Central Comics

Banda Desenhada, Cinema, Animação, TV, Videojogos

Jogos: Blue Reflection: Second Light – Análise

BLUE REFLECTION: Second Light

Blue Reflection: Second Light prepara-se para trazer um ambiente escolar eterno aos jogadores. Mas fará tal proeza com facilidade?

Para ser sincero com o leitor, é a primeira vez que jogo algo da série Blue Reflection mas, a verdade é que esta nova entrada deixou-me curioso para explorar as restantes. Existe algo na possibilidade de controlar uma “vida escolar” fantasiosa e quase perfeita que acaba por atrair os jogadores, levando ao típico caso de “primeiro estranha-se, despois entranha-se”.

BLUE REFLECTION: Second Light

Neste jogo, conhecemos Ao Hoshizaki que sentia o sol a queimar-lhe a pele pela última vez, no último dia de verão. Até que, de forma misteriosa encontra-se numa escola onde existem três raparigas sem memórias do passado e Ao, mesmo sem compreender o que se passa inicialmente começa a partilhar a vida com essas raparigas, de forma a juntar pistas e regressar a casa. Inicialmente, a ideia e as características da história podem parecer um pouco confusas para o jogador, mas, ao longo do tempo, ao conhecermos a personagens e ao avançarmos no mistério das áreas que vão aparecendo à volta da escolha que se encontra rodeada de água, vamos ganhando cada vez mais vontade para passarmos tempo na companhia deste grupo.

Para dizer a verdade, o próprio jogo convida o jogador a criar a escola perfeita para estas raparigas, já que não existe mais ninguém além delas naquele estabelecimento de ensino. Podemos construir qualquer tipo de edifícios que as meninas considerem uteis, além das sugestões que nos vão fazendo. Nenhuma escola vai ser igual à outra, podendo assim o jogador criar uma escola com as instalações que lhe interessam, ou até mesmo uma escola desenhada à medida das raparigas. Quem sabe, até pode ser um misto. Mas, o jogo como se trata de um JRPG também tem situações de combate. Neste caso, trata-se de combates por turnos em tempo real que, por alguma razão, acabam por me fazer lembrar alguns momentos de combate que temos presentes nos jogos mais recentes da série Atelier. Além disso, também podemos combinar ataques para dar o máximo de dano aos inimigos. Convém também, no entanto, dar destaque aos momentos de exploração e procura de objetos, que se tornaram dos meus momentos prediletos, já que existem imensas situações em que nos podemos colocar para encontrar objetos cada vez mais raros e explorar as memórias de cada personagem.

BLUE REFLECTION: Second Light

Em termos gráficos e sonoros acaba também por ser um jogo interessante. Além de bastante bonito é divertido ver as cenas de vídeo que as personagens apresentam. Tornam a história ainda mais rica e contribuí para algo, não deixando o jogo tornar-se uma seca descomunal ao fim de algum tempo, por repetirmos sempre os mesmos passos ao longo de várias horas.

Resta concluir que, Blue Reflection: Second Light é o ambiente escolar quase perfeito. Só faltavam mais colegas e podíamos viver num ambiente escolar eterno durante horas, com uma história divertida, misteriosa e com combates cheios de energia.

Nota Final: 7/10

Blue Reflection: Second Light está disponível para PC, PlayStation 4 e Nintendo Switch

Editora/Desenvolvedora: Koei Tecmo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.