Jogos: Pacer (Análise)

PACER, o novo videojogo de corridas e combate antigravidade, saiu no passado dia 29 de Outubro e o Central Comics já o testou!

A primeira coisa que nos pode passar pela cabeça é que estamos perante mais um jogo da franquia Wipeout, ou que se trata de um remake do clássico F-Zero, mas Pacer, que claramente e assumidamente se inspirou nestes , é um jogo do género totalmente novo. Ele faz parte do Xsolla Funding Club, que é um serviço de matchmaking que faz a ligação sem nenhum custo entre desenvolvedores de videojogos e investidores.

Pacer mistura a sua essência Arcade, com a possibilidade de podermos personalizar a nossa nave não só a nível visual, como também no seu desempenho e também o armamento. No total existem 5 categorias de naves, e cada uma ter duas diferentes, o que faz um total de 10. Diria até que quem procura apenas um jogo de partida rápida, é até demais. Mas os mais exigentes deverão ficar satisfeitos, visto este não ser um simulador.

No início, para jogarmos uma partida rápida começámos apenas com 3 pistas disponíveis (que convenhamos, estão longe de serem as mais espectactulares), mas à medida que vamos ganhando créditos podemos ir desbloqueando as outras 11 pistas. Achas 14 pistas pouco? Tem calma, dentro de cada elas podes também alterar o modo entre dia e noite, normal e espelhado, e para a frente ou revertido. Por isso basicamente, podemos combinar 8 modos diferente para cada uma das 14 pistas, somando assim 112 variantes que ajuda bastante contra à monotonia.

Não contente com tanta variedade, ainda podemos escolher o modo de como preferes carregar no acelerador. Existem por isso 8 diferentes maneiras de correr, como por exemplo Resistência, Eliminação, ou então os exclusivos do PACERFlowmentum’ e ‘Tormenta’, que são modos semelhantes a Battle Royale.

Pacer game

Podes também escolher com quantos adversários queres concorrer, que vão até 10 no máximo, e o número de voltas entre 1 e 999. Sim, podes fazer partidas de quase 1000 voltas, o que deverás demorar, mais ou menos umas 17 horas a concluir, se tiveres coragem e paciência. E dentro disto há 4 classes de corrida: F1000, F2000, F3000 e Elite.

Temos também o modo campanha onde evoluímos desde rookie na pior das 10 equipas de corrida, com o objectivo de nos tornarmos no campeão mundial de Pacer.

E não podia deixar de ser temos ainda a possibilidade jogar online com até 10 jogadores, e aceder a um ranking mundial.

No que respeita à banda sonora, temos o que queremos neste tipo de jogos: música electrónica altamente acelerada. No total, são mais de 80 músicas de 45 artistas independentes onde se incluem nomes como MethLab, Dub FX, Ed Harrison, e para nossa alegria, também há espaço para algumas originais de CoLD SToRAGE, que é o músico que esteve envolvido e definiu o estilo musical da saga WipeOut desde o seu início.

  Jogos: Análise - DIRT 5

Temos também de jogar com que estratégia queremos fazer quando batalhamos. Só podemos levar um tipo de arma e temos de escolher antes da corrida começar. Se é mais defensiva ou mais ofensiva, entre outro modos. O melhor será mesmo experimentar todas e depois usar a que gostamos mais. Por mim dispensava as armas. Acabam por não funcionar muito bem e fazem-nos perder o foco na corrida em si, acabando por nos distrair bastante. E se nas corridas rápidas podes desligar esta característica, já na campanha temos mesmo de a “gramar”.

O jogo não desilude no aspecto visual. Altamente sensível e veloz, os loops e descidas vertiginosas causa-nos verdadeira sensação de imersividade. Os cenários são detalhados q.b. mas os efeitos luminosos e especiais são mesmo o ponto alto.

Quanto à jogabilidade tenho de criticar quanto à dificuldade em controlar a nave, principalmente nas curvas. Não sei se melhorando o desempenho esta dificuldade vai se abatendo, mas nas curvas mais apertadas ou travamos bastante ou batemos contra as barreiras laterais. Como as naves controladas pela IA do jogo não precisam de fazer estas travagens e acelerações, torna-se esquisito vermos a nossa nave a fazer tanto drift e a correr pelo lado de fora da curva, enquanto os nossos adversários passam por nós correndo por dentro. Além disso, nas pistas mais estreitas e em curvas e contracurvas, sentimo-nos como uma bola de flippers, batendo de um lado e do outro da pista, na tentativa vã de controlar o nosso veículo.

Pacer é um jogo a ter em conta pelos fãs do Wipeout e que querem algo recente. Visualmente muito interessante, com muitas características costumizáveis, o que dá bastante variedade e aumenta o seu tempo de vida, e com um modo carreira no mínimo interessante.

Classificação: 7/10 (Testado na PS4)

Vê aqui o gameplay inédito do Central Comics

Pacer está disponível para PlayStation®4, PS4 PRO e no PC via Steam pelo valor de 39.99 Euros (com 15% de desconto na primeira semana após o lançamento: 33,99€). PACER estará disponível em breve na família de dispositivos Xbox One, incluindo o Xbox One X.

STEAM | PS STORE

Hugo Jesus

Co-criador e administrador do Central Comics desde 2001. É também legendador e paginador de banda desenhada, e ocasionalmente argumentista.

You may also like...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *