Lucky Luke – Subindo o Mississípi

O nosso herói Lucky Luke envolve-se numa corrida para a disputa do monopólio da circulação no rio Mississípi, entre os capitães Barrows e Lowriver. Estes decidem efectuar uma corrida e apostam que ficará com o negócio quem conseguir chegar primeiro. Luke, fica para ajudar Barrows quando vê que Lowriver é um trapaceiro e jogará sujo para que seja o seu barco a chegar primeiro desde Nova Orleães a Minneapolis. Será que o “Daisy Belle” resistirá as patifarias de Lowriver?

Parti com grandes expectativas na leitura deste livro, pois os últimos livros de Lucky Luke escritos por Goscinny tinham sido fantásticos, mas cedo vi que este não seria tão engraçado como os anteriores. Há uma certa claustrofobia na história que fica muito presa à premissa da corrida. Basicamente há a corrida entre as duas embarcações e nas suas escalas, Lowriver tenta arranjar um sacana para sabotar o Daisy Belle. Isto durante 44 páginas. Não me levem a mal, o livro é na mesma muito bom, mas na “Escala Goscinny” não é dos melhores. No entanto há personagens memoráveis como Ned, o melhor e o mais mentiroso de todos os capitães do Mississípi e Sam o seu ajudante. Sempre que eles aparecem é gargalhada na certa.

Morris apresenta uma arte à Morris. Dentro do seu registo habitual, não há falhas a apontar. Muito bom.
Na tradução e legendagem é talvez dos melhores trabalhos que a Asa tem lançado nos últimos tempos.

  STAR WARS - Somos a Resistência

Arte: 80%
Argumento: 60% (Na escala de Goscinny)
Tradução/Legendagem: 83%
Apreciação Global: 70%

HJ

Hugo Jesus

Co-criador e administrador do Central Comics desde 2001. É também legendador e paginador de banda desenhada, e ocasionalmente argumentista.

You may also like...