Central Comics

Banda Desenhada, Cinema, Animação, TV, Videojogos

Crónica: O AmadoraBD e o estado deplorável da banda desenhada em Portugal.

AmadoraBD 2012Começo a escrever este artigo de opinião com base em alguns factos: O AmadoraBD é um festival de e sobre banda desenhada onde centenas de milhares de euros são LITERALMENTE despejados para alguém fazer o maior festival de banda desenhada de Portugal.[fbshare]

O AmadoraBD tem um responsável que deveria saber o que fazer ao orçamento que tem para consolidar o maior festival de BD do país e baseando-me no que já vi e ouvi de pessoas que lá foram acaba por funcionar mais como um festival local e menos como um festival nacional.
Penso que para fazerem o que fazem com o AmadoraBD, mais valia criarem um museu com pranchas de banda desenhada e acabava-se a “brincadeira”. O que noto é que o director e a organização do festival não querem saber dos autores que vão ao mesmo, daí aparecerem autores à última da hora para remendarem uns “buracos”, mas sim somente das exposições para “encherem” a vista a quem subsidia este festival, demonstrando um total desconhecimento de autores e obras duma arte da qual são pagos mensalmente para promoverem uma vez por ano.

AmadoraBD 2012Logo, qual é o trabalho da organização do AmadoraBD? Andarem a pedir subsídios e ajudas externas para fazerem um festival que só serve os seus interesses?

Na minha opinião (meramente informal), um festival vive não só de exposições e de prémios (e volto a não entender o porquê de ser necessário enviar 6 exemplares de cada obra a concurso para as mesmas serem nomeadas), mas também da interacção entre os autores e o público, o que acaba por ser interessante para quem gosta desta arte porque conseguem ver in loco alguns dos seus ídolos. Mas retirando isto, volto às mesmas questões:
Será necessário tanto dinheiro para se fazer um bom festival de BD em Portugal?
Serão necessárias tantas pessoas a trabalharem para o mesmo e é necessário um espaço tão grande (gratuito ainda por cima) como o Fórum Camões?

AmadoraBD 2012Surgem-me sempre várias questões quando noto coisas “estranhas” no festival:
Porque é que se paga bilhete para o mesmo quando este é financiado pelo estado?
Porque é que a organização necessita de pessoal externo para a ajudarem na procura de autores e exposições, quando o único trabalho desta organização é preparar um festival sendo pagos mensalmente para isso?

E continuo sempre nos porquês:
Porque é que apesar de este ano ter uma exposição dedicada aos 50 anos da personagem Homem-Aranha e eu ter visto e escutado que a Amadora foi a 3ª cidade europeia a receber esta exposição em 2012, a mesma não foi badalada nosmeios de comunicação que servem o interesse público e só foi mencionada na TV regional da cidade?
Será que é para justificar os dinheiros obtidos do município?
Será também que ninguém conhece o Homem Aranha em Portugal e é um exclusivo da Amadora e só serve para mostrar novamente aos munícipes da Amadora que o “seu” dinheiro foi gasto em nome de uma causa nobre?

AmadoraBD 2012

Este festival já tem muitos anos e deveria ser muito mais abrangente e colocar o país a par do que é a Nona Arte em Portugal ou será (outra vez) que só se deve promover esta arte para a cidade da Amadora?

E enquanto escrevo este artigo, surgem-me mais dúvidas e questões:
As lojas presentes promovem o festival com a venda de livros dos autores que se deslocam a este festival (e pagam por isso) e quem é que promove as lojas?
Poderia falar ainda das condições quase “desumanas” onde enfiam as lojas e os autores (com temperaturas elevadas e vetados ao esquecimento), mas não vou por ai e faço de conta que é um mero detalhe.

Por último, noto que este festival não agradece nada a ninguém e não convida (formalmente) pessoas que fazem e fizeram algo pela nona arte em Portugal e volto às minhas interrogações:
Será que só existem pessoas que percebam de banda desenhada na organização do AmadoraBD?

AmadoraBD 2012Continuo a deambular por entre recordações e memórias das minhas deslocações ao festival da Amadora que já fazem parte da minha vida desde 1998 e não me lembro de uma única vez estar satisfeito com este festival (ahhh.. e gosto de BD)… Vi as exposições XPTO (o que significa e significou para mim quase a mesma coisa do que ir a um museu); o contacto com os autores e convívio com os mesmos por parte do público é nulo; e mais uma vez (e não contando com as pessoas que são mesmo ENTUSIASTAS por esta arte e que moram na zona da Grande Lisboa) este festival não chega ao grande público (o que deveria ser a sua função primordial). Ele está perto da capital e de uma esmagadora maioria da nossa população que cresceu com esta arte (sejam as revistas do Maurício de Sousa, os super-heróis, os Disney ou revistas de cowboys e índios).

[ad#post-lateral]

Continuo a não entender como é que não fazem a ligação entre a BD e as outras artes e continua a fazer-me confusão a divulgação e promoção da banda desenhada somente nas escolinhas da Amadora (quase arrastando as crianças para este festival à força, mesmo que esta arte não lhes interesse para nada); mas é isto divulgação e promoção?
Será que eu vivo numa utopia e não percebo o lado “iluminado” das questões subjacentes a este festival, onde este não é falado na TV, jornais ou rádios nacionais?


AmadoraBD 2012
O lado positivo deste festival é que, apesar destes “percalços”, as pessoas que gostam verdadeiramente de BD em Portugal (ainda) lhe vão dando (algum) crédito e conseguem obter excelentes colaboradores no círculo restrito de quem entende da nona arte em Portugal.

Não entendo muita coisa no festival da Amadora e também não quero entender (e nem sequer ouso comparar este festival ao de Beja, feito por pessoas com outra atitude e paixão e com muita atenção aos “detalhes”, apesar de estarem a divulgar esta arte numa pequena cidade no Alentejo).

Será que vou continuar a ter que “aturar” esta parvoíce todos os anos? Com certeza que não me apanham lá mais nenhuma vez e muito menos irão contar com o meu apoio e/ou colaboração no futuro.
Saudações a todos os bedéfilos, esperando que este festival mude um pouco de atitude, senão todos os anos iremos pensar que esta é uma arte “condenada” à partida e pela qual nem vale a pena lutar.

Texto: Manuel Espírito Santo
Fotos: Vanda Grácio

N.E.: Os comentários deste artigo foram apagados e a opção de comentar desactivada. Devido à troca de “galhardetes” dos seus intervenientes, eu inclusive, e tom que o debate estava a ter, decidi optar por esta via pelos mesmos motivos que me levaram a acabar com o fórum há meses. Peço desculpa e compreensão aos seus intervenientes: Manuel Espírito Santo, Hugo Silva, Telloso e outros. E prometo ser mais acutilante na moderação de comentários futuros. Obrigado. – Hugo Jesus

[ad#cabecalho]