Elencos e produções espectaculares no cinema

Um dos maiores génios da história da sétima arte, o baiano Glauber Rocha, costumava dizer que para fazer cinema bastava uma ideia na cabeça e uma câmara na mão. Muita água já passou por baixo desta ponte, ainda é possível fazer filmes de baixo orçamento, com elenco diminuto, mas se quer contar grandes sagas da humanidade, não dá para economizar.

Há de se ter o pé no chão, no entanto. Existem filmes com verbas milionárias nos quais procura-se onde aquela quantia absurda foi aplicada e não se encontra nada que justifique. Quer exemplos? Waterworld, de 1995, e John Carter, de 2012.

Ambos tiveram orçamentos por volta de 200 milhões de dólares e não há justificação para tanto desperdício de dinheiro. Ao contrario de Harry Potter ou Piratas das Caraíbas, alguns dos mais caras longas-metragens já produzidos na história, e que entregam exactamente o que prometem: efeitos espectaculares, elencos estelares e um enredo envolvente.

Sobre o casting deles, nem sempre é neste elemento da produção que a maior parte do orçamento está investido. Muitos actores baixam os seus cachês para trabalharem em grandes filmes devido ao realizador envolvido, ao papel oferecido ou, no caso dos bons blockbusters, do potencial de divulgação e penetração popular que a obra pode oferecer.

Muitas carreiras de sucesso foram construídas – ou reconstruídas, como aconteceu com Robert Downey Jr, por exemplo – depois da participação em filmes com muita bilheteira. É claro que alguns actores não conseguiram aproveitar a visibilidade que alcançaram posteriormente, como é o caso de Sam Worthington, protagonista de Avatar.

Durante muito tempo, a história do realizador James Cameron liderou a listagem dos filmes de maior bilheteira da história, só foi destronado no ano passado, quando Vingadores: Endgame conseguiu ultrapassá-lo em alguns milhões de verdinhas. Apesar destes recordes, Sam viu sua trajectória estreitar-se e quase não é chamado para papéis de destaque.

  Curtas de Vila do Conde: programa fechado e sessões simultâneas em Vila do Conde, Lisboa, Porto e Faro

Uma boa gestão de carreira é importante, mas o carisma – um factor intangível, impossível de se medir ou de se reproduzir – continua a ser fundamental para o sucesso. E o talento não pode ser subestimado igualmente, existem muitos actores deslumbrantes que não conseguem fazer mais do que levantar a sobrancelha para demonstrar emoções.

Um super elenco bem sucedido deve contar com bons actores, com jovens promessas, bons antagonistas, uma mescla entre competência, representatividade e diversidade. Nos tempos actuais, nada de colocar um interprete branco num papel de uma personagem negra ou asiática. Já ninguém compra este tipo de narrativa.

Uma das maiores críticas a Exodus: Deuses e Reis, de Ridley Scott, foi justamente o “embranquecimento” do elenco na história passada parte na Ásia e outro pedaço na África. Os efeitos especiais e a iluminação da película – considerada má por grande parte da crítica e do público, que pouco prestigiou a obra nos cinemas – também ajudaram no fracasso.

Grandes actores reunidos para contar uma história podem, não só, puxar bilheteira como engrandecer um roteiro quase banal. Mas não se engane: nenhum filme mau será salvo por ter actores excepcionais representando as suas personagens na produção. Pode até ajudar a servir de exemplo de como não se fazer um bom filme.

Quer exemplos de filmes com grandes elencos e que se tornaram filmes clássicos e/ou de sucesso? Dá uma olhada nestes abaixo. Veja se já assistiu e se concorda com a lista:

  • O Padrinho

  • O Irlandês

  • Pulp Fiction

  • Grand Hotel Budapeste

  • Ocean’s Eleven – Façam as Vossas Apostas

  • X-Men (qualquer um)

  • O Senhor dos Anéis

  • Um Crime no Expresso do Oriente

  • Os Vingadores

  • Um Quente Agosto

Dário Mendes

Dário é um fã de cultura pop em geral mas de banda desenhada e cinema em particular. Orgulha-se de não se ter rendido (ainda) às redes sociais.

You may also like...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *