Jogos: Signs of the Soujoumer – Análise

Há jogos que, só pelo visual podem cativar um jogador, mas, só se for uma boa fusão de visual e jogabilidade é que vai fazer com que o jogador se interesse cada vez mais pelo jogo. Será que a jogabilidade de Signs of the Sojoumer conquista qualquer jogador?

Signs of the Soujoumer

Signs of the Soujoumer é um jogo que explora relações, como elas se formam, como acabam e como se remendam. A ideia é bem conseguida e como se enquadra no jogo é interessante. Depois da morte da nossa mãe, ficamos a tomar conta da loja dela e para conseguirmos fazê-lo temos que viajar de caravana por várias terras de forma a encontrar tesouros. E como é que conseguimos tais tesouros? Através de conversas e com a criação de laços de amizade e outros tipos de relação.

Signs of the Soujoumer

No entanto, o sistema de criação de laços e relações é o que me deixou mais desanimado neste jogo. Funciona da seguinte forma: selecionamos uma personagem para conversarmos e vamos colocando cartas de forma a criar encadeamento na conversa. Existem várias combinações de cartas no nosso baralho e vamos adquirindo mais ao longo de cada conversa, mas, só há duas saídas destas conversas: caixas brancas que significam que estamos a corresponder de forma certa às cartas dos nossos “novos amigos”, o que quer dizer que a conversa está a correr bem e laços bons estão a ser forjados ou caixas pretas que, naturalmente, significam conversas que estão a correr mal devido a não estarmos a corresponder ao que aos nossos companheiros de conversa nos colocam à frente. Estas conversas vão moldando a nossa jornada podendo assim desbloquear caminhos especiais ou até itens.

  Tom Clancy's Rainbow Six Siege e clássicos da LucasArts chegam ao Xbox Game Pass

Porém, na minha opinião, é aqui que o jogo começa a perder-se. Pode ser um conceito até bastante interessante e uns jogos de associação também interessantes, mas, quando se começa a repetir é um problema. Sim, é óbvio que vamos encontrar várias personagens diferentes ao longo do nosso caminho que vão ter reações diferentes. No entanto, mesmo tendo reações diferentes vamos acabar por nos aborrecer facilmente. Já sabemos que vamos ter as mesmas saídas, que vamos sair com o item ou sem ele, com uma amizade ou com um inimigo, com uma história bonita ou com uma história triste. Não há muito por onde fugir.

Signs of the Soujoumer

Falei no início desta análise dos visuais e não foi só porque sim. Realmente, os visuais do jogo são fantásticos já que parece que todo o jogo foi desenhado à mão por alguém muito talentoso e com uma bonita visão do mundo. É delicioso observar as personagens do jogo e como as suas expressões mudam. Além disso, a música faz uma parelha muito interessante com a própria arte, o que na minha visão é algo que ajuda bastante.

Resta concluir que, mesmo que Signs of the Soujoumer tenha um visual e uma sonoridade muito bonita isso não deixa de fazer o jogo ser um pouco repetitivo e que facilmente fará com que o jogador se canse dele. Jogue se quiser uma história lenta, mas emotiva.

Nota Final: 5/10

Signs of the Soujoumer está disponível para PC e MAC


Análises a Jogos (e outras tretas)

António Moura

Um pequeno ser com grande apetite para cinema, séries e videojogos. Fanboy compulsivo de séries clássicas da Nintendo.

You may also like...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *