Central Comics

Banda Desenhada, Cinema, Animação, TV, Videojogos

Cinema: Crítica – Gravidade (Gravity), ou antes, a ausência dela.

A 8 dias dos óscares, Rodrigo Pinto dá a sua opinião sobre o filme GRAVIDADE que está com 10 nomeações (!) e claro, é favorito para várias categorias.[fbshare]

Gravidade é um filme realizado por Alfonso Cuarón que tem como principais protagonistas George Clooney e Sandra Bullock e pouco mais, porque o resto é só “voz”, sendo que uma dessas vozes é protagonizada por Ed Harris (controlo de missão em Houston).

George Clooney e Sandra Bullock já nos habituaram a este tipo de personagens, ele responsável e descontraído sempre na posse do controlo, ela um pouco mais nervosa e insegura (lembram-se de “Speed”?). É Ed Harris que faz, no meu ver, algo diferente do que nos habituou e mesmo sendo só voz e não o tendo eu reconhecido, fiquei com uma enorme vontade de ver quem era.

GRAVITY

O filme começa meio parado, à deriva, mas depressa lhe apanha o passo, qual filme de acção.
Matt Kowalsky (George Clooney) é o veterano e comandante de missão da nossa história, sendo esta ao mesmo tempo a sua última missão. A Dr. Ryan Stone (Sandra Bullock) é Engenheira Médica na sua primeira missão ao espaço para reparar o telecópio Hubble.
star wars o lobo mauDevido à destruição de um satélite russo, uma massa de detritos, efeito secundário e não intencional da sua destruição, caminha à velocidade de uma bala em direção ao Vaivem Explorer acuplado ao telescópio Hubble. Com tanto espaço, é claro que tinha mesmo de ir na direção deles! Com o Vaivem Explorer destruído, ficam à deriva e aos trambolhões pelo espaço vazio e frio onde terão de arranjar forma de voltar à Terra.

É a partir deste acontecimento que o filme toma uma propulsão que não esperava, dei por mim a fazer força para que se agarrassem a algo, para conseguirem entrar numa estação espacial… Se o filme fosse mais longo, seria uma ida ao ginásio! Apesar de o filme ser “apenas” uma fuga do espaço para a Terra sem Vaivem e de não ser relativamente longo (apenas 90 minutos) ainda temos tempo para conhecer um pouco melhor uma das personagens.

Concluindo, um filme intenso, muito bem trabalhado com poucas personagens mas bem delineadas, uma história bem estruturada que consegue agarrar o espectador à cadeira.
Vejam, não se vão arrepender!

Rodrigo Pinto

[ad#cabecalho]

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *