Cinema: Crítica – Mentes Poderosas (2018)

Quando os adolescentes desenvolvem misteriosamente poderosas habilidades, eles são declarados uma ameaça pelo governo e detidos. Mentes Poderosas estreia a 9 de agosto nos cinemas.

Mentes Poderosa 9 de agosto 2018Mentes Poderosas, o primeiro filme live-action da realizadora Jennifer Yuh Nelson (Panda do Kung Fu 2 & 3) e baseado na obra literária juvenil com o mesmo título, passa-se num futuro futurístico onde 98% das crianças morreram devido a uma doença desconhecida. As sobreviventes começaram a manifestar poderes extraordinários e o início de uma rutura mundial. No dia do seu aniversário, Ruby (Amandla Stenberg, podem reconhecê-la como Rue d’Os Jogos da Fome) apaga involuntariamente a sua existência da memória dos seus pais cujos telefonam imediatamente às autoridades para virem buscar esta criança “desconhecida” que se encontra dentro da sua casa. Ao ser enviada para uma prisão infantil direcionada a estas criancas, Ruby descobre que os seus poderes se enquadram no setor Laranja, o mais raro de todos e que conseguem controlar a mente das pessoas. Deste modo, manipula o seu médico a colocá-la na secção Verde, cujas crianças são as mais seguras, mas possuem uma inteligência extraordinária. Aos 16 anos, Ruby consegue fugir deste lugar e conhece três adolescentes que a irão acompanhar nesta resistência e busca por um futuro melhor.

Mentes Poderosa 9 de agosto 2018

Mentes Poderosas apresenta uma premissa reciclada no género juvenil, no entanto, não significa que não tenha o seu mérito. Ao estrear numa época de super-heróis é impossível não criar comparações com os X-Men ou o recente Logan, precisamente porque o grupo de adolescentes tem basicamente o mesmo objetivo, encontrar o local secreto dos “mutantes” resistentes. A identificação das cores de cada poder é bastante interessante e é aqui que o filme consegue distanciar-se um pouco dos clichés juvenis. Ruby é a protagonista, no entanto, necessita do auxílio das restantes personagens e todos possuem o seu momento de destaque. No seu grupo conhecemos Liam (Harris Dickinson), que faz parte dos Azuis e consegue mover objetos com a sua mente, Chubs (Skylan Brooks) é um Verde e indivíduo com um IQ altíssimo e Zu (Miya Cech), a jovem Amarela mais nova do grupo que consegue controlar eletricidade. O Vermelho é o único que só é revelado em cenas de ação com vilões que conseguem controlar o fogo. O filme realça constantemente estas cores no seu decorrer através dos olhos das personagens quando utilizam os seus poderes ou em diálogos e guarda-roupa.

No entanto, é um pouco bizarra a pirâmide de cores que define o grau de perigo e raridade de cada um. Verdes são os indivíduos com a maior inteligência, mas considerados os mais seguros. Porém, esta aventura avança maioritariamente devido às ideias geniais que Chugs vai tendo. Em relação aos poderes, o filme dá-nos bons momentos de ação de modo a percebermos a força de cada um, bem como cenas emocionais relativas ao passado de certos indivíduos. Eventualmente, Ruby e Liam criam um romance forçado, mas que revela a enorme vontade destas personagens em terem um contato amoroso com outro individuo após tantos anos num espaço prisional.

Mentes Poderosa 9 de agosto 2018

Mentes Poderosas possui uma fotografia que contrasta bem o lado de dentro e fora dos campos. A natureza reina agora neste mundo futurístico e originou algo visualmente esbelto e pacífico. Todos os detalhes fazem com que torcemos para o sucesso destas personagens.

Por fim, os vilões da história estão constantemente a surgir e impulsionam a tensão na narrativa com a presença de atores de renome. Entre eles, o Presidente Gray (Bradley Whitford), Cate (Mandy Moore) e a Lady Jane (Gwendoline Christie) são ameaças, psicológicas e físicas, para estes adolescentes que os deixam em constante alerta. Infelizmente, deixa-nos a sensação que certos atores não foram aproveitados ao máximo e finaliza num terceiro ato previsível e desapontante, numa “festa” de CGI noturna. Porém, o elenco tem os seus momentos bons e acaba com um twist refrescante que não é nada habitual nestes blockbusters direcionados a um público juvenil, deixando em aberto a possibilidade de uma sequela.

  • Mentes Poderosas estreia dia 9 de agosto 2018 nos cinemas

2.5/5

Tiago Ferreira

  Cinema - Crítica: Frozen 2 - O Reino do Gelo

Tiago Ferreira

Estudante de Cinema e Teatro, Crítico de Cinema, Fotógrafo novato e Cosplayer.

You may also like...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *