Jogos: Monster Train – Análise

Tenho que assumir, primeiramente, aqui à frente do leitor que este Monster Train não foi um jogo que me cativou, numa primeira instância. Quando olhei para ele pela primeira vez senti que era um jogo de cartaz banal. Mas será que me enganei?

Monster Train

Se houve algo que me deixou logo na expectativa foi o facto de o jogo começar logo o modo história. Não há clique em start para começar nem nada. Isto pode confundir um pouco alguns jogadores que não sabem para o que vão, mas devido a esta interface simplista também poderão encontrar facilmente todas as opções que existem no jogo. São pouquíssimas, mas para a forma como o jogo se desenrola são perfeitas.

Monster Train

Neste jogo, o grande objetivo é não deixarmos os nossos inimigos destruírem todas as carruagens do comboio e o cristal que se encontra no último andar. É interessante que, os inimigos podem subir andares se não forem derrotados e vão aparecendo sempre grupos de inimigos novos por turno. Portanto, temos que estar constantemente prontos a colocar cartas nas várias divisões do comboio para conseguirmos vencer as batalhas. Também é curioso que o próprio jogo automaticamente remeteu-me para o jogo de cartas Heartstone e para o estilo de batalha com cartas de Slay The Spire.

Pode ser visto como algo interessante, também, o facto do próprio cristal se defender (um pouco como as torres em League of Legends), já que mostra que é um jogo bastante “carinhoso” para os jogadores, mostrando como poderão vencer de várias maneiras e que oportunidades não faltam para tal.

  STAR WARS Battlefront II é o segundo jogo do mês de Junho no PlayStation Plus

Monster Train

A forma como o caminho é construído ao longo do jogo também é uma temática porreira, usar caminhos de ferro em que vamos encontrando itens e lojas (que, diga-se de passagem, têm um dono bastante “fofinho”) é das melhores coisas que este jogo tem, porque andamos sempre a evoluir. Vou aproveitar a ponte, para falar do jogo a nível gráfico. É diferente. O facto de termos vários demónios num cenário bastante bem desenhado e que de demoníaco às vezes não tem nada é uma escolha estranha, mas ao mesmo tempo compreensível.

Por fim, gostaria de falar das batalhas contra chefes que são desafiadoras e provavelmente iremos perder várias vezes mas, quando perdemos parece que a nossa missão acabou ali. É um fim de linha em que depois temos que recomeçar de novo. Quando recomeçamos podemos escolher um novo baralho e aliados e assim ganhar vantagem sob o inimigo.No fundo, é um jogo de tentativa erro.

Resta concluir que Monster Train é um jogo com uma temática bastante interessante e que os fãs de jogos de cartas e estratégia têm aqui um jogo para durar bastantes playthroughs. Um jogo a ter em atenção.

Monster Train está disponível para PC via Steam

António Moura

Um pequeno ser com grande apetite para cinema, séries e videojogos. Fanboy compulsivo de séries clássicas da Nintendo.

You may also like...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *