Cinema: Crítica – Os Irmãos Sisters (2018)

Reilly, Phoenix, Ahmed e Gyllenhaal são o brilhante elenco do próximo western, Os Irmãos Sisters. Estreia a 10 de janeiro nos cinemas.

Os Irmãos Sisters conta a grande aventura no faroeste de Eli Sisters (John C. Reilly) e Charlie Sisters (Joaquin Phoenix) que têm agora a missão de capturar Hermann Kermit Warm (Riz Ahmed) que, segundo o Comodoro, este deve-lhe uma grande quantia. Deste modo, pedem ajuda a John Morris (Jake Gyllenhaal) para capturar o indivíduo enquanto estes estão a caminho. As intenções de Hermann são eventualmente reveladas, cruzando valores humanitários e modernistas com a ganância dos homens que o procuram para descobrirem a sua fórmula secreta para captura de ouro.

É um filme que apresenta de imediato um conjunto de quatro personagens e atores extraordinários. Eli está preso a este tipo de vida para proteger Charlie, o seu irmão delinquente, irresponsável e em constante alcoolismo. As suas personalidades são bastante distintas, o que mantém o enredo cativante e desenvolve os defeitos e qualidades de cada um. Temas como sexo, violência, bebida, ganância e modernismo acentuam o interesse por estes dois, não se limitando a criar boas personagens, mas também um ambiente reflexivo. É fascinante observar a sua surpresa em objetos tão simples da actualidade como uma escova de dentes ou uma casa de banho.

Todavia, apesar do título ser “Os Irmãos Sisters“, as outras duas personagens conseguem por vezes sobrepor-se aos protagonistas devido à personalidade inicial desprezível dos dois irmãos, o que cria um equilíbrio saudável ao filme e levanta questões ocultas pelos Sisters. Hermann é uma espécie de filósofo que atrai imediatamente a curiosidade de John Morris, criando uns twists interessantes entre os quatro indivíduos, que depois infelizmente é explorado pela extrema ganância existente nesta época e local.

  Cinema: Crítica: Toy Story 4 (2019)

A nível técnico, as paisagens belíssimas complementam a intensa história a decorrer. Chegam-se a criar alguns planos-sequência eficientes, mas não deslumbrantes como os que se têm observado nos últimos anos. Além disto, a quarta parede é rompida num determinado momento, no entanto, sem qualquer potência ou energia para o enredo geral. Quanto à violência e sexo, são obviamente constantes e necessários para um filme nesta época, cujo aborda a solidão contínua destes indivíduos ao longo da sua jornada.

Os Irmãos Sisters é recheado de momentos humorísticos e intensos que reflectem sobre temas importantes da humanidade. Um filme a não perder para fãs de westerns ou do brilhante elenco.

  • Os Irmãos Sisters estreia a 10 de janeiro 2018 nos cinemas.

7/10

Tiago Ferreira

Tiago Ferreira

Estudante de Cinema e Teatro, Crítico de Cinema, Fotógrafo novato e Cosplayer.

You may also like...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *