Central Comics

Banda Desenhada, Cinema, Animação, TV, Videojogos

Jogos: Análise – Ayo The Clown, Zengeon, Haven Park e Jupiter Hell

Hoje trazemos mais uma ronda de análises a videojogos. Aqui, iremos apresentar entre três a cinco jogos, e pequenas análises sobre os mesmos. Os jogos desta vez serão Ayo The Clown, Zengeon, Haven Park e Jupiter Hell.

Ayo The Clown (Nintendo Switch, PC) – Já Disponível

Ayo The Clown 

Começamos esta ronda com Ayo The Clown, um jogo de plataformas simpático que, à primeira vista podemos achar que é uma “palhaçada” mas que, na realidade, tem uma profundidade que não estávamos à espera.

Ayo vive com o seu cão Bo, numa pacata cidade até ao dia em que Bo desaparece, levando a que Ayo parta numa aventura completamente surreal, que acaba por lembrar um pouco os jogos de plataformas da série Yoshi, que envolvem o simpático dinossauro da série Mario. Preparem-se para plataformas únicas, em que em cada cenário vamos encontrar novos obstáculos, que irão mostar que Ayo não é o nosso palhaço comum, já que as próprias piadas dele melhoram a cada momento.

Ayo The Clown 

No entanto, devo mostrar uma pequena grande diferença perante Yoshi, o facto de termos imensas armas que podemos utilizar, que vão desde tanques a balões de água, tornando o arsenal um pouco confuso e, por vezes, sem qualquer ligação ao mundo do circo ou dos próprios palhaços. Mas, se tivermos em conta todos os chefes que iremos combater ao longo da nossa aventura, faz completo sentido que assim seja.

Resta concluir que, com gráficos agradáveis e uma jogabilidade soberba, Ayo The Clown é um jogo que nos ocupará muito tempo, especialmente porque nos convida a repetir niveis para melhorarmos e apresenta-nos algumas missões secretas que poderemos levar algum tempo a passar. Um jogo para os fãs de plataformas!

Nota Final: 7/10

Zengeon (Nintendo Switch, PC, Xbox One, PlayStation 4) – Já Disponível

Zengeon 

Hoje é o dia em que voltamos a falar de roguelites aqui no site, algo que por esta altura já devem estar habituados. E vamos falar em dose dupla! Começando por Zengeon, este roguelite tem como vantagem também ser um Action RPG. Porém, não funciona bem em ambos os géneros.

Começando pela história, durante muitos anos a Celestial Academy protegeu um local chamado Blessed Land, para que uma força do mal, denominada de Dark Emptiness não entrasse. O problema é que com um Eclipse Lunar (claro sinal de mal), acabou por entrar e partir o selo que protegia esta terra, levando a que o Rei Demónio tivesse o seu regresso. Portanto, uma história casual que já ouvimos mil e uma vezes, e que não acrescenta nada de novo.

Zengeon

Aqui podemos escolher 6 personagens e, cada uma tem os seus ataques únicos, habilidade e itens. Também tem a vantagem de ser as personagens padrão mais chatas de toda a história dos videojogos. Não existe um elo de ligação que nos faça querer conectar com as personagens tornando-se assim ainda mais aborrecido.

A única vantagem de Zengeon é o facto de, por causa de irmos completando a história, existirem armas e itens que ficam permanentemente no nosso inventário. Mesmo assim, acaba por ser uma faca de dois gumes, já que acaba por tornar a experiência roguelike mais fácil, quando o objectivo é ser o mais impiedosa possível com os jogadores.

Resta concluir que, Zengeon é um jogo chato, a evitar. Para terem a noção de a quão má pode ser a experiência, foram demasiadas as vezes em que senti que o lado correcto deveria ser o lado do Rei Demônio e que ele deveria dominar aquela dimensão…

Nota Final: 4/10

Haven Park (Nintendo Switch, PC) – Já Disponível

Haven Park

Haven Park é o jogo mais relaxante deste artigo e, preparem-se para uma pequena aventura que irá divertir qualquer jogador que apenas queira jogar um bocadinho e depois pousar a consola.

Vivemos esta aventura como Flint, que tenta fazer com que o parque de campismo da sua avó seja um local que os campistas aproveitem. Para tal, além de termos que construir infra-estruturas para os nossos companheiros, também temos que ouvir os desejos deles para melhorar todo o estilo de vida do parque.

Haven Park

Aproveitem e explorem este mundo pacífico completamente aberto. Mesmo considerando um pouco pequeno, acaba por ser interessante tudo o que podemos explorar, além de existem imensos segredos para descobrir e habilidades para fazer os nossos campistas ficarem contentes. Por falar neles, também convém dizer que são qualquer coisa de fantástico, já que é legitimamente divertido conversar com eles e descobrir novas informações sobre Haven Park.

Por fim, gostava de dizer aos leitores que este não é um jogo para compararem a Animal Crossing: New Horizons. Têm a mesma mecânica, um pouco. Mas Haven Park é uma divertida história (mesmo que curta, já que dura entre 2 a 4 horas), que tem um final fechado. Mesmo assim, pode ser considerada uma alternativa mais barata.

Nota Final: 8/10

Jupiter Hell (PC) – Já Disponível

Jupiter Hell

Por fim, terminamos com mais um roguelite, que desta feita, além de ser um jogo completamente diferente de Zengeon, também sofre um pouco da questão de “publicidade enganadora”. Digo isto porque, quando o jogo me foi “vendido”, foi feito da forma a pensar que é um jogo ao estilo de Doom, mesmo que a única coisa similar seja o estilo de ficção científica.

Por outro lado, também um roguelite diferente, porque é um jogo de estratégia ao mesmo tempo. Imaginem jogar xadrez só com uma peça e essa peça tem uma caçadeira na mão. Se é a ideia mais inovadora do universo? Definitivamente que não, mas aqui em Jupiter Hell é bem aplicado.

Jupiter Hell

Algo que também gostei bastante foi podermos customizar a nossa personagem com imensas armas, itens e habilidades enquanto progredimos e, como o jogo mesmo tendo um final, tem uma série de níveis que são gerados aleatoriamente, quando desbloqueamos uma nova dificuldade, acabamos por querer voltar a jogar.

Resta concluir que, Jupiter Hell não era o jogo que nos tinham oferecido numa primeira instância. No entanto, isso não faz dele um mau jogo, sendo que a diversão está garantida.

Nota Final: 7/10

 

Ficha Técnica

Ayo The Clown

Desenvolvedor/Editor: Cloud M1

Zengeon
Desenvolvedor: 2P Games

Editor: PQube
Haven Park
Desenvolvedor: Bubble Studio

Jupiter Hell
Desenvolvedor: ChaosForge
Editor: HyperStrange

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *