Central Comics

Banda Desenhada, Cinema, Animação, TV, Videojogos

Jogos: Soul Hackers 2 – Análise

Soul Hackers 2 regressa com uma sequela promissora. Fará jus a tudo o que é esperado pelos fãs?
 Soul Hackers 2
Pode não parecer, mas, Soul Hackers, um dos derivados da série Shin Megami Tensei, na realidade, já conta com 25 anos, sendo também parte da série Devil Summoner. No entanto, com remakes e remasterizações, passado 25 anos temos um novo jogo intitulado de Soul Hackers, o segundo da sua linhagem.

Nesta nova entrada, estamos em pleno século 21, onde está a decorrer uma guerra entre duas fações de Devil Summoners, os Yatagarasu e a Phantom Society. Na pele de Ringo, uma criatura sobrenatural denominada de “Aion” seguimos a história desta guerra com ideia de por um fim a ela. Em termos de história, a verdade é que a Atlus nunca desilude muito, envolvendo o jogador ao máximo, para este aproveitar um ponto forte de cada entrada que nos é proposta.

Soul Hackers 2

Porém, considero que o ponto alto continua a ser mesmo a forma como combatemos ao longo do jogo. Lutamos por turnos, como é habitual, mas, no caso de Soul Hackers 2, esta entrada vai buscar alguma inspiração à sua série-irmã e muito mais bem-sucedida que é Persona. Cada vez que atacamos os nossos inimigos e conseguimos utilizar um ataque a que estes são fracos, podemos utilizar uma nova habilidade chamada de “Sabbath”, que acaba por ser a versão deste jogo dos “All-Out Attack”, tornando assim esta série mais próxima de Persona.

Em termos de gráficos acaba também por ser um jogo bastante curioso, especialmente se tivermos em conta os demónios que vamos encontrando pelo caminho, seja a enfrentá-los, seja a convencê-los a juntarem-se à nossa causa. Sim, a maioria dos demónios já devem ser conhecidos da maioria dos jogadores, se já jogaram algo relacionado com Shin Megami Tensei e Devil Summoner. Além disso, a forma de fusão continua similar, mas, continua divertida como sempre.

Soul Hackers 2

No entanto, nem tudo é rosas, e o jogo peca pela forma como as “cavernas” que vamos explorando foram desenhadas, a maioria das vezes parece que é só seguir em frente, o que facilita em demasia o jogador, enquanto outras vezes são demasiado confusas o que poderá frustrar os jogadores e mostrando que não existe um meio-termo no desenho dos níveis. Porém, se pensam que existe muito mais para fazer além da história principal, a realidade é que o conteúdo não é muito vasto.

Resta concluir que, Soul Hackers 2 é um jogo divertido e continua a mostrar que a Atlus sabe o que faz no campo dos JRPG, apenas pecando na questão das áreas que exploramos e o que podemos fazer além da história principal.

Notal Final: 8/10

Soul Hackers 2 está disponível para PlayStation 4, PlayStation 5, Xbox Series S|X, Xbox One e PC

 

Desenvolvedora: ATLUS
Distribuidora: Sega

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.