Central Comics

Banda Desenhada, Cinema, Animação, TV, Videojogos

Análise jogos: DNFC

DNFC

O Central Comics decidiu soltar a franga e analisar Definitely Not Fried Chicken (DNFC): é de lamber os dedos, mas de frango, tem pouco!

Sinopse de DNFC

DNFC é um jogo de simulação e gestão de negócios desenvolvido pela Dope Games e lançado pela Merge Games a 18 de janeiro. Em DNFC acabámos de chegar a uma fervilhante cidade americana dos anos 80 com o sonho de singrar no mundo dos negócios. Após sermos enganados por um magnata da fast food, recebemos o patrocínio de uma organização obscura que quer entrar na cidade e a nossa missão é expandir o nosso negócio ilegal do narcotráfico através dos nossos negócios legítimos. Pelo caminho, temos de descobrir novas drogas, conhecer novos clientes, abrir novas frentes de negócio e proteger a nossa organização, custe o que custar.

Análise de DNFC

DNFC é um simples jogo de gestão de negócios com uma pequena nuance: a nossa verdadeira missão é expandir o negócio ilegal da droga através dos negócios legítimos. Sempre que falamos de Breaking Bad, pomo-nos a pensar no que faríamos se fossemos Walter White… mas sejamos sinceros — quem nunca sonhou em ser um Gustavo Fring? É esta a premissa de DNFC, um jogo a transbordar de referências descaradas e humor, desenhado para ser um êxito imediato e que me parece prometer não se ficar por aqui.

Em DNFC, somos responsáveis por estabelecer uma linha de montagem eficiente de fabrico de drogas e organizar a sua expedita distribuição pelos vários clientes que vamos conhecendo e frentes de negócio que vamos abrindo. Sim, também temos de gerir a vertente legítima da nossa organização, desde lavandarias, a lojas de donuts e cadeias de fast food. Estes negócios servem de balcão de vendas para as drogas que produzimos, mas têm de ser minimamente credíveis para despistar a polícia. Entre organizar as linhas de produção de todos os negócios, temos também de ter em atenção as necessidades dos nossos funcionários e manter a concorrência debaixo de olho, já que esta está sempre pronta a acabar connosco pelos meios mais violentos disponíveis. Embora simples, a mecânica de DNFC é suficientemente complexa para me ter entretido durante algumas horas e se bem que o jogo ainda não seja muito profundo, tem indiscutivelmente potencial para isso e já é muito divertido tal como está. Ainda há algumas arestas por limar, como alguns bugs (alguns funcionários bloqueavam nas tarefas e deixavam-se morrer à fome ou por falta de higiene) e ainda há muito conteúdo por vir, mas este é um jogo que sai para acesso antecipado no dia em que esta análise é publicada, portanto, mal posso esperar para revisitar este título daqui a uns tempos.

Os gráficos não vão ganhar nenhum prémio de arte moderna, mas não é a isso que se propõem e, se me perguntarem, os criadores acertaram na mouche com o estilo pateta em gráficos voxel usado em DNFC. A música é também ela simples, mas uns furos acima dos gráficos e acompanha DNFC tal como o vinho verde acompanha marisco: uma delícia! Ambos ajudaram muito a transportar-me para o ambiente do jogo e cumprem o propósito de imersão com distinção.

+++

A premissa de DNFC e o humor com que foi implementada são irrepreensíveis. Aliados a uma mecânica fácil de aprender, mas difícil de dominar, estes aspetos compõem um jogo muito divertido.

Por se tratar de um jogo que vai ser lançado em acesso antecipado, DNFC tem naturalmente alguns bugs, alguma falta de equilíbrio e pequenos problemas de otimização. Contudo, todos estes ocorrem apenas a um nível muito ligeiro e são de fácil resolução. Não me preocuparia muito com isto para o futuro, mas por agora, estão lá.

Classificação: 7,5/10

Diverti-me à brava com o tempo que passei com DNFC, e vou voltar sem dúvida. Aliás, não tivesse eu de analisar outros jogos (Ah! É verdade, quase que me esquecia… também de trabalhar) e seria este o meu jogo de final de dia para as próximas semanas. Ainda falta incluir algum conteúdo já anunciado e o jogo tem potencial para muito mais — adorava que o jogo tivesse outros mapas, mais negócios (legítimos e ilegítimos), um sistema de lavagem de dinheiro para acrescentar complexidade, e seria fenomenal que os criadores considerassem um modo multiplayer competitivo.

Escrevi esta análise antes do lançamento oficial do jogo, mas diria que um preço entre os 15,00 € e os 20,00 € seria aceitável. Muito mais que isso também não me parece adequado, pelo menos, como está agora.

Para terminar, fica a dica indispensável: atenção! Isto é apenas um jogo e não uma representação exata da realidade, portanto, escusam de pedir o vosso próximo cheeseburguer com uma ganza a acompanhar!

Plataforma testada: PC

Trailer de DNFC:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *