Cinema: Crítica – A Minha Família do Norte (2018)

Prepara-te para rir incessantemente com A Minha Família do Norte. Estreia a 23 de agosto nos cinemas.

A Minha Família do NorteEm A Minha Família do Norte, Valentin D. (Dany Boon, que também realiza o filme) e a sua mulher Constance Brandt (Laurence Arné) são os designers mais famosos da atualidade. Para que isto fosse possível, Valentin teve de ir estudar para longe da sua família há 20 anos atrás. Declarou-se no início da sua carreira como órfão por vergonha do lugar onde nasceu. Um dia, a sua família do Norte decide ir visitá-lo, não por saudade, mas por necessitarem de uma grande quantia de dinheiro, algo que Valentin tem abundantemente. Valentin e Constance não querem que estes mudem o modo como a imprensa os vêem e tentam esconder este grande segredo. Porém, Valentin tem um acidente que o faz perder toda a memória da atualidade e volta a comportar-se como se fosse um rapaz solteiro de 15 anos vindo do norte do país.

O filme é possivelmente uma das melhores comédias dos últimos anos, não é de admirar que tenha batido recordes de bilheteiras em França com mais de 5 milhões de espetadores em 4 semanas de exibição. Ambos os atores que interpretam os designers Valentin e Constance são absolutamente fantásticos e são eles que tornam esta obra tão inovadora, pois conseguem transparecer perfeitamente o modo como estas figuras elitistas se comportam, tanto verbalmente como fisicamente, e tornam a observação da sua transformação adorável.

  Cinema: Crítica - Maléfica: Mestre do Mal

As legendas do filme em português permitem-nos perceber as diferenças entre ambos os sotaques franceses, em que a do Norte substitui várias letras pela consoante X. Quando Valentin tem um traumatismo craniano e se torna jovem mentalmente, a sua postura e modo de falar mudam e perde completamente a memória da vida de designer e com a sua mulher, Constance. É aqui que a atriz (Laurence Arné) se destaca brilhantemente no modo em que consegue incorporar uma personagem resiliente e disposta a mudar a sua vida para obter o seu marido de volta. Constance terá de aprender a compreender e a falar com o sotaque do Norte com o objetivo de auxiliar Valentin em recuperar as suas memórias. Ambos os protagonistas têm um desenvolvimento encantador e irão refleti-lo no seu trabalho de designers e relação com a família.

A Minha Família do Norte

Por fim, a família do Norte acentua ainda mais a comédia do filme com o seu humor infantil, antiquado e regional em contraste com a seriedade dos dois protagonistas. Este choque entre culturas torna-se hilariante no decorrer do filme, mas Valentin e Constance são seguramente as personagens que tornam este filme tão deslumbrante.

  • A Minha Família do Norte estreia a 23 de agosto 2018 nos cinemas portugueses

7/10

Tiago Ferreira

Tiago Ferreira

Estudante de Cinema e Teatro, Crítico de Cinema, Fotógrafo novato e Cosplayer.

You may also like...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *