Central Comics

Banda Desenhada, Cinema, Animação, TV, Videojogos

Jogos: Gnosia – Análise

GnosiaGnosia chega finalmente à Nintendo Switch, com a promessa de ser um dos grandes jogos independentes do inicio deste ano. Mas será que assim o é?

Tenho que fazer primeiro um pequeno choradinho, antes de falar de Gnosia propriamente dito: estou fartinho, mas mesmo fartinho de jogos de dedução social. Desde que Among Us teve um pico de popularidade desde a segunda metade de 2020 que começo a ficar farto deste tipo de jogo. Não se enganem, nem me julguem, porque não é uma questão de não gostar de modas. É mesmo porque, chega a um ponto em que parecem todos iguais este tipo de jogos. No entanto, com Gnosia foi completamente diferente.

Gnosia

Quando ouvi falar do jogo pela primeira vez, o bichinho já tinha ficado um pouco pendurado. Era um jogo que tinha sido lançado inicialmente em 2019 na PlayStation Vita e, depois, em Abril de 2020 na Nintendo Switch, apenas no Japão. Uma chegada de peso à consola, numa altura em que existiam poucos jogos que dessem que falar, muito por causa da pandemia que nos afetou a todos.

Além disso, a história é demasiado interessante. Sim, estamos dentro de uma nave espacial (para variar um bocadinho, não é Among Us) e, entre os tripulantes existe uma misteriosa ameaça denominada de Gnosia. Nós não sabemos quem é a Gnosia, e começamos a desconfiar de toda a gente. No fundo, a verdade é que o verdadeiro inimigo somos todos nós e não a criatura, já que andamos a matarmo-nos uns aos outros para ver se, ao calhas, acertamos em que é a Gnosia. No entanto, o nosso objetivo é mesmo identificar quem é tal vil criatura. Para tal, temos uma tripulação que consegue ter várias “missões”, que vão aumentando a cada dia que passa, tal como os nossos membros e nós mesmos. Sim, a cada dia que passa, as nossas habilidades vão aumentando e temos que descobrir com quem trabalhar, ou também, contra quem trabalhar para conseguirmos sobreviver até ao final.

Gnosia

Por outro lado, a ideia de jogar através de loops, ou seja, andar sempre às voltas acaba por ser interessante. Especialmente porque essas ações só aparecem através de eventos especiais, levando a que, a qualquer altura a história mude e tudo à nossa volta também. Além disso, para resolver mistérios acaba por tornar a coisa mais interessante, pois um culpado pode passar rapidamente a vitima, ou até mesmo, formar uma aliança com outros para serem todos culpados. Também, devo referir que, as personagens são algo de fantástico. São personagens realmente “à Japão”, completamente passadas da cabeça e que nos fazem pensar o que realmente estamos a fazer ali. Principalmente, porque fui facilmente nos agarram a atenção e começamos a querer cuidar delas…até que somos traídos ou elas morrem por outra razão qualquer.

Resta concluir que, Gnosia é um jogo de dedução social, está certo. No entanto, é uma experiência para um jogador capaz de deixar qualquer um doido. Ter que pensar, resolver, trair, ajudar e criar alianças com um elenco de personagens como estas pode ser demasiado curioso, mas, ao mesmo tempo demasiado contorverso e perigoso. Porém, posso dizer que é mesmo um dos grandes jogos independentes deste inicio de ano.

Nota Final: 8/10

Gnosia está disponível para Nintendo Switch

Editora: PLAYISM

Desenvolvedor: Petit Depot

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *