Entrevista a Nuno Lopes e Cristina Pinheiro sobre “Menina”

Estivemos à conversa com o ator Nuno Lopes e a realizadora Cristina Pinheiro para descobrir mais sobre a sua nova obra, “Menina”, que estreou a 25 de abril nos cinemas.

O que é que as pessoas podem esperar deste filme?

Nuno Lopes: Menina é um filme sobre emigração, é uma história muito pessoal da Cristina (realizadora), a história da família dela. Podem esperar um retrato do que é viver fora e o que é ser emigrante, não pecando nos estereótipos comuns, não transformando estas personagens em heróis, mas acima de tudo apresentá-los como pessoas dignas.

“Adorava que o filme ajudasse a mudar a mentalidade de algumas pessoas”

Neste sentido acho que é um filme muito importante. Em Portugal ainda se tem uma ideia muito estereotipada do que são os emigrantes portugueses lá fora, bem como dos imigrantes no nosso país. Adorava que o filme ajudasse a mudar a mentalidade de algumas pessoas.

Fale-nos um pouco da sua personagem, João Almeida.

Nuno Lopes: A minha personagem é o pai da família, tem uma relação de amor profundo pela filha e o filme parte muito dessa relação de intimidade entre ele e a filha. É um tipo cheio de defeitos, mas tem a grande qualidade de gostar da sua família e protegê-la acima de tudo.

Como é que foi trabalhar com a Beatriz Batarda? O filme foi filmado em França, certo?

Nuno Lopes: Sim, foi filmado em França, no Sul de França. Trabalhar com a Beatriz é fácil, trabalho com ela desde os 17 anos portanto é como estar em casa. Foi a grande vantagem de ter a Beatriz no elenco, assim que nos sentámos na mesa de ensaio já éramos um casal, já havia cumplicidade, já sei perfeitamente como é que ela pensa, ela sabe como eu penso, sabemos que tipo de atores somos então foi muito fácil criar esta família.

  Ganha Convites para Força da Natureza (Passatempo Antestreia)

Qual foi a maior dificuldade ao criar uma atmosfera fidedigna para este filme?

Nuno Lopes: Houve uma parte que teve a ver com uma pesquisa nossa, naturalmente. Mas houve uma parte que não teve a ver com isso, mas sim em ser quase uma realização autobiográfica da Cristina. Nesse sentido, tínhamos sempre a nossa base de partida, pois ela viveu esta história quando era menina, portanto, havia uma fonte fidedigna muito próxima de nós. No entanto, teve a grande vantagem que apesar de ser uma história da Cristina, deu-nos uma liberdade enorme para ouvir os nossos inputs e mudar o filme com as nossas ideias também.

Isto é uma história muito pessoal para si. Como é que foi transportar isto para Cinema?

Cristina Pinheiro: É um trabalho sobre mim, sobre o que sou. Eu sou de dupla nacionalidade então é uma ideia e relação que queria questionar. Uma relação entre uma filha e um pai, uma francesa com pais portugueses, mas também um pouco portuguesa. Tenho o hábito de dizer que sou uma francesa-portuguesa e uma portuguesa-francesa.

Cristina Pinheiro, realizadora de Menina

Como foi criar uma atmosfera dentro da época dos finais dos anos 70?

Cristina Pinheiro: Tive uma equipa óptima. Foi difícil, mas pensámos muito nisso antes de rodar. Trabalhámos todos os acessórios, vestidos, cenários, tudo para que fosse fiel a esta época.

Como foi dirigir os atores Nuno Lopes e Beatriz Batarda?

Cristina Pinheiro: Foi um encantamento, uma maravilha. Eu agora só quero trabalhar com eles. Têm uma grande humanidade.

Fotografias: Tiago Ferreira

Tiago Ferreira

Estudante de Cinema e Teatro, Crítico de Cinema, Fotógrafo novato e Cosplayer.

You may also like...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *