Crítica: The Promised Neverland vol. 1 e 2 (mangá)

A mais recente série mangá da Devir cujo primeiro volume saiu em Maio e o segundo em Julho deste ano, foi uma bela surpresa que fez subir a qualidade global do catálogo da banda desenhada japonesa da editora.

Em The Promised Neverland, seguimos o dia-a-dia de uma espécie de colégio que acolhe órfãos. Nesta casa existe apenas uma adulta, apelidada de “mãe” que cuida de todas as crianças, o que torna as crianças mais velhas (com 11-12 anos), com responsabilidades em cuidar dos mais pequeno. Mas logo cedo apercebemo-nos que este não é um orfanato normal. As vidas dos jovens são intercaladas entre as brincadeiras no exterior e rigorosos testes diários. Além disso têm de cumprir a mais apertadas das regras: Nunca deixar a Casa de Grace Field!

Mas um dia, dois dos jovens mais inteligentes trespassam os limites e descobrem o angustiante segredo por detrás da sua existência.

The Promised Neverland N.º 2A enredo deste shōnen mistura vários géneros, desde a ficção-científica à espionagem, passando pelo thriller e o mistério, tudo num ambiente de futuro distópico. Ao longo destes dois volumes temos também várias reviravoltas no argumento e a introdução de novas e sinistras personagens.
Este é um daqueles casos que não vais querer fazer uma pausa no final do capítulo, mas sim ler de seguida o próximo. A arte de Posuka Demizu também não compromete. Apesar de não ser rica em detalhes, ela consegue inserir o leitor no contexto espacial, coisa que nem sempre é conseguido na BD nipónica.

  Os Escorpiões do Deserto - Obra Completa Volume 1

Aconselho também, The Promised Neverland, a quem gosta de histórias do estilo “Jogos da Fome”, “Maze Runner” e “Divergente”.

Da edição portuguesa nada a destacar. A encadernação e papel é a típico desta editora portuguesa, com boa tradução e legendagem. O maior senão é terem usado os horríveis “is” serifados que tanto me atrapalham na leitura.

Em suma, a obra escrita por Kaiu Shirai começa bem e promete ser uma das melhores séries da Devir. E que venha o terceiro volume, pois no Japão já saíram 16.

Argumento: Kaiu Shirai
Arte: Posuka Demizu
Editor: Edições Devir
Argumento: 9
Arte: 7
Legendagem: 6 (dava mais, não fosse o problemas com os Is)
Encadernação: 6
Veredito Final: 8

Hugo Jesus

Co-criador e administrador do Central Comics desde 2001. É também legendador e paginador de banda desenhada, e ocasionalmente argumentista.

You may also like...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *