Reabre Cinema da Villa em Cascais

O Cinema da Villa, em Cascais, acaba de anunciar a reabertura, com muita alegria e prevenção, para o dia 15 de Junho.


O Cinema da Villa reabre com três estreias:
OS TRADUTORES, em que nove pessoas são contratadas (e confinadas num bunker) para traduzir o muito aguardado livro final de uma trilogia de grande sucesso,
QUARTO 212, uma comédia realizada e escrita pelo veterano Christophe Honoré;
O MEU ESPIÃO, com Dave Bautista (GUARDIÕES DA GALÁXIA) no papel principal.


A programação da reabertura continua ainda com os filmes que tão pouco tempo estiveram em cartaz, mas merecedores de toda a atenção dos espectadores.
RETRATO DA RAPARIGA EM CHAMAS, apresentado em competição no Festival de Cinema de Cannes, onde recebeu o prémio de Melhor Argumento e a Queer Palm;
OS MELHORES ANOS DA NOSSA VIDA, realizado por Claude Lelouch que complementa os seus filmes anteriores UM HOMEM, UMA MULHER (1966) – Palma de Ouro em Cannes, Óscar de Melhor Filme Estrangeiro e Argumento Original, e Globo de Ouro para Melhor Filme Estrangeiro e Actriz – e UM HOMEM E UMA MULHER: 20 ANOS DEPOIS (1986);
FAMILY ROMANCE, LLC, um drama ficcional, de inspiração documental, realizado pelo veterano Werner Herzog.


Para programas em família,  é destacada a permanência em exibição de ‘BORA LÁ, ACADEMIA CRANSTON: CENAS MONSTRUOSAS e SONIC: O FILME. Continuando as sessões da manhã ao fim de semana.

  "007: Sem Tempo para Morrer": música original em Vinil


Em relação aos filmes d’A Grande Arte no Cinema, juntamente com a Festa do Cinema Italiano, são procuradas novas datas para que continue a exibição dos documentários que tanto sucesso fazem junto dos espectadores. De modo a cumprir com todas as medidas de segurança e higiene foi decidido que, em vez de exibir somente durante três dias, estes filmes passarão a fazer parte da programação semanal normal, ou seja, serão exibidos todos os dias.

Para manter espectadores e equipa em segurança foram reforçadas medidas como
– Reforço da limpeza e desinfecção de todas as áreas do cinema e superfícies mais tocadas ao longo do dia;
– Equipa protegida e equipada com meios de protecção adequados;
– Reduzida a capacidade das salas para assegurar a distância de segurança e minimizar o risco de contágio;
– Aumentado o tempo entre as sessões para diminuir o encontro e fluxo de pessoas e para permitir uma melhor limpeza da sala;
– Colocados dispensadores de desinfectante para os clientes em vários pontos do cinema;
– Reforçada a renovação do ar em todas as salas;
– Em caso de necessidade, existe material de protecção individual disponível para venda (máscaras e gel desinfectante).

Ricardo Lopes

Começou a caminhar nos alicerces de uma sala de cinema, cresceu entre cartazes de filmes e película. E o trabalho no meio audiovisual aconteceu naturalmente, estando presente desde a pré-produção até à exibição.

You may also like...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *