Portuguesa Daniela Melchior no novo ‘Esquadrão Suicida’!

O nome da actriz portuguesa Daniela Melchior é o nome mais falado em Hollywood nas últimas horas.

Vista recentemente no grande ecrã em “Parque Mayer” e na televisão em “Valor da Vida”, a actriz portuguesa integrará o elenco do novo filme de “Esquadrão Suicida”, da DC Comics.

A conceituada publicação Variety adianta que Daniela Melchior foi a actriz escolhida para dar vida a Caça-Ratos (Ratcatcher), um dos muitos inimigos que Batman conheceu nas páginas das bandas desenhadas e que controla um exército bastante peculiar.

Estreado em 2016 “Esquadrão Suicida” foi uma mistura de sucesso com críticas. Para este segundo filme os produtores da Warner Bros. pretendem novidades que sejam do agrado dos entusiastas do grupo de vilões que nasceram nas páginas dos DC Comics.

A actriz portuguesa junta-se assim a Margot Robbie, Jared Leto, Jai Courtney,  Idris Elba, John Cena e Viola Davis.

Após desentendimento com a Disney, a Warner Bros. não perdeu a oportunidade de contratar James Gunn para escrever e realizar este segundo filme que pretende ser uma sequela ou um possível reinicio do “Esquadrão Suicida”.

Sobre a personagem a ser interpretada por Daniela Melchior, sabe-se que haverá uma relação com a personagem a ser interpretada por Idris Elba (inicialmente ficaria com a personagem Pistoleiro (Deadshot)– que pertencera a Will Smith no filme anterior -, mas as informações mais recentes indicam que interpretará uma outra personagem).
Ratcatcher apareceu no Detective Comics #585, em 1988, e como o nome indica é um caçador de ratos de Gotham City com a habilidade estranha de conseguir controlar os ratos através um assobio especial. Ao longo das publicações a personagem foi evoluindo.

  Sonic com novo visual

Os produtores resolveram adaptar Caça-Ratos para uma personagem feminina e latina.

A produção deste novo “Esquadrão Suicida” está prevista começar em Agosto e as filmagens nos primeiros dias do Outono. No entanto teremos de aguardar por 2021 para estreia do filme.


Banda Desenhada e análise:

Ricardo Lopes

Começou a caminhar nos alicerces de uma sala de cinema, cresceu entre cartazes de filmes e película. E o trabalho no meio audiovisual aconteceu naturalmente, estando presente desde a pré-produção até à exibição.

You may also like...

1 Response

  1. Que personagem mais parola (só podia ser vilão da ratazana alada) e a melhor parte é que a personagem não pode ser Portuguesa, tem de ser latina.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *