Central Comics

Banda Desenhada, Cinema, Animação, TV, Videojogos

Jogos: Ultra Age – Análise

Ultra Age

Ultra Age chega às nossas mãos como um jogo ultra-rápido de acção. Mas será que tanta rapidez não irá ter o efeito contrário ao previsto?

Tenho que admitir que Ultra Age foi daqueles jogos que me saltou automaticamente à vista mal vi os trailers lançados relacionados com o anúncio da data de lançamento. É daqueles jogos que deixa qualquer um babado pelos seus visuais futuristas e com locais exóticos, que mostram uma clara inspiração em franquias como Nier e Monster Hunter, se quisermos falar em termos de jogos.

Ultra Age

A história que nos é contada passa-se no futuro e seguimos o jovem Age, que tem que salvar a humanidade da extinção utilizando as suas espadas contra robôs e mutantes. Também é necessário ter em conta que a humanidade está dividida em dois: aqueles que escaparam da Terra e aqueles que voltaram para o Planeta Azul. Quando uns cortam comunicações com os outros, eis que o destino de todos os humanos fica em perigo. Admito que a história não é propriamente a melhor e, até acaba por ser enfadonha, já que vimos isto ser feito em vários locais já.

Em termos de jogabilidade foi o que me deixou mais de pé atrás. O jogo é rápido definitivamente, especialmente em termos de combate. Mas, ao mesmo tempo parece que deixa muito a desejar. Usamos praticamente os mesmos ataques ao longo dos combates, mesmo que troquemos de arma. São ataques padrão que eventualmente vão acabar por influenciar o jogador, especialmente se tivermos em conta que são vão fartar deles. Os inimigos também não são os mais convidativos, a não ser que estejamos a lutar contra um mutante. Aí parece que invocámos os ensinamentos de Monster Hunter e estamos prontos para lutar contra tudo o que se mexe, levando a alguns momentos memoráveis em termos de combate.

Ultra Age

Além disso, os gráficos, tal como disse no inicio são de babar. Mas, quando chegamos a certos pontos do jogo, parece que desistiram de os fazer, tornando-se uma mescla incompreensível de locais, em que nem sabemos se estamos numa selva ou se estamos em algum planeta artificial. Imaginem se Xenoblade Chronicles tivesse sido feito da forma mais preguiçosa possível e tínhamos assim metade dos cenários que aparecem ao longo de Ultra Age, deixando assim um pouco a desejar e tornando-se um jogo um pouco indecifrável. Além disso, é um jogo que puxa pouco pelo jogador tanto em motivação para jogar, como em termos de longevidade.

Resta concluir que, Ultra Age é um jogo promissor que, talvez com algumas mudanças e expansões possa tornar-se um belo jogo de acção para todos aqueles que procuram uma alternativa, seja a Xenoblade Chronicles, Monster Hunter ou Nier.

 

Nota Final: 6/10

Ultra Age está disponível para PC, Nintendo Switch e PlayStation 4

Editora: DANGEN Entertainment

Desenvolvedor: Next Stage, Visual Dart

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *