Nas bilheteiras dos cinemas: Sonic ou Harley Quinn?


O ouriço azul foi tão veloz ao ponto de colecionar o maior número de espectadores nos cinemas portugueses durante o fim-de-semana.
Sonic: O Filme levou 41 050 espectadores aos cinemas portugueses.
A estreia cinematográfica da popular personagem dos jogos SEGA é motivo para conferir alguns dos resultados na estreia de outras recentes adaptações cinematográficas de vídeo jogos:
Angry Birds 2: O Filme (2019) foi visto por 34 870 espectadores no fim-de-semana de estreia;
Pokémon Detetive Pikachu (2019) estreou em Portugal com 48 mil bilhetes vendidos no primeiro fim-de-semana;
Tomb Raider (2018) vendeu 68 346 bilhetes no primeiro fim-de-semana;
Rampage – Fora de Controlo somou 34 291 bilhetes vendidos na estreia;
Resident Evil – Capítulo Final (2017) vendeu 23 139 bilhetes na estreia;
Angry Birds: O Filme (2016) conseguiu 77 940 espectadores na estreia no grande ecrã;
Warcraft: O Primeiro Encontro Entre Dois Mundos (2016) vendeu 42 828 bilhetes na chegada aos cinemas portugueses;
Need For Speed: O Filme (2014) obteve 26 828 espectadores no primeiro fim-de-semana.


Harley Quinn, e o seu grupo de vigilantes, desceu ao segundo lugar da preferência dos espectadores. Ao contrário do que aconteceu em diversos mercados internacionais, por cá o filme continua oficialmente com o título Birds of Prey (e a Fantabulástica Emancipação De Uma Harley Quinn), e  foi visto por 38 785 espectadores. Após 11 dias em cartaz, Birds of Prey já vendeu 105 732 bilhetes em Portugal.


Apesar de descer ao terceiro lugar da tabela de bilhetes vendidos nos cinemas portugueses, 1917 continua a lutar nas bilheteiras nacionais. O drama de guerra realizado poro Sam Mendes vendeu mais 30 mil bilhetes ao longo do fim-de-semana, e após o primeiro mês em exibição já totaliza 277 mil bilhetes vendidos.

A Ilha da Fantasia chegou ao grande ecrã numa aterrorizante reviravolta da Blumhouse Productions sobre a série dos anos 70  e 80 que acontecia num resort tropical. A estreia d’ A Ilha da Fantasia nos cinemas portugueses vendeu 20 743 bilhetes no primeiro fim-de-semana em cartaz.

  Morbius, Caça-Fantasmas e outros filmes da Sony adiados para 2021

Depois dos Oscars, Parasitas regressou a muitas salas de cinema (a 56 ecrãs, para ser preciso) e 19 997 espectadores foram descobrir o filme premiado com 4 Oscars, incluindo para Melhor Filme. Desde a estreia, no final de Setembro, este foi o melhor fim-de-semana de exibição nos cinemas portugueses do filme sul-coreano.

Sobre as restantes estreias da semana, destaque para:

– A inspiradora história de Amor à Segunda Vista foi a principal estreia para celebrar o Dia dos Namorados nos cinemas, e a estreia resultou em 10 498 bilhetes vendidos;
– Willem Dafoe e Robert Pattinson são os protagonistas de O Farol, um drama que na estreia teve 3 sessões exclusivas em uma sala de cinema e obteve 660 espectadores ao longo do fim-de-semana;
– A produção nacional Para Além da Memória, teve 9 sessões ao longo do fim-de-semana de estreia e, foi vista por 148 espectadores;


Destaque ainda para as sessões especiais de pré-estreia do sucesso da animação japonesa The Weathering With You – O Tempo Contigo. A animação de Makoto Shinkai foi exibida na noite do Dia dos Namorados, e obteve 168 espectadores distribuídos pelas 5 sessões do filme.

Durante o fim-de-semana foram vendidos 230 975 bilhetes nos cinemas portugueses.

Box Office Portugal – Fim-de-Semana de 13 a 16 de Fevereiro

# TÍTULO DIAS EM EXIBIÇÃO ESPECTADORES NO FIM-DE-SEMANA ECRÃS TOTAL DE ESPECTADORES
1 Sonic: O Filme 4 41 050 83 41 050
2 Birds of Prey (e a Fantabulástica Emancipação De Uma Harley Quinn) 11 38 785 87 105 732
3 1917 25 30 724 84 277 375
4 A Ilha da Fantasia 4 20 743 53 20 743
5 Parasitas 143 19 997 56 70 818
6 Bad Boys Para Sempre 32 18 804 50 225 434
7 Mulherzinhas 18 12 805 43 10 498
8 Amor à Segunda Vista 4 10 498 30 10 498
9 Jojo Rabbit 18 9 810 31 48 420
10 Snow: Os Domínios do Espelho 11 3 660 44 10 467

 

Dados ICA – Instituto do Cinema e do Audiovisual; Ordenado por número de espectadores.

Ricardo Lopes

Começou a caminhar nos alicerces de uma sala de cinema, cresceu entre cartazes de filmes e película. E o trabalho no meio audiovisual aconteceu naturalmente, estando presente desde a pré-produção até à exibição.

You may also like...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *