Central Comics

Banda Desenhada, Cinema, Animação, TV, Videojogos

Jogos Análises: Ender Lillies, Out of Line e Where the Heart Leads

Hoje trazemos mais uma ronda de análises a videojogos. Aqui, iremos apresentar entre três a cinco jogos, e pequenas análises sobre os mesmos. Os jogos desta vez serão Ender Lillies: Quietus of The Knights, Out of Line e Where the Heart Leads.

Ender Lillies: Quietus of The Knights (PC, Nintendo Switch, Xbox One, Xbox Series, PlayStation 4, PlayStation 5) – Já disponível

Ender Lillies: Quietus of The Knights

Começamos esta nova ronda de análises a videojogos com um dos metroidvanias independentes mais falados nos últimos tempos, Ender Lillies.

Nesta aventura que tem como pano de fundo uma época medieval com contornos bastante sombrios, dignos de um Dark Souls, controlamos Lily, a descendente de uma grande maga que pode purificar a alma daqueles que foram consumidos pela Chuva da Morte, que acabou por destruir todo o reino. Além disso, seguimos viagem com um Cavaleiro Negro, que nos acompanha durante toda a aventura.

Penso que já tenha, em tempos falado de como me sinto quanto a este género de jogo. Por vezes, são jogos que considero demasiado longos em que o foco é a exploração e, posso perder rapidamente o interesse nele. No entanto, com este Ender Lillies aconteceu o contrário, já que me agarrei ao mesmo por causa da forma como está desenhado. O seu estilo faz com que tudo seja fluído, desde o movimento até à forma como o espaço em que nos movimentamos se envolve com toda a banda sonora, criando assim um ambiente que tanto tem de perturbador, como de mágico.

Ender Lilies, para muitos, pode ser visto como um metroidvania genérico, como muitos aqueles que saem todos os anos. Aliás, não me surpreendia com a aparição de muitos jogos do género nos próximos tempos, devido ao regresso da febre da série Metroid. Porém, considero este um jogo diferente, especialmente pela junção entre história, arte e música, que torna toda a ambientação e o jogo em algo especial.

Nota Final: 8/10

 

Out of Line (PC, Nintendo Switch) – Já disponível

Out of Line

Apresento-vos agora o último jogo português lançado no mercado dos jogos independentes, Out of Line, por parte da Nerd Monkeys.

Pergunto-me, no entanto, se é este o derradeiro passo do mercado português, em termos de desenvolvimentos de videojogos. Out of Line tem uma execução interessante, uma história que se aproveita bastante bem e, no departamento gráfico, é no mínimo curioso.

Visualmente, estamos a falar de um jogo que aposta imenso nos gráficos e na forma como interagimos com o cenário. Controlamos San que, perto do início do jogo, recebe uma pequena lança que servirá como a nossa principal “arma”. Digo “arma” porque, mesmo que o local onde nos encontramos esteja em guerra, nós estamos ali para resolver quebra-cabeças com aquela lança. Por vezes, até consigo dizer que são quebra-cabeças complexos que nos fazem pensar um bocadinho, mas, na generalidade, são apenas problemas lógicos que os mais atentos rapidamente irão desvendar.

No departamento sonoro, não tenho muito para falar, especialmente porque não consegui encontrar nenhum enquadramento sonoro que me agradasse. Resta concluir que, Out of Line é um bom passo no desenvolvimento de videojogos em Portugal, mas, não consigo vê-lo a levantar grandes voos.

Nota Final: 6/10

 

Where the Heart Leads (PlayStation 4, PlayStation 5) – Já disponível

Where the Heart Leads

Para encerrar a ronda de análises de hoje, trago a aposta da Armature Games em jogos que tem como grande foco a narrativa. Além disso, promete ser um dos principais exclusivos independentes da consola da Sony para este Verão, mas, será mesmo assim?

A história que nos contam é a de Whit, que revisita todos os seus períodos de vida, para entender como chegou ao momento em que se encontra atualmente e, por conseguinte, as consequências das ações dele. Portanto, começar pela infância, passar pela adolescência e terminar a sua fase adulta.

Se a história fosse bem aproveitada, estávamos no bom caminho, especialmente se tivermos também em conta o estilo visual que escolheram ao longo do jogo que, para ser sincero, é bastante agradável. No entanto, Whit consegue estragar tudo! O homem é talvez a pessoa mais pacata e aborrecida que conheci na minha vida! Se lhe aconteceram coisas boas e más? Definitivamente, mas, essas situações se perguntarem a alguém aleatório no meio da rua, possivelmente também lhes acontecer.

Além disso, é um jogo que diz que nos dá escolhas, mas se formos a ver bem, são falsas escolhas, já que vamos acabar sempre por trilhar o mesmo caminho. Trata-se assim de uma narrativa abertamente fechada, que pode tornar-se aborrecida ao fim de um par de horas e só pedimos que terminem, pois já não aguentamos o pobre do Whit.

Nota Final: 6/10

 

Ficha Técnica

Ender Lillies: Quietus of The Knights

Desenvolvedor:  Adglobe

Distribuidor: Binary Haze Interactive

 

Out of Line

Desenvolvedor: Nerd Monkeys

Distribuidor: Hatinh Interactive

 

Where the Heart Leads

Desenvolvedor: Armature Games

Distribuidor: Armature Games

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *