A Ermida

CIOSO para que a mais importante missa anual na Ermida dedicada ao culto de Nossa Senhora da Conceição decorra da melhor forma possível, o padre Fortunato conseguiu obter junto de Sua Majestade, com os bons ofícios da Guarda Real (de quem a Virgem é padroeira), o empréstimo de umas famosas e valiosas jóias para, de algum modo, abrilhantarem a celebração.
Tudo corria normalmente até ao desaparecimento das ditas do cofre onde o padre as tinha solenemente guardado, encerradas à chave.
E não havia qualquer vestígio de arrombamento. Passado o pânico inicial e chamada a Guarda, que inspecciona minuciosamente o local, nada se encontra.
Mistério.
Ao padre Fortunato são concedidos dois dias para descobrir o seu paradeiro e devolver as jóias à procedência.
É então que…


A Ermida

de Rui Lacas
Edições Polvo
21 x 14,8 cm; capa em bicromia;
56 pág. impressas a 2 cores;
PVP: 7,90 Euros
Encomenda: geral@olobomau.com

Clica para ampliar

O AUTOR
RUI LACAS (1974, Lisboa).
Começou a fazer Banda Desenhada, em 1989, em publicações como “Banda” (onde se estreou), “Shock”, “Comic Cala-te” (que co-editou), “Café no Park”, “Bd & Roll”, “Azul BD Três”, “Boom”, “Mesinha de Cabeceira”, “Vertigens”, entre outras.
Depois, colaborou nas revistas “Selecções BD” e “Rua Sésamo”.
Sob argumento de Jorge Magalhães, desenhou Maldita Cocaína (1994), baseada na peça homónima de Filipe La Féria. Em colaboração com o argumentista Pedro Baptista-Bastos desenhou A Cauda do Tigre (1998).
E, pela primeira vez como autor completo em livro, realizou A Filha do Caranguejo (segundo autor, o seu livro preferido, 2001), Que é feito do meu Natal (2002), Obrigado Patrão (com edição originalmente em francês e edição portuguesa em 2008) e Asteroid Fighters (2009).
A Ermida (2011) é o seu mais recente projecto dado à estampa.

  Lançamento: Sírio de Martin López Lam

Hugo Jesus

Co-criador e administrador do Central Comics desde 2001. É também legendador e paginador de banda desenhada, e ocasionalmente argumentista.

You may also like...