Os esquecidos nas nomeações aos Oscars!

A temporada de prémios em Hollywood entrou na fase final, e finalmente foram conhecidos os nomeados para os mais apetecíveis prémios da indústria cinematográfica, como anunciámos aqui!

Apesar de a lista de nomeados não revelar surpresas, eis alguns esquecidos pela Academia das Artes e Ciências de Hollywood.

DestroyerNuma análise imediata a grande “ignorada” será Nicole Kidman!

A actriz, de 51 anos, regressou em plena forma ao grande ecrã e a sua impressionante interpretação em “Destroyer: Ajuste de Contas” era uma das mais fortes candidatas à nomeação ao Oscar na categoria de Melhor Actriz. Num ano de bons trabalhos, a sua interpretação em “Boy Erased” poderia também ter valido uma nomeação na categoria de Melhor Actriz Secundária. Nicole Kidman contenta-se em olhar para o Oscar conseguido pela sua interpretação em “As Horas”.
Na lista de nomeadas ao Oscar para Melhor Actriz também não encontramos o nome de Julia Roberts, pela desempenho de mãe desesperada em “O Ben Está de Volta” , nem o nome de Rosamund Pike pela sua interpretação em “Uma Guerra Pessoal“.

Ethan Hawke First ReformedNa categoria de Melhor Actor também não foi anunciada a nomeação – para possível homenagem na cerimónia de entrega dos Oscars – dois dos nomes maiores de Hollywood: Clint Eastwood (por “Correio de Droga”) e Robert Redford (por “O Cavalheiro com Arma”).
Fora da lista dos nomeados para Melhor Actor ficou ainda Ethan Hawke, pela sua sofrida personagem em “No Calor da Escuridão”. O filme, realizado por Paul Schrader, falhou também a nomeação de Melhor Filme.
E apesar da lista de nomeados a Melhor Filme incluir oito títulos, muitos mais poderiam ter sido incluídos na lista, como “Se Esta Rua Falasse”, “O Primeiro Homem na Lua” ou até mesmo “Um Lugar Silencioso”.

  Cinema: Crítica - Feliz Dia para Morrer 2 (2019)

Assim Nasceu uma Estrela” está nomeado em 7 categorias, no entanto seria expectável ver o nome de Bradley Cooper na lista de nomeados a Melhor Realizador. A lista de nomeados conta com 5 nomes, mas não vemos o reconhecimento (através da nomeação ao Oscar para Melhor Realizador) do trabalho dos Irmãos Coen em “A Balada de Buster Scrugs”, Ryan Coogler por “Black Panther” . E a maior ausência:  de Bryan Singer pelo magistral trabalho em “Bohemian Rhapsody(a Academia ter-se-á influenciado por outras situações).   

A originalidade do argumento de “Sorry to Bother You” não foi suficiente para conseguir a nomeação ao Oscar. Na mesma situação está “Eigth Grade”, que bem poderia ter sido uma das surpresas na lista de nomeações.

  Cinema: Mas afinal... que ano é este? (Parte 2)

Quanto a filmes completamente ignorados pela Academia:

Crazy Rich Asians”, a qualidade do argumento adaptado e a interpretação de Michelle Yeoh poderiam ter incluído o título na lista de nomeações e finalmente poderia chegar a Portugal a grande surpresa das bilheteiras norte-americanas;

Boy Erased” poderia constar na categoria de Melhor Actor (Lucas Hedges), de Melhor Actriz Secundária e de Melhor Argumento Adaptado.

Viúvas” poderia ter conseguido algumas nomeações nas categorias de interpretação, mas este ano a concorrência já estava bem posicionada para as nomeações.

Monstros Fantásticos: Os Crimes de Grindewald” poderia ter conseguido algumas nomeações nas categorias técnicas e de direcção artística. Mas a Academia não foi em magias!

Este ano Portugal teve três filmes candidatos a nomeação a Melhor Filme Estrangeiro: “Peregrinação”, de João Botelho, foi o filme indicado por Portugal.

No entanto mais duas co-produções poderiam levar o orgulho nacional para a noite dos Oscars. O Brasil indicou “O Grande Circo Místico”, filmado em Portugal e coproduzido pela Fado Filmes.
A Argentina escolheu indicar “Zama”, uma co-produção entre diversos países entre os quais Portugal (através da Som e a Fúria).

Não seria de estranhar, que tal como aconteceu com “Cold War- Guerra Fria”, também “Zama” fosse nomeado para o Oscar de Melhor Fotografia, mérito do fabuloso trabalho de Rui Poças.

Ricardo Lopes

Começou a caminhar nos alicerces de uma sala de cinema, cresceu entre cartazes de filmes e película. E o trabalho no meio audiovisual aconteceu naturalmente, estando presente desde a pré-produção até à exibição. Membro da Academia Portuguesa de Cinema.

You may also like...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *