Central Comics

Banda Desenhada, Cinema, Animação, TV, Videojogos

Jogos Análises: Silt, Gravitar: Recharged e Blast Brigade

Tivemos a oportunidade de jogar mais uns jogos novos como Silt, Gravitar: Recharged e Blast Brigade, e todos eles do nosso agrado.

Gravitar: Recharged

Este é mais um daqueles jogos que a Atari recuperou dos tempos idos dos anos 80, para os dias de hoje. Desta série já tínhamos experimentado três: Black Widow, Asteroids e Centipede.Todos eles são jogos muito agradáveis para passar uns minutos por dia, mas todos eles muito, mas muito frenéticos. É aqui que Gravitar se destaca.

Aqui o importante não é a velocidade dos nossos polegares mas sim a perícia que temos com eles, e muito importante, a paciência que temos de ter para que a nossa nave consiga fazer todos os objectivos a que somos propostos. 

Gravitar aparece então de cara lavada com uma mudança dos gráficos vetoriais clássicos para um estilo mais moderno e estilizado, e recursos de jogabilidade mais adequados aos tempos actuais, como power-ups cooperativos entre várias outras opções novas.

A jogabilidade é mais complexa e é bastante difícil de dominar. A sua dificuldade pode desesperar a mente dos mais stressados (como eu).

Mas no final fica um belo jogo, que pode entreter o jogador por muitos dias com partidas rápidas. 

Já está disponível para Nintendo Switch, PlayStation 4|5, Xbox One, Xbox Series X|S, Atari VCS, e PC (via Steam e Epic Games Store)

7/10

Blast Brigade

Blast Brigade 

Blast Brigade vs. the Evil Legion of Dr. Cread, sim é um nome comprido, mas capta muito bem o espirito do jogo. Ele este em Acesso Antecipado no Steam e recebeu críticas muito positivas, mas também alguams queixas, para que a Allods Team Arcade pudesse melhorar vários aspectos antes do lançamento oficial (que entretanto já aconteceu.

Blast Brigade tem uma muito gira e extensa história em tom irónico, com várias  personagens distintas, e um elenco de vozes capaz de ombrear com as grandes produções de animação. Tudo é feito com um grande sentido de humor, desde o enredo intercalado com várias cutscenes até aos seus diálogos inspirados em filmes de ação e séries de desenhos animados dos anos 80 e 90. Atenção que a voz da personagem principal é de Jason Griffith, que anteriormente interpretou Sonic e depois Shadow nos jogos Sonic the Hedgehog.

Mas podemos assumir o controlo de quatro heróis diferentes, que podem ser trocados a qualquer momento para superar os desafios no nosso caminho. Claro que cada um tem as suas próprias habilidades especiais e dispositivos para podermos avançar na história para derrotar o inimigo Dr. Cread.

Com uma excelente jogabilidade, ainda somos brindados com gráficos em alta resolução, desenhados à mão, numa série de cenários e biomas muito bonitos e distintos entre eles.

Se gostas do género não podes mesmo deixar passar este jogo.

Blast Brigade vs. the Evil Legion of Dr. Cread está disponível para PC, Nintendo Switch, PlayStation 4, PlayStation 5, Xbox One e Xbox Series X|S.

8.5/10

Silt

Silt é daquelas aventuras popularizadas por LIMBO e Little Nightmares durante a década de 2010, onde temos uma aventura que por norma é 2D e com um contexto de horror. No entanto, aproxima-se mais de LIMBO por causa das suas cores, a preto e branco. Porém, acaba por dar uma nova visão ao género.

Neste jogo, somos uma espécie de mergulhador que explora um oceano que se encontra cheio de correntes, por algo que, ao princípio não é explicado, mas, quando avançamos mais no jogo e descobrimos os mistérios em que o mundo do jogo está envolto, acabamos por compreender as suas razões.
Silt

Porém, o ponto alto do jogo é mesmo os inimigos que, de uma forma fantástica, podemos utilizar a nosso favor para ultrapassar as dificuldades que se encontram à nossa frente. Por exemplo, existem piranhas que podem morder as correntes ou objetos similares que encontramos pelo caminho, ou até mesmo tubarões-martelo que irão furar paredes para progredirmos. Não convém esquecer, no entanto, que se eles conseguem fazer isso quando os controlamos com os nossos poderes de telepatia, também podemos morrer nas mãos deles e que os peixes neste universo se comem uns aos outros.

Graficamente também é um jogo bonito, mesmo que minimalista, consegue mostrar algumas áreas que vão fazer com que os jogadores se babem com o que lhes é apresentado, além do design dos inimigos que é belo e representativo.

Resta concluir que, Silt é uma aventura que tenta meter os seus sustos pelo meio, mesmo que às vezes não sejam bem aplicados e, ao mesmo tempo, uma aventura de exploração surreal que não vos irá fazer largar o comando.

Silt está disponível para PC, Nintendo Switch, PlayStation 4, PlayStation 5, Xbox One e Xbox Series X|S

 7/10

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.