Netflix quer ultrapassar a concorrência com 6 filmes de animação originais por ano!

A Netflix tornou-se na companhia privilegiada de muitas pessoas ao longo dos últimos anos, ao ponto de hoje ser uma plataforma de televisão relevante para muitas delas.

Para Além da Lua - Netflix

Para Além da Lua, estreia no Netflix a 23 de Outubro 2020.

Depois de ganhar sustentabilidade no segmento das séries e dos filmes com centenas de produções originais, a Netflix começou no ano passado a explorar o cinema de animação e não podia imaginar um início melhor do que “Klaus”. O filme natalício já é considerado um clássico do género para muitos fãs de animação e acabou o ano com uma nomeação nos Oscars, bem como uma vitória inesperada nos BAFTA. Depois de ter irrompido em grande estilo pelo universo imaginativo do cinema de animação, a distribuidora de conteúdos pretende agora dominar o segmento com novas personagens e histórias divertidas. Para atingir esse desígnio, a Netflix planeia lançar seis filmes originais por ano, o triplo das empresas que atualmente dominam o mercado.

Depois do brilharete conseguido com “Klaus”, a empresa americana pretendia dar continuidade ao estado de graça com “The Willoughbys”, uma adaptação cómica da história obscura e homónima de Lois Lowry. Infelizmente para a Netflix, este segundo título não gozou do mesmo sucesso do seu antecessor e acabou por ter uma receção bem menos calorosa do que “Klaus”. Os resultados mornos de “The Willoughbys” não fizeram a mais pequena mossa no crescimento da gigante do entretenimento e a Netflix fechou o segundo trimestre de 2020 com mais 10 milhões de novos subscritores, como noticiamos aqui no Central Comics. Quanto a “The Willoughbys”, está disponível na plataforma com vozes e legendas em português.

A revelação de que a Netflix se prepara para lançar seis novos filmes de animação por ano foi dada por Ted Sarandos, co-CEO da empresa, em entrevista à revista Variety. Parte integrante da empresa ao longo de mais de 20 anos, Ted revelou que a intenção da Netflix “não passa por igualar o que já é feito e ser tão grande como a concorrência”, mas sim “lançar seis filmes originais por ano, algo que nenhum dos grandes estúdios foi capaz de fazer com qualidade”. Apesar da demonstração inequívoca de força que foi dada com “Klaus”, a preocupação dos fãs vai no sentido de tanta quantidade surgir em detrimento da qualidade. Na categoria de filmes de animação, os fãs estão habituados a que os grandes estúdios lancem apenas dois filmes por ano. Apesar do número diminuto de filmes, a qualidade costuma compensar o tempo de espera.

A Netflix lançou mais de 700 filmes e séries no último ano e isso é revelador que a plataforma dá privilégio à quantidade. Na animação, a empresa conta apenas com dois lançamentos – “Klaus” e “The Willoughbys” –, mas o ano de 2020 ainda servirá de palco a um terceiro original de animação. “Para além da Lua” será lançado a 23 de Outubro e irá desempatar as contas entre sucessos e falhanços comerciais.

Para 2021, a distribuidora deverá aumentar o lançamento de originais de animação e a meta dos seis filmes por ano deverá ver fumo branco em 2022. Se o excesso de lançamentos preocupa os fãs mais abnegados, muitos são também aqueles que olham para esta estratégia como uma forma de providenciar mais oportunidades a realizadores que de outra forma teriam as suas ideias desaproveitadas.

A seu favor, a Netflix tem um canal próprio e consolidado. Órfãos desta vantagem competitiva, alguns competidores apressaram-se já a criar também as suas próprias plataformas. Para além dos filmes e séries, as plataformas online são atualmente essenciais em mercados tão diversos como a banca, os jogos ou o setor automóvel. Na procura por empréstimos bancários, os portais de simulação de crédito como a Cofidis ou o Doutor Finanças permitem simular resultados em segundos. Para além disso, possibilitam a consulta de informações sem compromisso e cedência de dados. Nos jogos de computador, as plataformas como a VideoGamer ou a IGN fazem a curadoria dos melhores jogos entre os diferentes géneros. Já nos jogos de casino, os jogadores procuram experiências imersivas e jogos clássicos, como o Blackjack. Para poderem jogar online, os fãs de Blackjack utilizam portais como casinos.pt, que explica como jogar a modalidade e permite que o utilizador jogue grátis para praticar durante o tempo que desejar, abstendo-o do risco. Na compra de carros, as plataformas como o Pisca Pisca ou o Standvirtual permitem procurar as melhores opções com base na marca, preço, ano ou tipo de combustível. Estas plataformas possuem até sistemas de pergunta e resposta para definir o tipo de carro adequado a um possível comprador com base nas suas necessidades, hábitos e orçamento disponível.

Como se percebe, a existência de plataformas com conteúdo relevante é essencial para o futuro das empresas em qualquer setor e esta importância parece ser ainda maior na área do entretenimento. Dizer que a Netflix não tem hipótese numa competição ombro a ombro as maiores empresas do cinema de animação, mesmo lançando o triplo dos filmes anualmente, seria o julgamento mais imediato do grosso dos fãs. Contudo, a gigante americana já provou no passado que consegue sozinha redefinir toda uma indústria, como fez com as séries. De resto, não seria surpreendente que os maiores estúdios optassem por aumentar o número de filmes produzidos anualmente para acompanhar a Netflix. Esta decisão provavelmente resultaria em produtos finais mais pobres, o que levaria os fãs a procurar filmes de estúdios mais pequenos e destacaria o trabalho muitas vezes escondido de autores de outras geografias.

Dário Mendes

Dário é um fã de cultura pop em geral mas de banda desenhada e cinema em particular. Orgulha-se de não se ter rendido (ainda) às redes sociais.

You may also like...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *