Central Comics

Banda Desenhada, Cinema, Animação, TV, Videojogos

Jogos: Atelier Sophie 2 – Análise

A série Atelier está de volta depois de um ano em que apresentou 4 jogos. Será que consegue manter o charme?


Atelier Sophie 2: The Alchemist of the Mysterious Dream 

Atelier Sophie 2: The Alchemist of the Mysterious Dream, além de ser um potencial concorrente para o recorde de maior nome de um videojogo, é também a sequela de um jogo com 6 anos, Atelier Sophie: The Alchemist of the Mysterious Book e conta-nos a história de Sophie que entra num mundo feito de sonhos onde encontra uma alquimista que partilha o mesmo nome que a sua amiga Plachta, mas que não a reconhece.

Conseguirá Sophie sair deste mundo e encontrar a sua amiga antes que seja muito tarde? Portanto, temos uma história básica para variar com a série Atelier. É incrível como uma série com tantos anos consegue ser uma série de altos e baixos em termos de história, já que a fórmula em que investe é sempre a mesma. Existe algo misterioso, seja um objeto, uma situação ou algo similar e temos que investigar até descobrir o propósito desse mesmo.

Portanto, se já estamos à demasiado tempo a jogar esta série podemos ficar demasiado aborrecidos com ela.

Atelier Sophie 2: The Alchemist of the Mysterious Dream

Por outro lado, as personagens sempre foram o ponto forte da série, onde temos demasiadas personagens “fofinhas” e carismáticas, tudo ao molho e deixamos que elas decidam o que vão fazer, quase como se de um slice of life se tratasse.

Não quero com isto dizer que é mau, pois a maioria do charme de Atelier Sophie 2 vêm daí. Porém, gostava ás vezes que as personagens fossem mais adultas em certos pontos, acho que seria muito, mas muito necessário para a série conseguir ter uma lufada de ar fresco.

Atelier Sophie 2: The Alchemist of the Mysterious Dream

No entanto, aquilo que mais me impressionou, neste caso pela negativa, foi o fator alquimia e o combate. Todos sabemos que em Atelier, a alquimia é um ponto-chave para o jogo e que vamos ter que a utilizar quer queiramos quer não. Pena que nesta nova iteração não existe uma única inovação em termos de alquimia. É sempre a mesma coisa!

Carregamos nos botões, parece que jogamos um quebra-cabeças para termos melhores rankings e é nisto que se baseia toda a alquimia que encontramos ao longo do jogo e devo avisar já o leitor que é demasiada. Quanto ao combate também não existe muito que eu possa dizer. Disseram que íamos ter uma nova perspetiva de combate.

De certa forma tivemos, com o facto de que a exploração e o combate estão mais interligados, de uma forma que não existem carregamentos entre combates. Mas não estará na hora de sairmos dos combates por turnos chatos? Começa a tornar-se chato toda a ligação entre personagens em combate e sem inovação de jogo para jogo.

Atelier Sophie 2: The Alchemist of the Mysterious Dream

Resta concluir que, Atelier Sophie 2: The Alchemist of the Mysterious Dream parece um jogo para apenas cobrir a parte do calendário de termos um jogo Atelier por ano.  Talvez esteja na hora de pararmos por um par de anos e depois voltarmos com mais inovações para a série não? Se não, prevejo que vai estagnar a qualquer momento.

Nota Final: 6/10

Atelier Sophie 2: The Alchemist of the Mysterious Dream está disponível para PC, Nintendo Switch e PlayStation 4

 

Desenvolvedor e Editora:  Koei Tecmo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.