Curtas de Vila do Conde

Central Comics

Banda Desenhada, Cinema, Animação, TV, Videojogos

Regresse aos anos 2000 com a banda sonora de “Saltburn”

Unindo elementos de thriller e comédia, Saltburn tem sido, sem dúvida, objeto de intensa discussão desde sua estreia no Prime Video.

“Saltburn”

O segundo filme da vencedora do Óscar, Emerald Fennell, explora a jornada de Oliver Quick, interpretado por Barry Keoghan, um estudante da renomada Universidade de Oxford. A trama desenrola-se quando Oliver estabelece uma amizade com Felix Catton (Jacob Elordi), um colega de faculdade notavelmente popular e extremamente rico.

A proximidade entre eles se estreita rapidamente, levando ao convite de Felix para que Oliver compartilhe o verão na majestosa mansão de sua família, Saltburn, afastada da agitação urbana. Nesse ambiente, a trama adquire características distintas, com os personagens envolvidos em situações tanto cómicas quanto extraordinárias, proporcionando uma experiência cinematográfica única e eletrizante.

Anos 2000

Temporalmente, a trama de “Saltburn” se desenrola no ano de 2006, ou seja, no início dos anos 2000, conferindo-lhe uma banda sonora excepcional.

Nos anos 2000, a Internet e a comunicação sem fronteiras entraram em cena de maneira avassaladora. Tudo está ao alcance de um clique do mouse. Contudo, o ímpeto criativo, em vez de buscar novidades, tornou-se excessivamente passivo, mergulhando na segurança e no conforto do passado. Cada estilo musical parece estar preso nesse ciclo, relutante em se libertar dessa âncora do familiar.

A música dos anos 2000

Ao contrário da música intensa e politicamente carregada dos anos 60/70, a cena musical dos anos 2000 não se enraíza na amplificação da violência ou em mensagens políticas disruptivas. Em vez disso, ela busca uma vitalidade cativante, preservando a sensibilidade para captar sutis influências de ritmos e melodias dos anos 80, e especialmente dos anos 90, destacando-se por seus tons eletrónicos.

Nesse contexto, os primeiros anos do século XXI revelam a multiplicidade de estilos musicais, onde todos se misturam e coexistem de forma harmoniosa nas paradas. A música dos anos 2000 destaca-se pela sua natureza desmaterializada, sendo consumida como qualquer produto através de dispositivos portáteis. Essa abordagem expansiva reflete-se de maneira estimulante na seleção musical do filme de Fennell.

A banda sonora de “Saltburn”

Em uma entrevista à NME sobre a seleção da banda sonora, Fennell esclareceu que os anos 2000 representaram uma era musical fascinante, uma vez que muitas das emblemáticas bandas da época não resistiram ao teste do tempo. A decisão, portanto, foi focar nas bandas que ainda são apreciadas e continuam a produzir música de qualidade, embora tenham atingido o seu auge naquela década. Isso, de facto, nos transporta de volta àquela época.

Por sua vez, Kirsten Lane, supervisora musical do filme, compartilhou com a QG que a música é a espinha dorsal desta produção. Ela elogiou a genialidade de Emerald, salientando que a maior parte das escolhas musicais foi feita por ela.

Lane enfatiza que a música escolhida é bastante específica, longe de ser efêmera, mesmo que os artistas possam ter tido apenas alguns sucessos naquela época. Esses artistas não são necessariamente os que estão em evidência agora, mas naquele contexto, carregavam um significado especial.

Destaques

“Murder on the Dancefloor”:

Gostaria de destacar especialmente “Murder on the Dancefloor”, de Sophie Ellis-Baxtor. Essa canção de 2001 aparece de maneira marcante na cena final. Com mérito, a faixa tem sido reproduzida em várias redes sociais, especialmente no TikTok e no Instagram, através do recurso Reels.

 

Após a sua inclusão no filme, a música foi redescoberta e fez um retorno triunfante ao UK Dance Singles Chart, conquistando o topo na parada de 18 de janeiro de 2024. Além disso, marcou presença na Billboard Hot 100 dos EUA, estreando na posição 98 em 13 de janeiro de 2024, tornando-se assim a primeira faixa de Ellis-Bextor a figurar nas tabelas do Hot 100.

“Perfect (Exceeder)”:

Outra canção que merece destaque é “Perfect (Exceeder)”, uma colaboração entre o músico neerlanês Mason e a rapper americana Princess Superstar. Essa faixa é um mashup da instrumental de dança de Mason de 2006, “Exceeder”, e do single de 2005 de Princess Superstar, “Perfect”. Após a inclusão da música na banda sonora de “Saltburn”, ela voltou a figurar no UK Singles Chart, alcançando a posição 26 na parada datada de 12 de janeiro de 2024.

Mas todas as outras faixas são sensacionais. Com isso em mente, convidamos você a aproveitar a dançante banda sonora de “Saltburn”:

“Have A Cheeky Christmas” de The Cheeky Girls:

“No Cars Go” de Arcade Fire:

“Sound of the Underground” de Girls Aloud:

“Destroy Everything You Touch” de Ladytron:

“Hang Me up to Dry” de Cold War Kids:

“This Modern Love” de Bloc Party:

“Satisfaction” de Benny Benassi & The Biz:

“Time to Pretend” de MGMT:

“Low” de Flo Rida:

“Rent” de Pet Shop Boys:

“You’re Gorgeous” de Babybird:

“Mr. Brightside” do The Killers:

“Loneliness” de Tomcraft:

 

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Verified by MonsterInsights