Curtas de Vila do Conde

Central Comics

Banda Desenhada, Cinema, Animação, TV, Videojogos

Jogos: Análise – Star Wars Jedi: Survivor

Star Wars Jedi: Survivor já chegou às consolas de última geração e ao PC. Como estará a comportar-se a nova aventura de Cal?

Star Wars Jedi: Survivor

Quando joguei Star Wars Jedi: Fallen Orden fiquei completamente estupefacto com o que vi. O jogo era realmente uma aventura de Star Wars como nunca tinha visto antes e deixou-me com demasiada água na boca para ver o que mais nos reservariam nesta série que estava prestes a emergir. E a verdade, é que fiquei um pouco confuso com o que haveria de pensar em relação a Star Wars Jedi: Survivor.

Mal abri o jogo, qual foi o meu espanto quando reparo que estou a ter falhas de frames no carregamento do logótipo da Respawn. É um simples logótipo e fez-me pensar que estaria por aí a vir algo que eu não ia gostar nada. Já tinha ouvido falar que a qualidade do jogo no PC estava um pouco a desejar, mas, estava esperançoso ao jogar na PlaySation 5. E, para dizer a verdade, tirando uns pequenos pormenores não existiu realmente muito que eu pudesse dizer a nível técnico em relação ao jogo. Existiu algumas quebras a passar de cenas de jogo para vídeo e algumas decisões que me deixaram a coçar a cabeça, mas na realidade começamos logo a abrir e só paramos no final mesmo.

Star Wars Jedi: Survivor

Só nos primeiros 90 minutos de jogabilidade, arrancamos logo em Coruscant prontos para retirarmos o nosso novo alvo de dentro do yacht de luxo de um senador corrupto. A nossa aventura dentro de Coruscant é completamente incrível e faz-nos logo sentir dentro do universo de Star Wars, prontos a cortar tudo e todos aos pedacinhos e usarmos a Força à nossa vontade, conseguindo até criar alguns dos momentos mais cómicos que existem ao longo de todo o jogo. Sim, a Força, algo que consideramos um poder bastante sério, pode fazer-vos dar umas valentes gargalhadas.

Mas, estamos perante um jogo completamente diferente de Fallen Order. E isso nota-se depois da secção de Coruscant. Ao contrário do segundo planeta de Fallen Order, Bogano, que é plano, confuso e sem inspiração, Koboh é um mundo aberto, impressionante e que visitarás repetidamente ao longo do jogo, desvendando gradualmente os caminhos que conduzem a uma série de pontos turísticos notáveis. Há montanhas para escalar, ruínas antigas exploradas pelos Jawas para investigar e templos Jedi estilo Breath of the Wild para descobrir.

Star Wars Jedi: Survivor

Graficamente, também é um jogo belo, estamos perante cenários capazes de nos deixar sem respiração, personagens incríveis (algumas delas reconhecíveis) e, para finalizar, momentos de combate completamente surreais. É interessante a cinematografia envolvida nas coreografias de combate, que nos deixam pasmados e a pedir cada vez mais. Além disso, também temos a hipótese de aumentar as nossas habilidades, tornando-se assim ainda mais divertido e uma forma de explorar as combinações que conseguimos fazer ao longo dos combates. Com isto, também quero dizer que a jogabilidade está irrepreensível.

Resta concluir que, Star Wars Jedi: Survivor foi um jogo que me deixou um pouco de pé atrás com a sua qualidade técnica, mas, conforme fui jogando, todas as minhas preocupações desapareceram e começaram a tornar-se pontos positivos. É o derradeiro jogo de Star Wars por enquanto e, se continuarem assim, a Respawn vai ter um futuro risonho.

Nota Final: 8/10

Star Wars Jedi: Survivor está disponível para PC, Xbox Series S|X e PlayStation 5 (versão testada)

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Verified by MonsterInsights