Cinema: Zootrópolis – Construir uma cidade

Os Realizadores Convocam os Seus Animais Interiores para Construírem uma Cidade para Todos os Tamanhos.[fbshare]

Para Judy Hopps, Zootrópolis é um sítio onde os sonhos se concretizam. “Judy sempre olhou para Zootrópolis como a cidade radiosa onde se pode ser o que se quiser – onde se pode marcar a diferença”, diz o realizador Rich Moore. “Mas é muito longe das Tocas dos Coelhos.”

ZOOTOPIA. ©2016 Disney. All Rights Reserved.

ZOOTOPIA. ©2016 Disney. All Rights Reserved.

Quando as ideias para “Zootrópolis” ganharam forma, os realizadores perceberam que o mundo complexo que imaginaram tinha pernas para andar – de todas as formas e tamanhos. “Temos pequenos ratos a viverem entre rinocerontes e elefantes”, diz o produtor Clark Spencer. “Queríamos ser fiéis à escala real dos animais, algo raramente feito em filmes de animação com animais. Assim, o nosso mundo tem de acomodar animais de todos os tamanhos de uma forma clara e criativa.”

A equipa de artistas, técnicos e narradores uniu-se para construir uma cidade multifacetada que apresenta sistemas de transporte minúsculos dentro de outros maiores, uma rede de tubos entrelaçados, rampas, escadas rolantes e entradas grandes e pequenas. A cidade é o lar de animais de diversos tamanhos, mas também com diferentes necessidades. “Zootrópolis é composta por distritos ambientais diferentes”, diz o realizador Byron Howard. “Cada distrito é projetado para um tipo específico de animal – a aparência, o clima, tudo reflete o habitat que os animais precisam para sobreviver. E, ao trazer todos esses ambientes, colocámos estes diferentes tipos de animais juntos numa única cidade – criámos oportunidades e relações entre animais que não seriam possíveis”.

De acordo com o designer de produção David Goetz, os realizadores tiveram de pensar como os animais para projetar a cidade. “O truque com Zootrópolis é que é um mundo construído pelos animais que lá vivem – não por seres humanos. Usamos formas orgânicas que parecem completamente diferentes do que aquilo que esperávamos. Com a mesma tecnologia e conhecimento dos seres humanos, como é que um camelo projetaria a Praça Saara? O que é que um urso polar colocaria no Distrito Tundra? Também colocámos elementos reconhecidos pelas pessoas, para parecer uma metrópole, e com os quais elas se pudessem relacionar.

Inspirados por cidades como Nova Iorque e Londres, os artistas misturaram as paisagens urbanas tradicionais com influências globais e infusões animais. Por exemplo, o Distrito Tundra tem cúpulas em forma de cebola em homenagem à arquitetura russa e a estação de comboios de Zootrópolis tem um jardim tropical interior inspirado na Estação Central de Madrid, mas as torres têm a forma de uns chifres. Parecido com o clima do Sul da Califórnia, Zootrópolis tem zonas climáticas artificiais para acolher as várias espécies de habitantes. A extensa pesquisa resultou na lógica existente nos climas opostos em bairros adjacentes. David diz, “Questionámos ‘Como é que se põe uma zona gelada e um deserto lado a lado?” Bem, a resposta é bastante simples. Constrói-se uma parede maciça de ar condicionado que separa os dois ambientes. Assim, tal como os nossos aparelhos de ar condicionado, de um lado sai ar frio, arrefecendo o Distrito Tundra e do outro lado sai ar quente, para aquecer a Praça Saara”.

AS GRANDES SEIS ÁREAS

Como as possibilidades eram infinitas – e exploradas – os realizadores tiveram de diminuir os distritos de Zootrópolis. No fim, estabeleceram seis áreas-chave, dando a cada uma delas uma paleta de cores e detalhes específicos.

  Filme "Fátima", uma co-produção portuguesa com estreia nos Estados Unidos!

A Praça Saara é composta por bancos de areia e edifícios que têm a forma de dunas de areia. “O centro da Praça Saara é inspirado em Monte Carlo e no Dubai”, diz Matthias Lechner, diretor de arte de ambientes. “Aprendemos que os animais do deserto são principalmente noturnos, porque durante o dia faz muito calor. E por isso, construímos muitas atividades noturnas – casinos e um hotel gigante com a forma de uma palmeira com um oásis à sua volta.”

A Praça Saara apresenta uma paleta de cores de vermelhos quentes, laranjas e amarelos.

 

ZOOTOPIA – The modern mammal metropolis of Zootopia is a city like no other. Comprised of habitat neighborhoods like ritzy Sahara Square and frigid Tundratown, it’s a melting pot where animals from every environment live together—a place where no matter what you are, from the biggest elephant to the smallest shrew, you can be anything. But when optimistic Officer Judy Hopps arrives, she discovers that being the first bunny on a police force of big, tough animals isn’t so easy. Determined to prove herself, she jumps at the opportunity to crack a case, even if it means partnering with a fast-talking, scam-artist fox, Nick Wilde, to solve the mystery. Walt Disney Animation Studios’ “Zootopia,” a comedy-adventure directed by Byron Howard (“Tangled,” “Bolt”) and Rich Moore (“Wreck-It Ralph,” “The Simpsons”) and co-directed by Jared Bush (“Penn Zero: Part-Time Hero”), opens in theaters on March 4, 2016. ©2015 Disney. All Rights Reserved.

ZOOTOPIA –  ©2015 Disney. All Rights Reserved.

O Distrito Tundra, construído essencialmente com neve e gelo, apresenta uma paleta de cores de azuis frescos e azul-petróleo. “Há ventoinhas gigantes que deitam neve”, diz Matthias. “Desligam-se periodicamente – fazem parte do controlador do clima. Nunca nada descongela. Há blocos de gelo a flutuar em vez de calçadas. Os carros estão sobre esquis.”

Os designers colocaram estrategicamente manchas de cor com luzes de néon, que jogam com reflexos e sombras para acrescentar interesse e dimensão nessa zona.

O Distrito Selva Tropical é o lar de centenas de gigantes e brilhantes árvores da selva que deitam vapor – são árvores artificiais que sugam mecanicamente a água de um rio para criar a atmosfera cheia de vapor exigida pelos moradores. “A floresta tropical é um ambiente vertical com passeios, pontes e gôndolas”, diz Matthias.

De acordo com David, o grande número de árvores – mais de meio milhão – ilustra um dos grandes avanços tecnológicos que permitiu aos artistas criarem os incríveis ambientes detalhados em Zootrópolis.

A Toca dos Coelhos, a terra natal de Judy Hopps, é habitada principalmente por agricultores de cenouras, como são os pais de Judy. É vasta e um espaço amplo que contrasta com as ruas movimentadas da cidade de Zootrópolis.

“É uma parte muito rural deste mundo”, diz Byron. “Fica a vários quilómetros de distância da cidade de Zootrópolis. Zootrópolis é a grande cidade, a Toca dos Coelhos é como se fosse uma aldeia – é um escape. Os coelhos nascem e vivem lá as suas vidas. Ninguém entende porque razão Judy quer sair dali e ir para a grande cidade.”

A Estação de Savanna é onde fica o Departamento da Polícia de Zootrópolis, a Câmara Municipal e a Estação Central, a movimentada estação de comboios onde Judy Hopps sai quando chega à cidade pela primeira vez. A Estação de Savanna é o centro de Zootrópolis. “É a nossa versão do lago onde os animais bebem água”, diz Goetz. “Os animais de todos os distritos convergem aqui.”

zootropolis_2-750x400

Os detalhes incluem um recurso central de água que é inspirado na savana com árvores de acácia e tons quentes: laranjas e cinzas com a folhagem em verde-azeitona.

Existe ainda uma cidade em tamanho mini onde os mamíferos mais pequenos de Zootrópolis vivem. “É uma cidade pequena só com casas, lojas e ruas do tamanho dos roedores”, diz Matthias. “É rodeada por um grande muro para que os animais de grande porte não o possam atravessar.”

Pode ser pequena, mas tem todos os luxos de uma grande cidade, incluindo um chique salão de cabeleireiro que atende a pequena clientela que é do mais alto nível.

Texto gentilmente enviado pela Disney Portugal

Hugo Jesus

Co-criador e administrador do Central Comics desde 2001. É também legendador e paginador de banda desenhada, e ocasionalmente argumentista.

You may also like...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *