Cinema: Crítica – Vice (2019)

Christian Bale está irreconhecível no papel de Dick Cheney. Vice estreia a 14 de fevereiro nos cinemas.

Adam McKay já é um nome familiar entre os apreciadores de filmes de comédia, tendo escrito e realizado muitos dos aplaudidos filmes com Will Ferrell, principalmente O Repórter: A Lenda de Ron Burgundy, considerado um clássico moderno. Mas quando McKay abordou a queda de Wall Street em… A Queda de Wall Street, a mudança de tom trouxe armas novas e acabou por ir pelo caminho de parodiar um dos mais terríveis desastres económicos de sempre. Esse sucesso garantido é o que nos traz agora a Vice, um biopic um bocadinho diferente do que esperado.

Vice_03

Dick Cheney, para quem não conhece, foi um dos homens cujo legado é deixado duma forma reservada pela forma como usou o seu poder e o explorou para seu ganho. Será sempre visto na história pela presidência complicada com George W. Bush a lidar com vários acontecimentos que moldaram o mundo no início do milénio, entre um ataque terrorista e as subsequentes guerras.

Acompanhamos a subida ao poder a vermos Christian Bale no papel de gordo careca, algo que para quem em 2004 encarou alguém feito de pele e osso em O Maquinista, e mais tarde o vimos bem musculado a fazer de Batman, é um feito incrível ver este actor a ser o tirano secreto da administração norte-americana, reproduzindo em detalhe o seu feitio, as suas expressões faciais e a sua forma de falar. Um feito que podemos aplaudir, onde o rigor da personagem prova que a vida real pode ser mais estranha que a ficção.

  Box Office Portugal – Fim-de-Semana 21 a 24 de Março

Vice_01

Por outro lado, o argumento de Adam McKay agarra na fórmula cujo sucesso foi evidente e tenta repeti-lo, mas algo aqui correu muito mal. Em quase 2h15m de filme, vemos como este escritor e realizador é capaz de recriar factos num ambiente descontraído e, frequentemente, provocador. São raros os momentos em que tudo sobre Cheney é alvo de chacota, tornando-se numa missão quase pessoal em o desacreditar de forma permanente. O grande problema é como McKay o faz, com intermináveis piadas e situações que são mais frustrantes que cómicas, acabando com um ritmo instável.

Vice_02

No fim, ficamos divididos entre as risadas estranhas e uma interpretação de folgo por parte de Bale e de Amy Adams, como a sua eterna amada, deixando um sabor agridoce na boca. Uma coisa que vos posso garantir é que esta não é só a história de Dick Cheney, ex-vice presidente. É a história de Dick Cheney, perpétuo idiota, apenas em segundo lugar atrás de Donald Trump; que certamente daqui a uma década McKay fará algo deste género, podendo juntar-se a Michael Moore. Acho que os dois se dariam bem e cá estaremos para ver.

  • Vice estreia a 14 de fevereiro 2019 nos cinemas

Nota Final: 6/10

Ricardo Du Toit

Ricardo Du Toit

Fã irrepreensível de cinema de todos os géneros, mas sobretudo terror. Também adora queimar borracha em jogos de carros.

You may also like...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *