Central Comics

Banda Desenhada, Cinema, Animação, TV, Videojogos

Quando a mitologia e o fantástico chegam ao mundo gaming

A maioria dos videojogos, independentemente da plataforma e estilo, têm sempre uma fonte de inspiração. Graças ao potencial da tecnologia de programação é possível desenvolver qualquer tipo de jogo desde que este tenha público para ser jogado.

Neste artigo focaremos dois temas que estão muito presentes na cultura gaming: a mitologia e o mundo fantástico.

A mitologia é representada em jogos de época. Seja nórdica, grega, maia, romana ou asiática, há uma imensidão de títulos que representam estes temas, e bem, contendo muitos elementos identificativos e que relatam muitas vezes histórias reais.

Já o mundo fantástico está relacionado com monstros, criaturas com poderes, heróis ou vilões que lutam através de magia, sempre com um enredo muito peculiar, no qual o herói tem uma longa jornada pela frente e precisa de melhorar para derrotar o vilão final.

A popularidade das mitologias e do fantástico como inspiração para o mundo gaming tem a ver com a quantidade de histórias e narrativas que existem para os criadores de jogos desenvolverem.

Por exemplo, o facto de muitos contos estarem relatados ajuda na conceção de personagens, linhas de enredo, e nas muitas habilidades que as diferentes figuras do jogo possuem.

Além disso, são dois temas que podem ser utilizados no desenvolvimento de personagens que possuem características particulares. Isto porque, a criação de um videojogo em que o jogador assume o papel de mitológico ou fantástico será sempre baseada na origem deste.

Um desses casos é o desenvolvimento de Kratos, da marca God of War, é um dos personagens mais populares do universo gaming, onde o jogador também se consegue ligar ao personagem e entender o seu desenvolvimento emocional durante a história do jogo.

Por outro lado, estes dois temas também têm sempre um lado de despertar sentidos. As tragédias, conquistas ou feitos sempre despoletaram emoções a quem conhece as histórias inspiradas nestas áreas. Este facto, entendido pelos programadores, também ajuda a criar uma experiência de jogo muito mais imersiva e, por sua vez, melhorar a qualidade da narrativa.

Exemplos de videojogos inspirados em mitologia e no fantástico

Jogos Open World

Por norma, os jogos de open world têm sempre um quê de mitologia por trás. Os exemplos mais recentes são os últimos títulos da marca Assassins Creed: Origins, Odyssey e Valhalla. Eles representam as três maiores mitologias da história: a egípcia; a grega; e a nórdica, respectivamente.

Ao longo das histórias o jogador visita locais históricos, encontra personagens divinos e descobre um cenário que replica muitas vezes o mundo real, mas naquela altura.

Além da mitologia, o fantástico também tem títulos de open world que fazem as delícias dos fãs. Os melhores exemplos são Demon Souls, Elder Ring ou The Witcher.

São jogos com criaturas mágicas, personagens com poderes sobre humanos e vilões extremamente difíceis de derrotar. Por outro lado, têm mundos criados com total liberdade criativa.

Jogos de Slot Machines

As slot machines são das mais populares da indústria dos casinos devido à diversidade de opções e estilos de jogos que existem.

Com a transformação digital e a migração online dos casinos, as operadoras começaram a oferecer no seu catálogo de jogos inúmeras slots com diferentes temas e designs. Um deles e dos mais populares é a mitologia nórdica.

Os mitos do norte são então um dos temas que mais inspiram as editoras de jogos iGaming. Sendo que, conseguem recriar em animação, áudio ou 3D, muitos dos heróis e vilões da época como Thor ou Odin.

Por exemplo, slots como Age of the Gods: Norse – Book of Dwarves ou Age of the Gods: Norse – King of Asgard, bebem muito dessa adaptação. Além de terem jackpots associados, são slots que transmitem elementos nórdicos a cada combinação ou prémio vencedor. Contém figuras e ruínas nórdicas que facilmente o utilizador identifica.

Por outro lado, o fantástico também tem lugar nesta modalidade de casino, com slots como Halloween, inspirado no Drácula e no monstro desse universo.

Jogos de RPG

Os RPG são dos géneros mais clássicos dos videojogos e como não poderia deixar de ser também partilham o imaginário destes dois temas, especialmente do fantástico.

Um dos exemplos é o mundo de Final Fantasy, onde todo o ambiente criado tem submundos e todos eles recorrem a poderes, personagens com magias invocativas ou até cenários criados com criaturas sagradas e importantes para o jogo. A marca já vai para o jogo XVI. Um grande exemplo de longevidade.

Monster Hunter, igual. A premissa é derrotar monstros dos variados tipos e construir uma personagem para conseguir combater as criaturas mais fortes do jogo.

Jogos de Ação

Para último exemplo e indo atrás no artigo, temos de fazer referência a God of War. A marca que tornou popular o espartano Kratos é totalmente baseada na mitologia. Numa primeira fase na grega, God of War 1, 2 e 3, e mais recentemente inspirou-se na mitologia nórdica em God of War Ragnarok.

Em todos os títulos é clara a intenção dos autores e podemos descobrir os elementos e histórias mais esquecidas de ambas as mitologias.

Em suma, fica claro que o mundo gaming é uma porta que se abre, onde é possível encarnar personagens fantásticos e conhecer histórias de outros tempos!