BD: Análise – O Primeiro Homem; Verões Felizes 1; Darwin 2; Love is Just a Word

O Primeiro Homem

Em O primeiro homem, seguimos os passos de Alberto Camus na Argélia francesa sob o disfarce do romancista Jacques Cormery. O escritor, que estava instalado em França, retorna ao país, onde encontra a sua mãe distante e meio surda, e procura pessoas para tentar conhecer melhor o seu pai, morto na Batalha do Marne. O livro salta entre o presente, a infância de Jacques, e os testemunhos de quem conheceu o seu pai.

Em contraste com os desenhos competentes e as belas aguarelas que perfumam todo o livro, o argumento oscila entre o interessante e o enfadonho. Todas as melhores partes são as de Jacques Cormery em criança. Nas outras sequências, é normal haver momentos em que percamos a concentração, ou até mesmo em que surja, aqui ou ali, um bocejo ou outro. Os diálogos frios, demasiado formais e pouco naturais, também não ajudam.

Apesar de atraente visualmente, a história tem momentos que me fizeram quase desistir de a levar até ao fim. Ainda assim, não deixo de louvar o esforço de Jacques Ferrandez em ter adaptado para a banda desenhada o nada fácil romance autobiográfico de Alberto Camus.

Este romance gráfico da Porto Editora conta com uma boa legendagem, e um papel e encadernação irrepreensíveis.

Veredicto Final: 6
Compra aqui com 10% de desconto e portes gratuitos

Love is Just a Word / Amor é apenas um palavra

Esta é uma publicação de autor alentejano Véte, com uma tiragem de apenas 100 exemplares, e que traz para o papel várias histórias anteriormente lançadas apenas em formato digital. Fazer banda desenhada praticamente sem texto é um grande desafio para qualquer autor, mas o bejense, de que só costumamos ver o trabalho em fanzines e edições de autor, consegue descalçar essa bota perfeitamente. Diria mesmo que este é, até, o melhor trabalho que já vi dele.  A fraseNão existem palavras capazes de descrever o amor” é aqui levada à letra, e apesar da arte minimalista e meio infantil, Véte consegue transmitir não só o amor, mas outros sentimentos, como a angústia, a dor, a alegria, o ciúme ou a solidão.

Esta edição em papel é amadora, e produzida em impressão digital. Nesse sentido, a encadernação demonstra exactamente aquilo que é.

Veredicto Final: 7
Encomenda pelo e-mail: vetebd@hotmail.com

 Darwin vol. 2 – A Origem das Espécies

A Origem das Espécies é o quarto livro da colecção Descobridores, da Gradiva, e a segunda e última parte sobre Charles Darwin, um dos cientistas mais conhecidos e reconhecidos de sempre. Por esta altura, já ninguém duvida que Christian Clot sabe escrever bem, evitando os clichés aborrecidos da banda desenhada histórica, seguindo um enredo envolvente e aliciante. Esqueçam os textos descritivos ou as narrações em primeira ou terceira pessoa; aqui, tudo é diálogo e acção. Sem mais. A arte de Fábio Bono, apesar de não deslumbrar num todo, consegue ter excelentes painéis altamente detalhados – como a cena da reunião britânica para o avanço da ciência, as paisagens paradisíacas das ilhas do Pacífico, ou ainda a splash page de um aterrador tsunami. As cores escuras talvez não ajudem a que os desenhos se salientem mais.

  Cinema: Crítica - O Caso DeLorean (2019)

Para a edição portuguesa, contamos com uma boa tradução, uma legendagem razoável e excelente papel e encadernação.

Veredicto Final: 8
Compra aqui com 10% de desconto e portes gratuitos

 Verões Felizes 1 | Rumo a Sul | A colheita

Confesso que fui apanhado de surpresa aquando do anúncio desta edição de álbum duplo. As imagens de antevisão enviadas pela editora não me cativaram logo, mas quando pesquisei na internet e pude ver mais (e melhores) páginas do interior, vi que poderiam ter aqui algo de especial. Após receber o livro, ver com mais atenção, e ler, pude comprovar isso mesmo.

A premissa é muito simples: uma família, cujo pai é um autor de banda desenhada à procura da fama, ruma da Bélgica para o Sul, para um merecido mês de férias. Dois álbuns, duas histórias diferentes. A primeira, em 1973, já com quatro filhos, e a segunda em 1969, com a mais nova ainda na barriga da mãe.

Esta é uma história de amor, de amizade, de família, que nos faz sentir nostálgicos, melancólicos, e de coração derretido.

É quente, é fofo, é terno. Maravilhosamente escrito e deliciosamente desenhado e colorido. O ponto menos positivo é a falta de noção do desenhador Jordi Lafebre no enquadramento das personagens relativamente às falas, provocando, muitas vezes, um confuso emaranhado de caudas cruzadas de balões. A legendagem alinhada à esquerda é algo também incompreensível. Sei bem que é assim que o original se encontra, mas a versão portuguesa podia ter centrado o texto.

Apesar do excelente papel mate de óptima gramagem, estes desenhos (e principalmente as cores) mereciam um papel couché de alto contraste. Se a isso somássemos uma melhor balonagem e legendagem, poderíamos ter aqui uma inédita nota máxima!

Obrigado por esta regalo.

Veredicto Final: 9
Compra aqui com 10% de desconto e portes gratuitos

Hugo Jesus

Co-criador e administrador do Central Comics desde 2001. É também legendador e paginador de banda desenhada, e ocasionalmente argumentista.

You may also like...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *