda desenhada e cinema em particular. Orgulha-se de não se ter rendido (ainda) às redes sociais.

You may also like...

2 Responses

  1. Diogo diz:

    Sacrilégio, dás o crédito do argumento apenas ao Matt Fraction! 😛
    Agora a sério, tanto o Matt como o David Aja fartam-se de divulgar que a história é escrita por ambos, o título é dos 2 como é possível ver nos créditos onde não há distinção de papéis entre o David e o Matt. É um pequeno pormenor bastante importante quando se avalia esta excelente série.
    Btw, o uso de artistas convidados é porque o David não consegue trabalhar no ritmo exigido pela Marvel. Já na altura do Immortal Iron Fist era necessário que outros artistas desenhassem as cenas de flashbacks para libertar o David.

  2. tellos0 diz:

    A série é MUITO BOA e uma das melhores coisas, a par de Daredevil, que a Marvel anda a publicar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *