O Dia Mais Curto

Central Comics

Banda Desenhada, Cinema, Animação, TV, Videojogos

Queer Porto revela programa

Após um ano marcado por uma itinerância que levou os festivais do Porto e Lisboa a diversas localidades fora dos grandes centros urbanos, o Queer Porto regressa à sua cidade natal para uma edição que expande a sua programação a novos espaços, como o Teatro Helena Sá e Costa (ESMAE). Os habituais Teatro Rivoli, Reitoria da Universidade do Porto – Casa Comum e Maus Hábitos, irão acolher a restante programação de uma edição que se multiplicará por entre sessões especiais, conversas e festas, e que voltará a fazer-nos refletir sobre as importantes questões ligadas à memória, individual e coletiva.

Na Competição Oficial destaque para Nelly & Nadine, documentário que venceu este ano o Prémio Teddy para Melhor Documentário na Berlinale, e que retrata a inusitada história de amor entre duas mulheres que se apaixonam na véspera de Natal, no campo de concentração de Ravensbrück; La fin de Wonderland, documentário sobre Tara Emory, uma artista trans que trabalha segundo as suas próprias regras na indústria do sexo; Un Varón, que nos chega diretamente da Quinzena dos Realizadores do Festival de Cannes, e que deixa um potente comentário sobre os conceitos de masculinidade na América Latina, através da história de Carlos, que vive num centro de acolhimento para menores; e também Rua dos Anjos, filme construído a partir do encontro e da criação fílmica partilhada entre Renata Ferraz e Maria Roxo, enquanto trocam experiências dos seus respetivos ofícios: o trabalho fílmico e o sexual. O júri desta competição será composto pelo jornalista e ativista francês Cy Lecerf Maulpoix, pela produtora de televisão da RTP Isabel Roma e pelo realizador João Vladimiro, que avaliarão os oito títulos a concurso.

O conjunto de filmes que compõem o Prémio Casa Comum – que a partir deste ano abarca a Competição In My Shorts de curtas-metragens de escola portuguesas -, apresentam uma visão contemporânea sobre as questões em torno da identidade e do género, pelas mãos de um conjunto de artistas cujas linguagens estéticas nos mostram o lugar presente da criação cinematográfica nacional, no formato de curta-metragem. Pedro Neves Marques volta a marcar presença com Tornar-se um Homem na Idade Médialevantando a questão sobre a possibilidade de gestação artificial no corpo masculino; Aos Dezasseis, de Carlos Lobo, foca-se na construção individual durante a adolescência; em João Gabriel – The Last Day of Summer, Bernardo Nabais trabalha de forma documental as motivações do artista plástico que conduzem à pintura através da pornografia; enquanto Azul, a estreia de Ágata de Pinho na realização, abre a dimensão da catarse a partir de um estado liminal de existência. Cabem ainda mais quatro filmes neste programa, cujo júri será composto pela investigadora e colaboradora do CETAPS Joana Caetano, pelo cineasta José Paulo Santos, e pelo artista e fundador da Livraria Aberta Paulo Brás.

Queer Focus regressa à Casa Comum da Reitoria da Universidade do Porto para dar continuidade a um tema que levou o festival este ano à cidade francesa de Nice, no âmbito da Temporada Portugal-França. O tema da ecosexualidade tem vindo a consolidar-se na nossa programação nestes últimos anos, e tem permitido uma nova luz sobre as questões queer contemporâneas na sua relação com a natureza. Este ano, e sob o mote EcoQueer, a secção estará composta por, entre outros, Blastogenesis X, um filme experimental que desconstrói toda e qualquer fronteira entre humano e animal; Haldernablou Quadriflore, longa-metragem onde Tom de Pékin adapta Alfred Jarry, entre a dança e a poesia e sob um místico cenário performativo; e Metamorphosis, uma proposta do The Institute of Queer Ecology que, a partir do comportamento animal, imagina estratégias para a fundação de uma utopia multiespécie, e cuja projeção será seguida por uma conversa com o jornalista e ativista queer pela justiça climática Cy Lecerf Maulpoix. Já a exibição da primeira parte de Three (or More) Ecologies: A Feminist Articulation of Eco-Intersectionality justapõe as reflexões de Silvia Federici, destacada proponente dos direitos laborais das mulheres, ao discurso das populações ameaçadas pelo fracking, seguindo-se uma conversa com Stephan Dahl, fundador do The Quinta Project, no Marvão. A abertura desta secção cabe a Uýra – A Retomada da Floresta, um olhar sobre a reconciliação das identidades indígena e trans, e o encerramento a Water Makes Us Wet: an Ecosexual Adventure, uma viagem em torno da água e da prática das artistas Annie Sprinkle e Beth Stephens, que envolve educação ambiental, rito e expansão da sexualidade.

Como Sessão de Encerramento do Queer Porto 8 apresentamos Les amours d’Anaïs, a mais recente ficção de Charline Bourgeois-Tacquet, protagonizada pela magnética Valeria Bruni Tedeschi, que narra a história de uma jovem inquieta e de um triângulo amoroso que desperta um desejo profundo.

E, numa parceria com a ESMAE, o Teatro Helena Sá e Costa irá acolher uma das mais esperadas sessões especiais desta edição: o documentário brasileiro Máquina do Desejo – 60 Anos do Teatro Oficina, de Joaquim Castro e Lucas Weglinski, um poderoso olhar à história desta companhia de teatro de São Paulo, seguido de uma conversa com Weglinski.

No Teatro Rivoli, também haverá espaço, fora de competição, para Esther Newton Made Me Gay, o mais recente documentário de Jean Carlomusto, no qual a realizadora norte-americana nos desvela a rica complexidade de propostas desta importante antropóloga e ativista, na construção de comunidades queer e das suas identidades, ao mesmo tempo em que nos mostra como essas construções são resultado da interseção e transversalidade de diferentes mundos, vivências e origens geográficas.

Blitzed: The 80s Blitzed Kids Story

E no Maus Hábitos, outro filme fora de competição: o documentário Blitzed: The 80s Blitzed Kids Story, que celebra as sonoridades dos New Romantics e o seu forte contributo para a estética e cultura queer.

Ainda no Maus Hábitos, espaço para o já famoso Beyoncé Fest, e também para celebrar o final de mais uma edição com a Closing Party Makes Us Wet, a festa de encerramento que irá contar com alguns dos nomes mais badalados das pistas de dança da cidade, como NOIACatxibi e Phaser. O início do Festival é celebrado, alguns dias antes, no novo Bar of Soap, com um Queer Mixer, num brinde para inaugurar o Festival que promete ser um auspicioso ponto de partida para estes seis dias do melhor cinema queer internacional.

Programa Completo Queer Porto 8:
 

NOITE DE ENCERRAMENTO

Les amours d’Anaïs / Anaïs in Love, Charline Bourgeois-Tacquet (France, 2021, 98’)
 

COMPETIÇÃO OFICIAL
A Cidade dos Abismos / The City of Abysses, Priscyla Bettim, Renato Coelho (Brazil, 2021, 96’)
La dernière séance / The Last Chapter, Gianluca Matarrese (Italy, France, 2021, 100’)
La fin de Wonderland / The End of Wonderland, Laurence Turcotte-Fraser (Canada, 2021, 85’)
Nelly & Nadine / Nelly och Nadine, Magnus Gertten (Sweden, Belgium, Norway, 2022, 93’)
El Perfecto David / The Perfect David, Felipe Gomez Aparicio (Argentina, Uruguay, 2021, 78’)
Rua dos Anjos / Rising Sun Blues, Renata Ferraz, Maria Roxo (Portugal, 2022, 84’)
Sweetheart, Marley Morrison (UK, 2021, 103’)
Un Varón / A Male, Fabián Hernández (Colombia, France, Netherlands, Germany, 2022, 81’)

PRÉMIO CASA COMUM
Aos dezasseis / At Sixteen, Carlos Lobo (Portugal, 2022, 14’)
Azul / Blue Has No Dimensions, Ágata de Pinho (Portugal, 2022, 20’)
Cabra Cega / Blindman’s Buff, Tomás Paula Marques (Portugal, 2021, 16’)
João Gabriel – The Last Day of Summer, Bernardo Nabais (Portugal, 2022, 29’)
Neve / Snow, Filipe Martins (Portugal, 2022, 18’)
Second, André Santos Martins (Germany, Portugal, 2021, 30’)
Tornar-se um Homem na Idade Média / Becoming Male in the Middle Ages, Pedro Neves Marques (Portugal, 2022, 22’)
Um Caroço de Abacate / An Avocado Pit, Ary Zara (Portugal, 2022, 20’) 

Ana Ribeiro e Ana Fonseca em “Aos Dezasseis”

QUEER FOCUS: EcoQueer
Blastogenesis X / Blastogenese X, Charlotte Maria Kätzl, Conrad Veit (Germany, 2021, 27’)
Haldernablou Quadriflore, Tom De Pékin (France, 2017, 50’)
Metamorphosis, The Institute of Queer Ecology (USA, 2020, 48’) + conversa com Cy Lecerf Maulpoix

Three (or More) Ecologies: A Feminist Articulation of Eco-Intersectionality. Part I: For the World to Live, Patriarchy Must Die, Angela Olga Anderson (Germany, Austria, 2019, 37’) + conversa com Stephan Dahl
Uýra – A Retomada da Floresta / Uýra – The Rising Forest, Juliana Curi (Brazil, USA, 2022, 72’)
Water Makes Us Wet: an Ecosexual Adventure, Annie Sprinkle, Beth Stephens (USA, 2018, 80’)
 

Les amours d’Anaïs

SESSÕES ESPECIAIS

Blitzed: The 80s Blitzed Kids Story, Bruce Ashley, Michael Donald (UK, 2020, 90’)
Esther Newton Made Me Gay, Jean Carlomusto (USA, 2022, 92’)

Máquina do Desejo – 60 Anos do Teatro Oficina / Desire Machine – 60 Years of Teatro Oficina, Joaquim Castro, Lucas Weglinski (Brazil, 2021, 110’) + conversa com Lucas Weglinski

Festival Internacional de Cinema Queer – Porto, de 29 Novembro a 4 de Dezembro 2022

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *