Cinema: Crítica – Scooby!

Scooby!, o novo filme de animação sobre o grupo de amigos que desvenda mistérios e prende “fantasmas” está prestes a chegar aos cinemas portugueses. No Central Comics já o vimos e vamos contar-te o que achamos!

Scooby!

O ponto de partida da história, faz-nos pensar que se trataria inicialmente de uma história de origem, onde iríamos saber como o famoso grupo Mystery Inc surgiu. No entanto, entendemos logo nos primeiros minutos que não é de isso que se trata, pois, essa história de que vos falo é mostrada apenas nos 10 minutos iniciais. E, logo de seguida temos direito a um salto temporal (e muitos encontros entre Fred e a sua mítica carrinha, talvez uma das piadas mais gastas ao longo do filme) e estamos prontos para a história que o filme nos tem a contar.

Scooby!

A história então é o facto de estarmos perante uma “corrida” (termo engraçado, diga-se de passagem) para salvar o mundo de Cerberus e um Apocalipse cheio de cães fantasmagóricos. Digo que “corrida” é interessante porque a verdade é que o vilão da história também é conhecido por todos nós, já que se trata de uma personagem de Hanna-Barbera como os nossos heróis, o Dick Detestável. Quando o vi no filme, além de ter ficado bastante surpreendido, também achei interessante porque achei que traria um dinamismo diferente ao filme. Como estava enganado.

Scooby! tem um elenco fenomenal em termos de vozes: os nossos heróis, tanto na versão portuguesa , como na versão original, recebem a voz de ilustres conhecidos (vê aqui o elenco completo das vozes portuguesas) e na versão original figura Amanda Seyfried, Zac Effron e Mark Whalberg, por exemplo. No entanto, não é apenas de boas vozes que se faz um filme e por isso mesmo a história é um desastre.

  Análise: Summerland (2020)

Scooby!

Falando da história, podemos ter em conta que o que nos foi apresentado em Scooby! não foi a melhor história do universo. Isto porque, começamos com uma história de origem, bastante coerente, que depois avança no tempo e consegue colocar alguns elementos da história anterior na narrativa actual e aí estaria tudo bem, se não metêssemos homens das cavernas e o Dick Detestável à mistura, por razões que não importam mesmo. Por outro lado, também temos a questão das piadas. Já referi acima uma das piadas que foi repetida imensas vezes ao longo do filme. E não é a única, acreditem. A melhor piada do filme, para terem noção, encontra-se no trailer quando referem o IKEA. O pior é que até essa piada pode ser considerada fraquíssima.

Resta concluir que, Scooby! tinha potencial para ser o filme que levaria os portugueses novamente aos cinemas e, como seria de esperar, o filme perfeito para as crianças e adultos pela nostalgia. No entanto, acaba por ser um filme horrível e sem graça alguma, levando a que seja um regresso inglório às salas.

Nota Final: 3/10

Scooby! estreia no dia 6 de agosto nas salas de cinema

António Moura

Um pequeno ser com grande apetite para cinema, séries e videojogos. Fanboy compulsivo de séries clássicas da Nintendo.

You may also like...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *