Central Comics

Banda Desenhada, Cinema, Animação, TV, Videojogos

Top de Vendas 2020 da Escorpião Azul

A Escorpião Azul, a editora que tem por lema “A Vontade de Ler Banda Desenhada Portuguesa e em Português” partilhou o seu Top Vendas de 2020. Vejam quais foram os mais vendidos.

Os editores Sharon Mendes e Jorge Deodato estiveram na última rubrica “À Conversa Com” do ano de 2020 onde falam do passado, presente e futuro, num directo que aconteceu no nosso canal de YouTube.

Mas sem mais delongas, aqui vai os livros mais vendidos pela editora:

3º – Universo Negro, de Tozé Simões e Luís Louro

Este Universo Negro é constituído por um conjunto de histórias curtas baseadas numa linha de um real impossível, a que os autores inicialmente deram o nome Estupiditias. Algumas destas bandas desenhadas foram publicadas no fanzine Protótipo, na revista Mundo de Aventuras e na revista Selecções BD. Nelas não existem personagens fixos, o que importa é que essa realidade seja posta a nu no final de cada capítulo. Deste universo negro ninguém escapa ileso… Aqui não há começos ou finais felizes, apenas o inesperado. Nada é inocente e nem tudo o que parece ser o é realmente. Por isso, prepare-se podia acontecer-lhe a si…

2º – Júpiter (integral), de Ricardo Lopes

As lendas são reais! A magia existe! Desde há séculos que toda uma sociedade mágica existe escondida à vista de todos, oculta por um véu de fábulas e mitologia. Governando esse mundo estão os deuses do Olympus, os magos mais poderosos de todos, cuja existência inspirou a mitologia greco-romana. É neste mundo que mergulha Miguel, um jovem rapaz que descobre a existência dos magos e da magia, e que desperta dentro de si um poder raro: Fulgur, a lendária magia dos relâmpagos. Contudo, o aparecimento de mais um mago de Fulgur destabiliza a paz do mundo mágico, e coloca em movimento um plano perigoso. Se aqueles que se movem nas sombras não forem travados, toda a sociedade mágica pode cair nas mãos da tirania.

1º – O Penteador, de Paulo J. Mendes

Candidato a um emprego numa velha loja de miudezas, o jovem Mafaldo Limparrim desloca-se a Poço Redondo, vila suburbana de montanha conhecida pelos seus maus ares, para conhecer o seu idoso e irrequieto patrão.
Contaminado desde o primeiro minuto, acabará por retirar-se à socapa após uma vigorosa familiarização com algumas especialidades e personagens locais.
Diversas circunstâncias, contudo, ditarão o sucessivo regresso do jovem à peculiar vila, sempre acompanhado por um crescendo de personagens cada vez mais ilustres.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *