BD) Análises Rápidas: Crononautas e Extremity

Desta vez trazemos as análises a duas BDs que não sairam em Portugal. A primeira “Crononautas” da dupla Millar/Murphy segundo uma edição brasileira da Panini, e a minissérie “Extremity” de Daniel Warren Johnson, lida na versão original em 12 comics.

Crononautas

CrononautasFãs confessos do clássico “Regresso ao Futuro” Millar e Murphy trazem uma aventura frenética de dois grandes amigos através dos tempos. Iludidos pela vida fácil, Corbin Quinn e Danny Reilly acabam por virar o passado de pantanas e passarem de heróis a vilões enquanto são perseguidos pela empresa que os fez regressar no tempo, de forma a que eles parem de alterar o passado. Para quem sem segue a série Timeless isto parece-vos familiar? Realmente as premissas são bem parecidas apesar das intenções das duas personagens principais serem diferentes, assim como a forma de viajar. Seja como for não irá desfraldar os fãs deste género de ficção científica.

O principal problema deste álbum (cuja história completa tem pouco mais de 100 páginas) é que é tudo muito a correr, quase (?) parecendo que a história é mais feita para poder vender os direitos para o cinema, do que contar uma história com cabeça, tronco e membros. É pena, pois o conceito daria e merecia muito mais espaço para desenvolver.

Sean Gordon Murphy, finalizado com as cores de Matt Hollingsworth, têm aqui um papel notável na arte ganhando muitos pontos na apreciação global deste álbum.

Argumento: Mark Millar
Arte: Sean Murphy
Editor: Panini Brasil (Millarworld/Netflix/Image Comics)
Argumento: 6
Arte: 9
Legendagem: 7
Encadernação: 8 (capa dura)
Veredito Final: 7

 

Extremity #1-12 (Minissérie)

Extremity #1Esta série de apenas 12 números, saiu pela Image Comics entre Março de 2017 e Março de 2018. Num mundo ao belo estilo pós-apocalíptico (imaginem um cruzamento entre Mad Max e Akira), está é a eterna história de vingança e luta entre clãs opostas.

O amor e o ódio andam de mãos dadas neste belo conto escrito e desenhado por Daniel Warren Johnson, que demonstra o carinho e atenção ao detalhe que impregnou na narrativa mas sobretudo na arte. Apesar de muitas vezes grotesca e violenta, os desenhos (e as cores de Mike Spicer) saltam logo à vista pela sua beleza. Além disso, podem contar em ficarem logo agarrados às personagens principais, tanto heróis como vilões.
A história foi lida em formato comic (12 revistas), mas pode agora ser lida em 2 álbuns em formato paperback, por importação.

Argumento: Daniel Warren Johnson
Arte: Daniel Warren Johnson
Editor: Skybound/Image comics
Argumento: 8
Arte: 9
Legendagem: 8
Encadernação: –
Veredito Final: 8,5

  Colecção Novelas Gráficas 12 - Neve nos Bolsos

Hugo Jesus

Co-criador e administrador do Central Comics desde 2001. É também legendador e paginador de banda desenhada, e ocasionalmente argumentista.

You may also like...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *