Central Comics

Banda Desenhada, Cinema, Animação, TV, Videojogos

Análise: Teenage Mutant Ninja Turtles: Shredder’s Revenge

Teenage Mutant Ninja Turtles: Shredder’s Revenge marca o regresso das amadas tartarugas ninja adolescentes ao clássico beat ’em up, que foi desenvolvido pela Tribute Games e editado pela Dotemu.

Teenage Mutant Ninja Turtles: Shredder’s Revenge Scores

A animação das Tartarugas Ninja dos anos 80 foi uma (se não “a”) das séries de animação que mais amei no pequeno ecrã. Ainda sou do tempo de a ver na RTP em inglês legendado em português, antes de ter uma versão dobrada na nossa língua, cujo o elenco de vozes incluía o grande António Feio.

Não sendo grande fã dos jogos de luta 1×1, estilo Street Fighter, já quando se trata de beat ’em up, as coisas mudam de figura. Esse é um género que sempre adorei, desde Final Fight, até Golden Axe, passando por Streets of Rage, Double Dragon e claro, a trilogia Renegade que muitas horas gastei no meu velhinho ZX Spectrum.

Por isso, aliar as duas coisas, é ouro sobre azul.

Claro que com a minha idade já não sentimos as coisas da mesma maneira, ainda assim era com alguma expectativa que aguardava por mais este jogo… e as expectativas não foram defraudadas.

Teenage Mutant Ninja Turtles: Shredder’s Revenge Scores

Teenage Mutant Ninja Turtles: Shredder’s Revenge tem tudo o que queremos de um Brawler. Muito acção, muito carregar de botões e animação e entretenimento puro. Entretenimento esse que pode ser partilhado com mais 5 amigos em co-op local ou online. A confusão é total quando assim é, até porque as 4 tartarugas são todas demasiado parecidas e por vezes perdemos a noção qual é a nossa, mas não deixa de ser divertido. Além disso temos a estreia de April O’Neil e Casey Jones como personagens jogáveis, que acaba por ser um grande atractivo. 

Todas as personagens têm os seus poderes e habilidades diferentes, por isso há sempre variedade no jogo, e um incentivo para o jogarmos todo mais do que um vez. Além das 6 personagens já mencionadas, é claro que também dá para jogar com o Splinter, não se preocupem.

Quanto à jogabilidade é perfeita e este é o jogo traz mais variedades de golpes e até a opção de esquivar. São tantas que até tem um pequeno tutorial inicial para aprendermos. Mas para os dominar totalmente ainda demora um pouco. Mas há que ter alguma paciência, pois vale a pena.

Teenage Mutant Ninja Turtles: Shredder’s Revenge Scores

Ah e não esquecer a maravilhosa animação de abertura que os mais nostálgicos como eu, irão fazer fazer uma pinguinha ao ver pela primeira vez, e o facto de trazerem os actores de vozes originais da mítica série de 1987 é a cereja no topo do bolo.

Nos pontos menos positivos tenho a dizer que para as possibilidades como as tartarugas dão, e para um jogo de 2022, esperava mais alguma variedade/originalidade da forma de jogar. Tirando uma ou outra fase que lutamos em cima de uma prancha de skate (com rodas ou voador), não há originalidade de maior. Não esperava que o jogo viesse a revolucionar o género, mas pensava que tivesse um pouco mais de novidade.

Até as fases dos big bosses são todas muito semelhantes. Outro ponto que não apreciei foi o visual retro pixelizado. Penso que não há necessidade de deixar os gráficos pixelizados de forma a fazer lembrar as antigas arcadas. Streets of Rage 4 provou que podemos manter o mesmo espírito com gráficos polidos e de alta definição.

No entanto, a resposta aos comandos e a animação estão feitos de forma perfeita.

Nota Final: Um jogo que apesar de tecnicamente perfeito acaba por ser pouco inovador, fácil e algo repetitivo jogando sozinho. Uma bela homenagem às clássicas Tartarugas Ninja mas provavelmente pouco atraente para os jovens de hoje em dia. Aconselhado para quem viveu a fase de ouro dos salões de arcadas: 75%

Teenage Mutant Ninja Turtles: Shredder’s Revenge está disponível para PC, PlayStation 4 (versão testada), Nintendo Switch, Xbox One e Game Pass.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.